Intel lança sistema de reconhecimento facial

A Intel apresentou a solução RealSense ID, uma solução de segurança que combina um sensor de profundidade ativo com uma rede neural especialmente projetada para fornecer autenticação facial segura, precisa e com reconhecimento do usuário. O produto pode ser usado em controle de acesso, ponto de venda, caixas eletrônicos, quiosques e muito mais.

“O Intel RealSense ID combina hardware e software especialmente desenvolvidos com uma rede neural dedicada, projetada para fornecer uma plataforma de autenticação facial segura na qual os usuários podem confiar”, disse Sagi Ben Moshe, vice-presidente corporativo da Intel.

Com um processo de inscrição fácil e nenhuma configuração de rede necessária, o Intel RealSense ID oferece uma solução natural e precisa, que simplifica a entrada segura. Usando apenas um relance, os usuários podem desbloquear rapidamente o que é importante para eles.

O sistema combina profundidade ativa com uma rede neural especializada, um sistema dedicado no chip e um elemento seguro integrado para criptografar e processar os dados do usuário com rapidez e segurança.

Para garantir facilidade de uso contínua, o RealSense ID também se adapta aos usuários ao longo do tempo, conforme eles mudam as características físicas, como uso de barba ou óculos.

Segundo a empresa, como os métodos de autenticação tradicionais deixam os usuários vulneráveis ​​a roubo de identidade e violações de segurança, companhias e indivíduos estão recorrendo à tecnologia de autenticação facial para garantir os mais altos níveis de segurança e privacidade.

Em setores como finanças, saúde e controle de acesso inteligente, as empresas precisam de tecnologia em que possam confiar. O Intel RealSense ID possui tecnologia anti-spoofing incorporada para proteção de falsas tentativas de entrada, como o uso de fotografias, vídeos ou máscaras, e fornece uma taxa de aceitação falsa de 1 em 1 milhão.

Orientado para a privacidade e criado com o propósito de proteger o usuário, o Intel RealSense ID processa todas as imagens faciais localmente e criptografa todos os dados do usuário. A solução também só é ativada por meio da conscientização do usuário e não será autenticada a menos que solicitada por um usuário pré-registrado.

Fonte: Inforchannel

Notícias Relacionadas

Revista

Nova edição da Revista Segurança Eletrônica está disponível

A nova edição da Revista Segurança Eletrônica (abril/2021) está no ar! Nela trouxemos o case do banco Santander, que reformulou…

Destaque

23ª edição da EXPOSEC é adiada para 2022

Maior feira de segurança na América Latina, antes programada para junho deste ano, foi transferida para o período de 7…

Destaque

Homem processa polícia após ser preso por engano por falha em reconhecimento facial

Um homem entrou com um processo contra a polícia de Detroit, nos Estados Unidos, após ser preso por engano por…