Intelbras adquire a Seventh: saiba o que muda com a negociação

Ampliação da oferta de soluções e expansão para mercados internacionais estão entre os objetivos das empresas

Por Fernanda Ferreira

A Seventh anunciou para o mercado de segurança a aquisição de 100% do seu capital pela Intelbras, uma das maiores empresas de tecnologia do Brasil. A ação segue a proposta de ambas as companhias de inovarem e oferecerem soluções ainda mais completas para seus parceiros e clientes. A aquisição é uma oportunidade para a Intelbras de ampliar a oferta de soluções tecnológicas para o gerenciamento, monitoramento de imagem, controle de acesso e alarme a distância. Já para a Seventh, será o momento de acelerar sua expansão no mercado nacional e internacional por meio de seu portfólio e na busca por novas verticais de mercado. Conversamos com os diretores da Seventh, Carlos e Paulo Schwochow, sobre esse novo momento da empresa, o que muda para os parceiros de ambas as empresas e os planos para o futuro.

Revista Segurança Eletrônica: O que os moveu a fazer essa fusão com a Intelbras? É uma perspectiva de ganhos financeiros ou há outros objetivos?
Carlos e Paulo Schwochow: A aquisição faz parte da nossa estratégia de crescimento. Estávamos há algum tempo procurando um parceiro no mercado para darmos o próximo passo, ir além e ter o capital e conhecimento suficiente para nos tornarmos uma empresa global. Para nós a aquisição é uma importante conquista, por somar forças com uma grande empresa na área de tecnologia e segurança, como a Intelbras.

Revista Segurança Eletrônica: Como funcionará a operação da Seventh após a fusão?
Carlos e Paulo Schwochow: A operação permanecerá a mesma, não haverá fusão. Tanto a estrutura física, quanto as equipes de trabalho e os nossos sistemas continuarão da mesma forma, com as características multimarcas e o alto potencial inovador e de integração que agrega tanto às nossas soluções. Toda a parte comercial, políticas de distribuição, contratos, também permanecerão os mesmos. Reforçamos novamente que a independência da empresa Seventh em relação à Intelbras continuará.

Revista Segurança Eletrônica: Qual será o papel da Intelbras nesse novo tempo da Seventh? E como a Seventh irá colaborar no portfólio e operação da Intelbras?
Carlos e Paulo Schwochow: As empresas continuarão com suas operações totalmente separadas. A Seventh está em um ritmo de crescimento muito grande, em torno de 40% ao ano, e desejamos continuar neste ritmo acelerado. O papel da Intelbras é de investidor, e poderá nos auxiliar a ter o combustível que precisamos para darmos o próximo passo, que é ser uma empresa global. Já a Seventh, continuará com a parceria com a Intelbras, com seus equipamentos integrados às nossas soluções. Mas voltamos a frisar que equipamentos de fabricantes parceiras da Seventh terão igual espaço em integrações. A Seventh continuará sendo Seventh, com nossas soluções totalmente multimarcas.

Revista Segurança Eletrônica: Haverá criação de novas soluções?
Carlos e Paulo Schwochow: Iremos continuar inovando como sempre fizemos. É claro que tentaremos absorver conhecimento da Intelbras para desenvolvermos soluções ainda mais avançadas para o nosso mercado.

Revista Segurança Eletrônica: Quais serão as estratégias para avançar na inovação e expansão da empresa?
Carlos e Paulo Schwochow: A mesma estratégia que já utilizamos, inovar sempre, cada vez mais rapidamente e mais assertivamente.

Revista Segurança Eletrônica: Quais são as expectativas de vocês para esse novo tempo?
Carlos e Paulo Schwochow: As expectativas estão bastante altas, agora com uma maior capacidade de investimento, queremos acelerar muito todas as áreas de atuação da Seventh, para nos tornarmos uma empresa verdadeiramente global.

Revista Segurança Eletrônica: Gostaria de deixar um recado final para os nossos leitores?
Carlos e Paulo Schwochow: Estamos muito confiantes de que esta negociação vai fortalecer ainda mais a Seventh como um todo, contribuindo para a expansão da empresa, e a continuidade do crescimento dos nossos colaboradores, parceiros e clientes. Também gostaríamos de tranquilizar a todos que sempre acreditaram na gente durante esses 18 anos de história. Essa parceria com a Intelbras vai nos permitir dar aquele passo que faltava para atingirmos mercados que até então não atingíamos e desenvolvermos soluções cada vez mais inovadoras.

Notícias Relacionadas

Destaque

Franquia de segurança eletrônica é a nona maior microfranquia do Brasil

A Emive Franchising, alicerçada na marca consolidada de uma empresa com mais de 30 anos de atuação no mercado, vem…

Destaque

Dahua investe em desenvolvimento de segurança cibernética de produtos

A Dahua Technology, como planejamento estratégico anual, tem o objetivo de investir 10% de sua receita no setor de Pesquisa…

Destaque

Prosegur Research analisa os cinco principais riscos para a segurança nos Jogos Olímpicos de Paris 2024

Os Jogos Olímpicos de Paris 2024 acontecem entre 26 de julho e 11 de agosto e serão o maior evento…