Outsourcing proporciona redução de custos e maior produtividade para o setor de segurança eletrônica

Já ouviu falar em outsourcing? Trata-se do uso estratégico de utilizar recursos externos para as atividades que são o foco da empresa. É praticamente designar serviços a terceiros, sendo que este trabalho demanda equipamentos, know-how e mão de obra especializada.

A empresa terceirizada passa a ser responsável por um setor específico da organização contratante, desempenhando um papel significativo na performance do negócio. E a companhia que contratou os serviços ganha em vantagem competitiva e redução de custos, uma vez que não precisa arcar com despesas estruturais, tecnológicas e trabalhistas.

Para se ter uma ideia da dimensão desta prática, o mercado global de terceirização de processos de negócios foi avaliado em US$ 245,9 bilhões em 2021 e está projetado para expandir a uma taxa de crescimento anual de 9,1% de 2022 a 2030. O segmento é impulsionado por fatores como o crescente foco das organizações em melhorar a eficiência e agilidade dos negócios, diminuir os custos operacionais e enfatizar as competências essenciais para sobreviver à dinâmica de negócios em constante mudança.

Porém, mesmo sendo um setor enorme e muito bem avaliado, ele ainda é pouco conhecido e aplicado no mercado de segurança eletrônica. Diferente de uma terceirização convencional, em que uma empresa realoca serviços de vigilantes, por exemplo, no outsourcing existe a aplicação de um conhecimento mais aprofundado sobre a área de atuação, com profissionais altamente qualificados e um suporte para decisões estratégicas.

“O mercado de segurança está cada vez mais competitivo e uma das áreas que consomem mais investimento e tempo dos profissionais é o setor operacional. Por isso, diversas empresas têm optado por deixar essa parte do negócio com uma empresa especializada, dessa forma eles podem se dedicar a maximização das vendas, otimização de produtos e serviços, inovações, relacionamento com os clientes, entre outros”, explicou Thiago Compri, especialista em segurança e diretor da Égide Service. “Ao contratar uma central de monitoramento terceirizada, a empresa de segurança consegue ganhar em produtividade, eficiência, flexibilidade, além de uma drástica redução de custos”, concluiu o especialista.

A Égide Service é uma das maiores empresas de segurança eletrônica que realiza outsourcing no país. Para saber mais como funcionam as soluções e como implementar os serviços, entre em contato com a Égide, acesse: www.egideservice.com.br.

Notícias Relacionadas

Destaque

Varejistas podem identificar tendências de roubo em poucos cliques com o Security Center Transaction Finder

Nova ferramenta de ponto de venda com análise baseada em exceção integrada à plataforma de segurança da Genetec ajuda varejistas…

Destaque

Grupo GR implanta deep learning e aponta cerca de 80% de redução em falsos alarmes

Tecnologia foi implantada nas câmeras da própria empresa e, após excelentes resultados, será disponibilizada aos clientes O Grupo GR tem…

Destaque

Alarmtek lança espuma neutralizadora para a segurança de áreas abertas

A espuma ATK NE 110 permite um jato direcionado que provoca ardência ocular e nas vias aéreas para frustrar a…