Condomínio Terra Nova aposta em câmeras de vigilância para conter violência em Palhoça

Quando estamos em nossas casas queremos ter a certeza de que estamos seguros e livres de qualquer ameaça. Por conta disso, os índices de segurança pública de um bairro são itens valorizados por quem busca um imóvel, principalmente em condomínios. A escalada crescente da violência assusta os moradores e faz com que a própria vizinhança busque soluções para resolver o problema.

É o que fez o Condomínio Residencial Terra Nova, localizado em Palhoça, Santa Catarina, e considerado um dos maiores da Região Sul e Sudeste do país. Os moradores resolveram investir em soluções de câmera de monitoramento e vigilância para tentar reduzir a criminalidade na região.

Nos primeiros quatro meses de 2018, a cidade registrou um aumento em diversas ocorrências em relação ao mesmo período no ano passado, de acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina. O tráfico de drogas puxou o aumento com 24,4%, os homicídios dolosos cresceram 18,8%, roubos 12,5% e estupros 6%. Apenas furtos tiveram uma queda de 10,1%.

“A presença de câmeras de vigilância naturalmente inibe atividades criminosas. Ao identificar que o local é fortemente monitorado, atividades como roubo e até casos mais graves tendem a não irem adiante por receio dos criminosos”, comentou Flávio Losano, porta-voz da Tecvoz.

A empresa é especialista no desenvolvimento de sistemas e produtos com foco no monitoramento e segurança digital e foi responsável pelos equipamentos utilizados no Condomínio Residencial Terra Nova. A instalação ocorreu Entre 2017/2018, e é fruto de uma parceria com a Lotus Segurança Privada, empresa de vigilância, segurança e monitoramento que atua na região.

Incomodados com o crescente número de ocorrências, os moradores passaram a ter uma aceitação acima de 80% após 03 meses de operação. No total, são 1274 residências atendidas por 108 câmeras no total. Ainda que as imagens não ficam disponíveis na nuvem, a Lotus garante o serviço de monitoramento 24 horas por dia.

Além de proteger as pessoas, o projeto também ajuda na valorização da área. Baixo índice de segurança pública na região é um dos principais fatores de depreciação de um imóvel. Pesquisa realizada pelo portal VivaReal, de compra e locação de casas e apartamentos, coloca essa questão como a segunda mais importante na hora de procurar uma residência, atrás apenas da distância em relação aos centros comerciais.

“Fechamos a parceria com a Tecvoz e fomos responsáveis por todo o projeto, infraestrutura, incluindo os postes e cabeamento, instalação. Desde então, a aceitação pelo sistema de vigilância é crescente por parte dos moradores”, e escolhemos a TECVOZ, pelos equipamentos de ponta, com muita qualidade e variedade em sua linha de produtos, as imagens ficaram com uma nitidez excelente, fazendo assim um grande case de sucesso, afirmou Dorival Junior, diretor de segurança da Lotus Segurança Privada.

Notícias Relacionadas

Destaque

Número de condomínios que utilizam portaria remota cresce 86% em 3 anos

Uma pesquisa realizada pela plataforma SíndicoNet em 2021 com 957 gestores de São Paulo mostra que 15,4% dos entrevistados migraram…

Destaque

Os três principais benefícios do vídeo inteligente para varejistas

Fala-se muito sobre como a análise de dados pode melhorar as operações de varejo. Mas, de acordo com Andy Martin,…

Destaque

Congresso ISC Brasil vai trazer novas tecnologias e tendências do setor de segurança integrada

Evento está incluído na pauta de atrações da exposição, que será presencial e realizada de 21 a 23 de setembro,…