Sensor de movimento Psiu Sem Fio elimina uso indevido em escada de emergência em shopping

Após dois meses em teste em um shopping center da capital de São Paulo, com grande circulação de pessoas, o coordenador de segurança Alexandre Cardeal constatou que o número de intrusão de pessoas na escada de emergência chegou a zero, o que aumentou o controle de transeuntes, consequentemente, eliminou práticas indesejadas no local e fez diminuir as rondas.

A experiência com o sensor de movimento com alerta sonoro tem ocorrido em uma das 68 escadas existentes no comércio. “Antes a fiscalização era feita somente por meio de rondas da equipe de vigilância, que alternava entre os períodos”, explica Cardeal. “Com a utilização do equipamento, a circulação de visitantes nessa única escada foi extinguida e pudemos concentrar nossos vigilantes em outros pontos essenciais”, completa.

O responsável pela segurança do shopping também informa que o equipamento tem a vantagem de proporcionar uma rápida informação ao centro de segurança, utilizando uma rede Wi-Fi de qualidade.

SENSOR PARA PORTAS

A experiência no shopping, de acordo com Cardeal, inclui também o sensor para portas, utilizados nos guardadores dos hidrantes, em consequência dos casos de furto, o que também foi zerado com a chegada do novo produto.

Segundo as normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), as saídas de emergência em edifícios comerciais e shoppings centers devem permitir fácil acesso e escoamento dos indivíduos.  Tal condição, pode prejudicar o controle de pessoas nesse ambiente e também dificultar o controle da segurança.

Com o objetivo de diminuir essa realidade, bastante frequente em shoppings e edifícios, o Psiu, que há mais de 10 anos investe em tecnologia de chamadas sem fio, desenvolveu o transmissor com sensor de movimento, TX041, o qual emite diversos avisos por meio de rádio frequência para a central de segurança, quando há fluxo de visitantes não autorizados.

José Rubens Almeida, diretor da empresa, explica que além de capturar o movimento indevido, o equipamento também emite uma frase para a pessoa que está no local. Esse alerta tem o intuito de advertir a pessoa não autorizada e solicitar que se retire. No mesmo momento, a central é informada do ocorrido.

Com esse sistema, busca-se potencializar a vigília das empresas de segurança nas escadas de emergência dos estabelecimentos e promover a prevenção quanto à má utilização das áreas restritas, e deixar livre apenas para situações de emergência.

“Uma das formas que os sensores de movimento usam para identificar o fluxo nas escadas é enviar o número dos andares em sequência. Se o indivíduo sobe do primeiro andar para o segundo, o sinal vai ser emitido sucessivamente, então é registrado no painel todos andares percorridos”, conclui Almeida.

Notícias Relacionadas

Em Foco

Em Foco Moni: plataforma centralizada com mais segurança nos processos

Ferramenta abrange diferentes verticais e possibilidades Por Fernanda Ferreira  Revista Segurança Eletrônica: O que levou a Moni a entrar no…

Destaque

4 dicas para escolher um alarme residencial

O mercado de segurança eletrônica está em pleno crescimento no Brasil e, segundo a associação de empresas do setor (ABESE),…

Destaque

Cipher firma parceria para orquestração de segurança de rede com a Tufin

A Cipher, empresa especializada em segurança cibernética pertencente ao Grupo Prosegur, anuncia um acordo global com a Tufin, empresa pioneira…