Como a biometria está transformando o mercado de varejo

Varejistas utilizam cada vez mais a solução para maximizar a segurança e aumentar as vendas

Por Fernanda Ferreira

O mercado global de biometria foi avaliado em US$ 27,09 bilhões em 2020 e deve valer US$ 62,52 bilhões até 2026, segundo pesquisa realizada pela Mordor Intelligence. Um dos fatores que tem impulsionado essa previsão é a crescente adoção de dispositivos para realizar controle de acesso, validação, autenticação de compras, entre outros.

Um dos mercados que têm utilizado cada vez mais essa tecnologia é o varejo, tanto para aumentar a segurança de suas instalações e transações como para trazer uma experiência personalizada para o cliente.

Para falarmos mais profundamente sobre esse assunto, conversamos com Wladimir Alvarez, diretor sênior para a América Latina na HID Global.

Revista Segurança Eletrônica: Nos últimos anos temos passado por uma transformação tecnológica que tem mudado a forma de fazer segurança. Como tem sido essa evolução na parte biométrica?

Wladimir Alvarez: A biometria de impressão digital se consolidou como uma das formas mais seguras de identificação, sendo amplamente adotada em segmentos como varejo e serviços financeiros. Senhas e nomes de usuários são práticas básicas de segurança, porém pouco seguras quando não combinadas a outros fatores de autenticação como, por exemplo, a biometria. A tendência dos usuários é repetir senhas, utilizar nomes e combinações conhecidas, criando assim uma vulnerabilidade no sistema.

A biometria facial é uma evolução natural da tecnologia biométrica, pois oferece um processo de autenticação sem contato, elevando a experiência de clientes ou usuários, enquanto maximiza a segurança.

Revista Segurança Eletrônica: Quais são as formas de aplicação da biometria para o mercado de varejo?

Wladimir Alvarez: O varejo passou por profundas mudanças nas últimas décadas. À medida que os consumidores se sentiram mais à vontade em fazer compras online, eles passaram a exigir os mesmos níveis de conveniência, segurança e agilidade na compra presencial em loja física. As tecnologias biométricas aprimoram essa experiência, como também garantem que os varejistas estejam em conformidade com leis de proteção de dados. A transformação digital está acontecendo em um ritmo profundo e acelerado em todo o setor. Vencer nesse novo cenário requer mais do que uma nova tecnologia – exige um foco incansável no cliente e o compromisso de tornar cada interação personalizada, conveniente e segura. A biometria é atraente para os varejistas porque facilita exatamente isso. De acordo com a pesquisa da Epsilon, 80% dos consumidores são mais propensos a fazer uma compra quando as marcas oferecem experiências personalizadas. As tecnologias biométricas permitem que os varejistas reconheçam e forneçam exatamente o que cada cliente deseja, em escala.

Revista Segurança Eletrônica: E quais são os benefícios desta solução?

Wladimir Alvarez: Um dos benefícios mais importantes do reconhecimento biométrico facial no varejo é a capacidade da tecnologia de aprimorar a experiência do cliente. Com o reconhecimento facial, até mesmo uma experiência cotidiana, como fazer compras no supermercado, pode ser revolucionária. Os clientes que optam por se inscrever para uma experiência de compra por biometria facial simplesmente precisam registrar seu rosto. Depois disso, eles podem pegar o que precisam, passar por um terminal de autoatendimento e concluir a transação apenas mostrando a face. Não há necessidade de apresentar um cartão de pagamento ou dinheiro, toda a transação é rápida e completamente sem contato.

Revista Segurança Eletrônica: Como esta solução afeta a privacidade das pessoas?

Wladimir Alvarez: A biometria facial é considerada um dado pessoal sensível. Sendo assim, esses dados precisam seguir políticas de segurança rígidas, sendo indispensável que os dados sejam devidamente protegidos e sem riscos de vazamento, garantindo a privacidade e a segurança do usuário.

Revista Segurança Eletrônica: A biometria sem contato (touchless) foi uma das grandes responsáveis pelo crescimento do faturamento do mercado de segurança em 2021. Acredita que essa modalidade veio para ficar?

Wladimir Alvarez: Durante a pandemia os clientes optaram por transações sem contato e, dessa forma, o uso de reconhecimento facial ganhou espaço no varejo, tornando-se um diferencial competitivo e ganhando a preferência de clientes que buscam maior conveniência. Sendo assim, se trata de uma tecnologia que veio para ficar.

Revista Segurança Eletrônica: A autenticação por reconhecimento facial também tem sido cada vez mais empregada no setor bancário de maneira global. A HID Global tem cases neste sentido no Brasil? Como funciona e quais são as vantagens?

Wladimir Alvarez: Inicialmente, graças ao seu excelente custo e alto desempenho, a biometria de impressão digital dominou o cenário biométrico bancário. Mas os avanços recentes permitiram que o reconhecimento facial também entrasse no jogo, criando uma camada adicional de segurança. Diante desse novo conceito, um dos caminhos mais procurados pelos bancos tem sido o uso do duplo fator de autenticação (2FA), que utiliza as duas tecnologias: biometria facial e de impressão digital. A combinação da impressão digital e reconhecimento facial permite acesso rápido e seguro aos caixas eletrônicos, pois atende às necessidades intrínsecas do cliente: conveniência e segurança.

Revista Segurança Eletrônica: Quais inovações a HID Global está trazendo para o varejo no Brasil?

Wladimir Alvarez: Nossa abordagem modular permite uma integração fácil e rápida de reconhecimento facial sem a necessidade de remover, substituir ou migrar para uma nova plataforma.

Reconhecimento facial HID:

• HID U.ARE.U Camera Identification System O sistema de identificação de câmera HID fornece reconhecimento facial de alto desempenho com detecção de vivacidade passiva. Combinando imagens multiespectrais (MSI) com inteligência artificial (IA), as câmeras funcionam em condições de iluminação desafiadoras, desde luz solar intensa até condições de pouca ou nenhuma luz.

• HID DigitalPersona Biometric Software Development Kit (SDK) Oferecemos um SDK de reconhecimento facial completo para Windows, Linux, Android e iOS, com correspondência 1:1/1:N, liveliness detection, análise de qualidade de imagem e extração de modelos. O SDK permite que as empresas adicionem recursos de reconhecimento facial em aplicativos existentes com baixos custos de integração.

Notícias Relacionadas

Destaque

Número de condomínios que utilizam portaria remota cresce 86% em 3 anos

Uma pesquisa realizada pela plataforma SíndicoNet em 2021 com 957 gestores de São Paulo mostra que 15,4% dos entrevistados migraram…

Destaque

Os três principais benefícios do vídeo inteligente para varejistas

Fala-se muito sobre como a análise de dados pode melhorar as operações de varejo. Mas, de acordo com Andy Martin,…

Destaque

Congresso ISC Brasil vai trazer novas tecnologias e tendências do setor de segurança integrada

Evento está incluído na pauta de atrações da exposição, que será presencial e realizada de 21 a 23 de setembro,…