Inteligência Artificial na prevenção e combate à COVID-19

O Catuaí Shopping Londrina está utilizando inteligência artificial para garantir a segurança e bem-estar de seus clientes, funcionários e parceiros através dos controladores de acesso por leitura facial da Intelbras, indústria brasileira desenvolvedora de tecnologias. Os produtos foram colocados em todas as entradas do shopping para realizar o controle de acesso sem contato físico entre as pessoas e evitar aglomerações, como forma de prevenir o contágio do novo coronavírus.

A solução também mede a temperatura corporal e identifica se as pessoas estão utilizando a máscara da forma correta, além de gerar alertas automáticos se alguém estiver com febre, podendo acionar avisos na tela do operador ou mesmo sinal sonoro e visual no próprio equipamento, caso essa função seja habilitada. Os controladores de acesso da Intelbras, que são os mais rápidos do mercado brasileiro, realizam a leitura de rostos em até 0,2 segundo. Com isso, tornam a entrada de pessoas no shopping mais ágil e segura.  

“Os controladores de acesso estão em uso por aqui desde o segundo semestre de 2020; no início usávamos apenas para o controle de entrada dos nossos funcionários, mas pela praticidade e precisão, adquirimos outros, que agora estão sendo usados em cinco acessos do shopping”, afirma o superintendente do Catuaí Shopping, Diego Peralta.

“Devido à pandemia, os setores da economia brasileira, incluindo o varejo, tiveram que se adaptar rapidamente para continuar seus negócios. Dessa forma, desenvolvemos em um curto período de tempo produtos ideais para promover maior segurança e contribuir com a continuidade das atividades de empresas como o Catuaí”, comenta Paulo Daniel Correa, Diretor da unidade de Controle de Acesso da Intelbras.  

Monitoramento na prática

Descrição gerada automaticamenteAs imagens geradas pelos controladores de acesso são enviadas para a central de monitoramento do shopping, onde é feito o acompanhamento dos acessos em tempo real. Caso algum cliente esteja com febre ou usando a máscara de forma incorreta, por exemplo, é gerado um alarme pop-up na central e o funcionário pode acionar o segurança mais próximo para lidar com a situação de forma rápida, eficiente e discreta.

“Antes do uso das soluções, nós tínhamos um funcionário alocado em cada acesso para aferir a temperatura; com as soluções térmicas isso não é mais necessário, pois tudo é acompanhado a distância. Dessa forma conseguimos realocar aqueles colaboradores que ficavam nas entradas do shopping para realizar tarefas mais estratégicas, otimizando recursos e tornando o trabalho mais assertivo e seguro”, complementa Peralta.

As imagens estão sendo gerenciadas de forma unificada pelo Software Defense IA. A solução controla as permissões de acesso de usuários de forma simples e prepara relatórios de contagem de pessoas, mapa de calor, tempo médio em fila entre outros dados extremamente importantes para o departamento de segurança do shopping.

Notícias Relacionadas

Destaque

23ª edição da EXPOSEC é adiada para 2022

Maior feira de segurança na América Latina, antes programada para junho deste ano, foi transferida para o período de 7…

Destaque

Homem processa polícia após ser preso por engano por falha em reconhecimento facial

Um homem entrou com um processo contra a polícia de Detroit, nos Estados Unidos, após ser preso por engano por…

Cibersegurança

Cyber Security Summit Brasil 2021 abre inscrições para a quinta edição

A mais importante conferência internacional de cibersegurança, a Cyber Security Summit Brasil (CSSB), abriu as inscrições para a sua quinta…