Qual a diferença entre fibra monomodo e multimodo?

Por Adriano Oliveira

É comum hoje em dia o uso de fibra óptica em projetos de segurança eletrônica, seja pela grande quantidade de dados transmitida ou seja pela necessidade de alto throughput.

Um exemplo são câmeras panorâmicas que fornecem imagens com mais de 8 Megapixel em uma taxa de 30fps. Além da alta taxa de dados, normalmente esse tipo de câmera é instalada em locais que podem ficar distante de uma sala de monitoramento, tanto que alguns modelos no mercado já vêm de fábrica com uma fibra, além do RJ-45.

As fibras ópticas são filamentos muito finos que transportam dados através de sinal luminoso ao invés de sinal elétrico – por isso mesmo são imunes à interferência eletromagnética e muito usadas em redes de dados, principalmente quando se deseja alcançar uma longa distância.

O cabo metálico (como, por exemplo, o famoso cabo UTP), consegue transportar dados em dezenas de metros de distância entre os dispositivos, mas quando o assunto é fibra óptica, passamos a falar em centenas de metros ou até mesmo quilômetros. Isso porque, além de ser imune à interferência, a atenuação da luz é menor do que a do sinal elétrico em cabo metálico.

Existem basicamente dois tipos de fibra óptica: a monomodo e a multimodo. E qual a diferença entre elas?

Na fibra multimodo, a luz se propaga por vários caminhos (modos), o que significa que mais de um feixe de luz pode ser enviado ao mesmo tempo já que diferentes ângulos de incidência podem ser usados.

A fibra multimodo normalmente usa luz com menor intensidade (normalmente sua fonte luminosa são os Diodos Emissores de Luz, conhecidos como LED). Esse tipo de fibra é mais usado em aplicações internas como em backbone de edifícios comerciais ou até mesmo no cabeamento horizontal.

Ainda em relação à fibra multimodo, podemos classificá-la em dois tipos: índice degrau e índice gradual.

No caso do tipo monomodo, a luz trafega dentro do núcleo da fibra por um único caminho (modo) sem necessitar fazer nenhuma reflexão, o que permite que ela alcance longas distâncias.

As fibras monomodo possuem o núcleo menor se comparadas com as fibras multimodo, além disso possuem um valor mais elevado.

Sua fonte de luz são os Diodos Laser que possuem um desempenho superior ao LED.

Imagine que a figura abaixo represente uma fibra monomodo, perceba que a luz faz um único caminho pelo núcleo da fibra para ir de um lado para outro.

A norma NBR 14565 reconhece as fibras monomodo OM1, OM2, OM3 e OM4, já no caso de fibra multimodo, temos os tipos OS1 e OS2.

É comum encontrar os termos MM para fibra multimodo (do inglês multimode) e a sigla SM (single mode) para fibra monomodo.

Adriano Oliveira trabalha com segurança eletrônica há mais de 18 anos, tem pós-graduação em segurança da informação, é formado em redes, trabalha como gerente de produtos na Dahua Technologies e mantém o blog Hardware Magazine.

Notícias Relacionadas

Artigos

Bem-vindo à era da identidade centrada no indivíduo

Por Marcelo Annarumma A primeira metade do ano teve movimentação interessante no sentido de o Brasil dar seus primeiros passos…

Destaque

Metrô de São Paulo vai implementar câmeras com reconhecimento facial

As estações das linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha do Metrô de São Paulo vão ganhar novas câmeras de monitoramento com…

Destaque

Axis melhora capacidade das câmeras com nova geração do chip ARTPEC

A 7ª geração do chip Artpec da fabricante sueca Axis Communications chega ao mercado com ajustes que agregam novos recursos…