Câmeras termográficas podem detectar vazamentos de gás perigosos e evitar catástrofes

Vazamentos de gás em indústrias são mais comuns do que deveriam. Tanto indenizações quanto reposições de aparelhos e máquinas surgem como consequências, representando um prejuízo financeiro grande. Além disso, podem surgir tragédias ainda maiores, como ferimentos graves e até mesmo fatais.

Diante de todas essas questões, a tecnologia tem se mostrado essencial para evitar esse tipo de acidente. Atualmente, é possível prevenir os diversos danos que esse tipo de acidente pode trazer não só para uma fábrica, mas também para seus funcionários e para as pessoas que vivem nas proximidades.

Uma ótima opção são as câmeras infravermelhas de detecção de gases, que ajudam a detectar a presença de centenas de gases industriais, incluindo metano e hexafluoreto de enxofre. A FLIR, conhecida mundialmente pelo design, produção e comercialização de câmeras termográficas de infravermelho, é líder global em dispositivos capazes de detectar vazamentos de gás nas indústrias.

A adoção dessa tecnologia pode significar um importante investimento em segurança, tanto para as máquinas quanto para os trabalhadores das fábricas, explica o diretor geral da FLIR Systems para a América Latina, Macson Guedes. “Essa tecnologia é sinônima de economia financeira, devido à sua eficiência. Além de melhorar a segurança dos trabalhadores, elimina alguns grandes riscos, e isso se reflete nos ativos de uma empresa”.

A linha FLIR traz cinco opções de câmeras, que tornam possível examinar grandes setores de equipamentos com rapidez e analisar áreas difíceis de alcançar com as ferramentas tradicionais de medição por contato. Além disso, esses dispositivos conseguem detectar vazamentos a partir de distâncias seguras e são capazes de mostrar os gases invisíveis como nuvens de fumaça.

Por meio desses equipamentos pode-se detectar de forma clara vazamentos de hidrocarbonetos (FLIR GFx320), SF6 e Amônia (FLIR GF306), gás refrigerante (FLIR GF304), vazamentos em usinas siderúrgicas (FLIR GF346) e em geradores refrigerados a hidrogênio (FLIR GF343).

Lançamento

A empresa também lançou este ano a primeira câmera portátil de alta definição do setor, a FLIR GF620, concebida para profissionais da indústria de óleo e gás para a detecção e visualização de vazamentos invisíveis de hidrocarbonetos, como o metano e compostos orgânicos voláteis (VOCs) comuns.

Com quatro vezes mais pixels que os modelos anteriores, a resolução HD da GF620 ajuda inspetores a investigar emissões de hidrocarbonetos a distâncias maiores e mais seguras do que seria possível com as câmeras de resolução inferior.

Notícias Relacionadas

Destaque

Polícia de São Paulo adotará reconhecimento facial em investigações

A tecnologia de reconhecimento facial será usada por mais um órgão público. Segundo o Mobile Time, a Polícia Civil de…

Segurança Eletrônica

TS Shara lança linha de nobreaks para proteção de aplicações críticas de TI

A TS Shara, fabricante nacional de nobreaks e estabilizadores de tensão, anuncia o lançamento da linha de nobreaks, o UPS…

Destaque

Nova ferramenta potencializa a qualidade das instalações dos sistemas de vídeo

Dispor de uma visão global das melhores práticas para a instalação e implantação de soluções de vídeo confiáveis e escaláveis…