Transformação digital acelera desenvolvimento de cidades inteligentes

De acordo com o Distrito Smart Cities Report 2020, somente o Brasil já conta com 166 startups dedicadas à causa das cidades inteligentes, que receberam US﹩ 49,4 milhões em aportes no ano passado. A tendência é de que, em todo o mundo, essas empresas movimentem US﹩ 110,7 bilhões em receita até 2025 (dados Aksje Bloggen), um aumento de três vezes em cinco anos.

As startups de cidades inteligentes oferecem soluções inovadoras para os desafios urbanos, como ameaças à segurança pública e cibernética, trânsito, gerenciamento de energia e governança eletrônica. Um dos pilares que mais incentiva o desenvolvimento de cidades inteligentes é a transformação digital que vem em um processo de aceleração por conta da pandemia. Serviços que antes eram feitos presencialmente precisaram ser digitalizados, o que gerou uma necessidade de reorganização não apenas do setor privado, mas também do governo. Inclusive, em 19 de março de 2020, foi publicado o Decreto nº 10.278/2020, que estabelece procedimentos para digitalização de documentos públicos e privados, de forma que produzam os mesmos efeitos legais e tenham o mesmo valor que os documentos originais.

Vale destacar que o setor de serviços, segundo o IBGE, foi um dos mais afetados em 2020, com recuo de 4,5%. Nesse sentido, a digitalização é essencial para dar suporte às empresas na manutenção ou expansão das atividades no período de pandemia e distanciamento social, com impactos positivos no cenário macro.

Em linha com esse movimento, a Docket, legaltech fundada em 2016 que fornece ao mercado toda a infraestrutura para processos que dependem de documentação, de ponta a ponta, conta com tecnologia própria que garante agilidade, redução de custos, aumento no volume de operações e segurança para empresas de diversos setores da economia – Agronegócio, Serviços Financeiros, Construção, Infraestrutura e Energia, com um portfólio robusto de clientes. “Soluções sustentáveis vão garantir que as cidades inteligentes produzam maior valor econômico e social e consumam menos recursos, e a transformação digital é parte intrínseca desse movimento”, comenta o CEO da Docket, Pedro Roso.

A Docket vem registrando crescimento em média de 16% ao mês com grandes clientes. Presente em 75% dos municípios do Brasil e em expansão, a empresa tem em seu portfólio cinco das maiores tradings do agronegócio brasileiro, com mais de 30 mil operações otimizadas via plataforma da startup, e conta com uma base de usuários que corresponde a 15% das empresas listadas no Ibovespa – o mais importante indicador do desempenho médio das ações negociadas na B3, a bolsa de valores nacional. Os clientes utilizam a plataforma para acelerar operações como financiamento imobiliário, crédito agrícola, due dilligences home equity (empréstimo com garantia que possibilita cobrar juros mais baixos e pagamentos em prazos maiores), entre outras modalidades. Além disso, a Docket figura como destaque na Lista Govtech 2021 entre as únicas sete empresas brasileiras que mais geram impacto positivo no mercado espanhol e latinoamericano.

Notícias Relacionadas

Destaque

Amanhã não perca a LIVE de lançamento oficial do ULTRA by SoftGuard

Ficou curioso e quer saber mais? Vem comigo, que no caminho eu te conto! Com ULTRA você será capaz de…

Destaque

LGPD começa a gerar multas: veja como os condomínios estão se adaptando às novas regras de privacidade

Residenciais que usam tecnologias como biometria e leitura facial precisam ter regras claras e consentimento dos proprietários dos dados, dizem…

Segurança Eletrônica

Resistência ao mau tempo, visão noturna inteligente e cobertura de todos os ângulos; conheça as novas câmeras homologadas ao D-Guard

Time do D-Guard quer homologar o maior número possível de analíticos dos dispositivos integrados ao sistema Na primeira quinzena deste…