Você é um Guardião da Qualidade?

Por Adalberto Bem Haja, CEO da BHC Sistemas

“Tem que dar duro para ter qualidade. E qualidade é ter carinho genuíno com o cliente.”

Qualidade é inegociável

Qualidade sempre foi um tema central e não tem a ver só com fazer teste, mas tem a ver com segurança. Se você fizer parte, por exemplo, de um projeto com um parceiro, é preciso garantir a continuidade do serviço sem que o sistema caia, a funcionalidade esteja perfeita e sem nenhuma brecha de segurança. Então isso é qualidade na concepção. É você pensar, já no primeiro minuto, o que pode acontecer lá para frente. Não simplesmente entregar um projeto por si só.

Todo mundo sabe que ter qualidade faz sentido e é importante. Mas precisamos ter a mentalidade, ter isso enraizado na cultura de todos. Geralmente qualidade na área de tecnologia fica mais na cabeça do responsável pela sustentação. Ninguém pensa em fazer com qualidade desde o início. Quando se fala em ser ágil, se pensa em fazer rapidinho, com sprints mais curtos e preço mais baixo. Mas é preciso fazer isso com qualidade. Qualidade é inegociável, só que ninguém lembra!

Site Realiability Engineering (SRE)

A sustentação sempre teve como método o “vamos nessa, vamos juntos!”. E hoje tem uma técnica que é o Site Realiability Engineering (SRE). É um termo criado por Ben Treynor Sloos, VP de engenharia do Google, para a metodologia de gerenciamento de operações para todo os serviços dentro do Google. O foco do SRE está na confiabilidade do sistema, que permite encontrar formas para aprimorar o design e a operação dos sistemas para fazê-los mais escaláveis, confiáveis e mais eficientes.

O SRE tem a ver com qualidade, que tem a ver com DevOps, que tem a ver com ágil, que tem a ver com a experiência do cliente, que tem a ver com carinho genuíno com o cliente. DevOps (desenvolvimento e operações, na junção das siglas em inglês) é um conjunto de técnicas para aumentar a capacidade de uma empresa na automação de processos, desenvolvimento de software e infraestrutura. Qualidade está inserida nesse objetivo de negócio. É pensar em qualidade na concepção, em monitoração no primeiro minuto de um projeto de software. Quem quer pensar em qualidade deveria se juntar em SRE.

Guardião da Qualidade

No SRE você deixa de ter somente a função de “bombeiro” – aquele que só apaga os incêndios –, para ter um Guardião da Qualidade dentro da empresa. E não somente aceitar coisas ruins que eventualmente o desenvolvedor faz, o que também é normal, pois há a pressão sempre da entrega.

Quando você está na primeira camada do SRE, que é o reativo – ou o “bombeiro” –, você está focado em correção de bots e redução de incidentes. Na segunda camada, que é a do Guardião da Qualidade – ou Gatekeepers –, você começa a ter times de emergência, mapa de calor, gestão proativa de riscos, release management – forma de garantir a integridade do ambiente de desenvolvimento e a utilização do software pelo cliente –, planos táticos de estabilização de ambientes como um todo.

A outra camada vem para a qualidade da confecção, onde está o “Quality by design”. “Você me ajuda a construir uma aplicação resiliente ou vem às três da manhã resolver problema comigo.” Isso é o que tem nos times ágeis. Lógico que tem gente especializada em corrigir bugs, mas o problema é de todos. Quem concebeu também tem que ser acordado às três da manhã.

Preocupação genuína com o cliente

Se você não quer se preocupar com o cliente, o concorrente vai se preocupar. Em um ambiente competitivo, se o outro tem mais qualidade, o cliente vai procurá-lo. Geralmente em Tecnologia você não pensa em qualidade, você pensa em rapidez. Ágil parece ser entregar rapidinho. Ágil não é isso.

Para entregar sprints menores você precisa encantar seu cliente toda a semana, precisa entregar com custos mais baixo porque o mercado é competitivo e a empresa tem que sobreviver. Mas a qualidade não é inimiga de velocidade, não é acessório, não é mal necessário, não é custo adicional. Você precisa olhar o produto, e não a peça de software, não pode olhar de forma isolada. E qualidade não é para amadores!

Todo profissional precisa ser um Guardião da Qualidade, por isso que é qualidade na concepção. Quando você tem seu próprio negócio, você tem que pensar em tudo, senão o projeto pode morrer.

Notícias Relacionadas

Destaque

Varejistas podem identificar tendências de roubo em poucos cliques com o Security Center Transaction Finder

Nova ferramenta de ponto de venda com análise baseada em exceção integrada à plataforma de segurança da Genetec ajuda varejistas…

Destaque

Grupo GR implanta deep learning e aponta cerca de 80% de redução em falsos alarmes

Tecnologia foi implantada nas câmeras da própria empresa e, após excelentes resultados, será disponibilizada aos clientes O Grupo GR tem…

Destaque

Alarmtek lança espuma neutralizadora para a segurança de áreas abertas

A espuma ATK NE 110 permite um jato direcionado que provoca ardência ocular e nas vias aéreas para frustrar a…