Startup brasileira inventa código que armazena dados e já é avaliada em U$ 20 milhões

Hoje o recurso mais valioso do mundo é a informação, gerando uma demanda exponencial de dados que apresenta um grande desafio tecnológico para as próximas décadas na redução de custos, garantindo qualidade, segurança e privacidade, na transmissão e armazenamento desses dados. Nesse contexto, uma empresa de tecnologia criou um código bidimensional que armazena e transmite qualquer tipo de dados digitais, como como vídeos, músicas, fotos, arquivos zip com acesso online e offline. Essa solução disruptiva e única torna o armazenamento e a transmissão de dados extremamente acessíveis e rápidos e vai transformar vários mercados. Uma curiosidade é que a tecnologia criada por eles já vinha sendo trabalhada pelo CEO, Ricardo Fioravante, desde 2018, e ele teve a ideia através de um sonho!

A DRIC foi criada em 2018, e durante a pandemia recebeu aporte de US﹩ 3,5 milhões de um grupo internacional, tendo Alec Oxenford (cofundador do Arremate.com, da OLX e da Letgo) como um dos investidores principais. Em menos de um ano tornou-se uma startup global. No estágio seed a startup teve um aumento em seu valuation, passando de 400 mil reais para 20 milhões de dólares (mais de R﹩111 milhões).

Hoje em dia, na era digital, uma das maiores demandas é o uso exponencial de dados, o que apresenta um grande desafio tecnológico para as próximas décadas na redução de custos, garantindo qualidade, segurança e privacidade, na transmissão e armazenamento desses dados.

“Com este investimento, a DRIC amplia sua capacidade de P&D, reforça sua futura linha de negócios e potencializa sua atuação em diversos mercados em nível mundial, com especial ênfase, nos mercados do Brasil, Europa e EUA”, afirma Ricardo Fioravante, CEO e Fundador da DRIC.

De acordo com a Seagate, fabricante norte-americano de discos rígidos, a esfera de dados global será de 175 zettabytes até 2025, uma taxa de crescimento de mais de 350% comparada ao consumo de 2019. A tecnologia desenvolvida pela DRIC chega no mercado para revolucionar o armazenamento, transmissão e acesso de dados em um novo conceito de código bidimensional.

“O nosso propósito é tornar o armazenamento e a transmissão de dados extremamente mais acessíveis e mais rápidos. Criamos uma tecnologia única no mundo que melhora a performance e disponibilidade de arquivos em até 50 vezes, capacidade comprovada em testes com uma extensa gama de arquivos variados em tipos e tamanhos. Além disso, a solução da DRIC é rápida, com privacidade nativa (criptografada) e versátil, permitindo o acesso online completo. A nossa tecnologia também prevê no futuro o armazenamento e acesso sem precedentes de grandes quantidades de dados por meio de papel, vidro, filme ou qualquer outra superfície imprimível, como objeto de evolução de nossa P&D”, explica Rafael Freijanes, CTO da DRIC.

Robusta e flexível, a tecnologia viabiliza múltiplas aplicações para entrega de conteúdo complexo em diversos segmentos, garantindo a criptografia de dados ponta a ponta e o acesso online e offline das informações. A startup destaca como promissoras as áreas de conversão e armazenamento de documentos em nuvem, pagamentos digitais, tráfego de dados, conteúdo de entretenimento, livros e conteúdo educacional a serem remodeladas através da tecnologia DRIC.

Com DNA brasileiro, a DRIC foi idealizada para entregar uma solução em tecnologia bidimensional proporcionando maior segurança e privacidade aos seus usuários. Alejandro (Alec) Oxenford é sócio e membro do conselho na DRIC, reconhecido por ser um empreendedor serial da Internet, investidor anjo e entusiasta da arte contemporânea. Oxenford foi cofundador do “letgo” (2015), um dos três principais aplicativos para compra e venda nos Estados Unidos e número 1 na Turquia. Também foi cofundador e dirigiu a OLX.com (2006-2015).

Entre os investidores do fundo está a FJ Labs, reconhecida por investir em startups unicórnio, sendo essa uma grande aposta para DRIC. Fundada pelos empreendedores em série Fabrice Grinda (OLX, Aucland, Zingy) e Jose Marin (Deremate, IG Expansion), a FJ Labs apoiou mais de 600 empresas, incluindo Alibaba, Betterment, Delivery Hero, Fanduel, Flexport e Rappi e esteve diretamente envolvida em empresas de construção como AdoreMe, Properly, Letgo e Rebag.

Notícias Relacionadas

Destaque

Abese expande cursos de formação para profissionais de segurança eletrônica

Com a contínua necessidade de mão de obra qualificada para suprir vagas do setor, a associação investiu em programas de…

Cases

Emive Grandes Projetos implementa smart city na cidade de Juiz de Fora (MG)

Com uso de IA, as cidades inteligentes proporcionam melhor qualidade de vida, facilitando a rotina das pessoas e diminuindo os…

Cases

Milestone Systems torna os edifícios mais ‘inteligentes’ com tecnologia de vídeo inovadora

Com sua principal plataforma de “Portaria Virtual”, a Foxsys transformou o cenário de segurança ao fornecer serviços remotos para mais…