Os verdadeiros desafios para as cidades do futuro

Segundo a ONU, atualmente 55% das pessoas no mundo vivem em cidades de grande movimentação, e as previsões dizem que a concentração populacional aumentará até 13% em 2050. Ou seja, 68% da população viverá em áreas urbanas até 2050.

De acordo com a ONU (2018), São Paulo e a Cidade do México já estão na lista das 10 maiores aglomerações urbanas do mundo. Diante desse panorama, é necessário redobrar esforços para combater os desafios comuns nessas regiões, que se tornarão ainda mais urgentes nos próximos anos: altos índices de criminalidade e violência, pobreza e os efeitos das mudanças climáticas, como escassez de água e energia.

Uma cidade segura é uma cidade com maior potencial de desenvolvimento. As economias crescem, em grande parte, como fruto de investimentos e, à medida que a insegurança e violência aumentam, o interesse de apostas estrangeiras na região diminui. Esses fatores  alarmantes representam alto risco para a comunidade de investidores, que acabam deixando determinadas regiões fora dessa alavanca de desenvolvimento.

A tecnologia desempenha um papel fundamental no processo de evolução das cidades inteligentes. Não apenas para garantir a comunicação em momentos críticos e reagir rapidamente, mas para colocar dados e informações a serviço das agências de segurança pública como forma de antecipar e prevenir situações que ameaçam o bem-estar da população.

Isto implica dotar a cidade de recursos resilientes, abertos à inovação na solução de problemas e unir a tecnologia e a análise dos dados para atingir equilíbrio de crescimento. Sem dúvidas, o uso inteligente das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) promove qualidade de vida e melhor desempenho do trabalho. No entanto, é essencial dispor de um ambiente de segurança para o desenvolvimento das cidades, que permita que a população gere riqueza por meio de suas atividades econômicas.

Desde plataformas de comunicação que conectam unidades de atendimento 24 horas, tecnologias de Inteligência Artificial (IA) que ajudam a coordenar operações policiais, até segurança com análise de vídeo para salvar vidas de desastres naturais, são elementos-chave que devem funcionar em sintonia, totalmente conectados, em uma cidade do futuro.

Notícias Relacionadas

Destaque

Aplicações práticas do botão de pânico

Ainda há muitas empresas que não sabem exatamente como gerar novos negócios a partir dessa importante funcionalidade que é o…

Destaque

Lei Geral de Proteção de Dados entra em vigor no Brasil

A Lei Geral de Proteção de Dados entrou em vigor na última sexta-feira (18). É um marco legal que regulamenta…

Destaque

Inteligência artificial: quais os riscos que a tecnologia pode gerar?

Ainda que longe das representações pós-apocalípticas do cinema, o avanço da inteligência artificial (IA) no nosso cotidiano, seja na forma…