Fundamentos para um retorno seguro ao trabalho em tempos de pandemia

Por HID Global

Não restam dúvidas de que a pandemia da COVID-19 mudará por muito tempo a forma como vivemos, trabalhamos e fazemos negócios.

Nesse cenário, as organizações estão buscando soluções de curto, médio e longo prazo que lhes permitam proporcionar a seus colaboradores um retorno seguro ao trabalho.

Para que o processo de reabertura seja seguro, isso dependerá em grande parte das estratégias de biossegurança, distanciamento social, restrições de ocupação e atividades de limpeza e desinfecção, como as políticas para higiene das mãos estabelecidas.

Nesse âmbito, compilamos algumas recomendações que ajudarão as organizações a adotarem medidas preventivas para um retorno seguro ao trabalho por meio de tecnologias de identificação.

Prepare o local de trabalho

Embora várias restrições já tenham sido evocadas para empresas e áreas públicas na maioria dos países da América Latina, antes de qualquer retorno à vida profissional, faça um estudo completo da edificação ou dos escritórios. Faça a si mesmo as seguintes perguntas: quais colaboradores, contratados ou visitantes irão retornar? Quando e sob quais medidas?

Como regra geral, inicie reintroduzindo não mais do que 30% de seus colaboradores nas instalações.

Considere a possibilidade de modificar o layout do escritório para obter uma distância adequada entre divisórias, estações de trabalho e colaboradores. Além disso, defina adequadamente as entradas, saídas e corredores de passagem, de preferência projetando-os para serem utilizados em um único sentido.

Embora essa questão da densidade e do número de colaboradores dependa das necessidades de cada instituição e, principalmente, das dimensões e características do ambiente de trabalho, existe uma tecnologia que pode auxiliar os administradores a gerenciar esse pessoal.

Uma forma simples de realizá-lo é através de um sistema de gerenciamento de visitantes: incorporar uma plataforma que possibilite a implementação de fluxos de trabalho de forma digital, como o auto-registro de visitantes, a regulação de acesso, tanto a edificação quanto aos recursos informatizados da empresa; tudo isso dentro dos horários de trabalho e protocolos estabelecidos.

Automatize o distanciamento social no local de trabalho

Conforme os colaboradores retornam ao trabalho, encontre uma maneira de garantir que os protocolos de biossegurança sejam seguidos. Existe uma tecnologia denominada serviços de localização que aproveita dos ambientes de IoT (internet das coisas) para ajudar não apenas a localizar os usuários, mas também a criar regras internas para automatizar o distanciamento.

Se você é o administrador de uma edificação, pode definir políticas de distanciamento e parâmetros de alerta. Além disso, criar zonas com perímetros virtuais (em zonas geográficas reais) em torno de áreas de alto tráfego (salas de descanso, corredores, halls de entrada) para minimizar as aglomerações.

Complementarmente, esses serviços de localização possibilitam criar sistemas que alertam os colaboradores quando eles permanecem a menos de dois metros de distância de outra pessoa, por um determinado período de tempo.

Isso é possível graças à interação com outras tecnologias de localização, como balizas de segurança (conectadas via Bluetooth), que podem ser vinculadas às credenciais dos usuários, para fazer um registro digital completo da localização e do histórico das interações dos colaboradores durante o trabalho.

A gestão digital do distanciamento social é fundamental para promover as mudanças comportamentais necessárias para criar um ambiente em que os colaboradores se sintam seguros e confortáveis.

Reduza os pontos de contato

Antes de falar sobre os pontos de contato, é importante implementar políticas que garantam que os colaboradores, contratados e outras pessoas, sejam examinados antes e durante sua visita.

Verificar a temperatura, por exemplo, é obrigatório em muitas organizações, até várias vezes ao dia. Isso se aplica a interações nas áreas de entrega; dessa forma, tome o cuidado de estender as políticas e o monitoramento também a essas áreas.

Portanto, para manter os espaços seguros, é essencial reduzir os pontos de contato em superfícies comuns, como torneiras, portas, alças de cafeteiras, botões de elevadores, etc.

Existem diferentes soluções de acesso seguro que possibilitam criar uma experiência sem contato, como as portas automáticas, catracas, cartões de identificação e o acesso móvel.

O fato de portar uma identificação em um smartphone ou dispositivo móvel agrega muita comodidade para executar todos esses tipos de protocolos.

Existem empresas que já implementam sistemas para que os usuários possam autenticar-se com segurança em um estacionamento, uma catraca, um escritório ou até mesmo em um elevador, com uma mesma identificação móvel, sem ter que tocar em nenhuma maçaneta, botão ou leitora.

Esse tipo de tecnologia também possibilita a criação de soluções adicionais sem contato, que podem ser aplicadas em máquinas de venda automática, que não requerem o uso de dinheiro em espécie, além de utilizações como o registro de entrada, assistência ou acesso lógico em sistemas informatizados.

Porém, se por questões de segurança houver áreas que requeiram proteção de acesso biométrico, vale salientar que existem tecnologias biométricas de impressão digital que admitem a aplicação de produtos de limpeza com concentrações de até 70% em etanol ou isopropanol, garantindo a higienização dos dispositivos após cada utilização, sem comprometer a vida útil do aparelho, nem seu desempenho, nos casos em que o usuário tiver álcool em gel nos dedos.

Além da tecnologia

Por fim, outro ponto importante para empresas e negócios neste momento, é dispor de um aliado tecnológico que os auxilie no cumprimento dessas categorias de requisitos.

Por isso, quer se trate do gestor da edificação ou do responsável pelo fornecimento de tecnologia a uma empresa, é imprescindível manter uma comunicação proativa para garantir que as medidas adequadas serão adotadas.

Da mesma forma, é importante comunicar aos colaboradores sobre qualquer mudança de política, antes de implementá-la, assim como a razão por trás da nova medida.

Embora todos nós preferíssemos saber exatamente por quanto tempo a pandemia irá durar, a realidade é que estamos passando por um momento com muitas incógnitas. Consequentemente, embora não haja um prazo de vigência exato para a execução desses protocolos, os esforços das instituições para garantir que as pessoas tenham uma experiência mais segura, sem comprometer sua privacidade, ficarão na memória coletiva.

Podemos ainda ressaltar que, independentemente da problemática da pandemia, este tipo de solução continuará em vigor por muitos anos, graças aos seus benefícios tanto em termos de segurança, como de análise de dados, para otimizar os processos de trabalho.

Num momento socioeconômico único na história da humanidade, a inovação e a criatividade no desenvolvimento de soluções marcarão o diferencial e o rumo das empresas. Daí a importância de selecionar empresas com experiência e suporte para criar soluções que não sejam apenas eficazes, mas também intuitivas e inteligentes.

Notícias Relacionadas

Destaque

Grupo Prosegur lança solução de custódia de ativos digitais para mercado corporativo

O Grupo Prosegur lançou uma solução abrangente de gestão e custódia de ativos digitais chamada Prosegur Crypto. O serviço é…

Destaque

Intelbras realiza live para profissionais de segurança eletrônica

A Intelbras realiza no dia 24/11 um evento on-line exclusivo para profissionais de segurança eletrônica. Essa edição do future.now on-line terá…

Artigos

Dados são o novo petróleo! O que você tem feito com os seus dados?

Por Christian Visval e Fernando Só e Silva Estamos todos inseridos na denominada “revolução industrial 4.0” ou até melhor, na…