Equipamentos para captura e processamento de imagens trazem precisão para a fiscalização nas estradas e praças de pedágio no fim de ano

Por Juliana Panisson

Entre os meses de dezembro e janeiro, o fluxo de veículos que trafegam pelas estradas federais e estaduais tende a aumentar. Diante disso, e a fim de contribuir com a segurança, melhorar o tráfego e reduzir o número de acidentes, as operações de fiscalização são ampliadas nas rodovias. Para esse monitoramento, as equipes policiais contam com a tecnologia, que traz mais eficiência e precisão nas informações. Além disso, sabemos que é quase impossível o efetivo policial estar presente em todos os pontos ao mesmo tempo. Em 2020, por exemplo, a Polícia Rodoviária Federal fiscalizou 80 mil quilômetros de rodovias.

O fato é que a tecnologia é decisiva para ampliar as possibilidades de fiscalização nas estradas brasileiras. E para abordagens mais efetivas as equipes policiais têm utilizado sistemas e equipamentos de captura e processamento de imagens que, hoje, são os principais aliados durante as operações.

Com a extração de dados em tempo real e por meio de algoritmos inteligentes é possível otimizar o trabalho da polícia e trazer mais segurança nas vias. Um estudo do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) observou uma queda de 30% no número de mortes nas rodovias federais, a partir da adoção de equipamentos tecnológicos.

O Código de Trânsito Brasileiro prevê três formas de operações – a presença dos agentes de trânsito, a sinalização vertical e horizontal e os equipamentos e dispositivos de tráfego. Sendo assim, essas soluções tecnológicas também refletem a presença do Estado nas rodovias.

Falando em fiscalização e tecnologia nas estradas, há também as soluções que auxiliam as concessionárias que administram as rodovias federais e estaduais no monitoramento de veículos. Sabemos que nesta época do ano, aumenta consideravelmente o movimento nos pedágios, com isso a taxa de evasão de veículos também é ampliada, o que é considerada uma infração grave, com multa no valor de R$ 195,23 e perda de 5 pontos na carteira, conforme previsto no artigo 209 do Código de Trânsito.

A infração é registrada por equipamentos que fazem a identificação da placa veicular, e o sistema de fiscalização Nevada, desenvolvido pela Pumatronix, faz o monitoramento dos veículos por meio de câmeras frontais e panorâmicas. Vale destacar que, em casos assim, não é preciso que um agente fiscalizador aborde o infrator para registrar a autuação.

A solução faz a análise de imagem e processamento OCR/LPR (leitura automática das placas dos veículos), garantindo imagens de alta qualidade e o registro das informações das placas de veículos infratores. Depois dessa identificação, os dados são enviados aos órgãos competentes para que a autuação seja feita.

A tecnologia ainda permite, graças ao desenvolvimento de algoritmos, utilizar a foto do veículo para extrair suas características, sem levar em consideração a placa. Normalmente, aqueles que praticam a evasão de pedágio utilizam artifícios, como colagem de adesivos, envelopamento ou mesmo pintura, a fim de esconder ou obstruir a placa no momento da passagem pelo pedágio.

Essa outra solução – o Compare – viabiliza a busca em bancos de imagens, fazendo uma analogia, funciona como o reconhecimento facial, só que é aplicado a veículos. Por meio do Compare, é possível buscar a similaridade de veículos com base em características como cor, modelo, horário, até que possa identificar a placa dele com fotos feitas em outros pontos por onde tenha passado com a placa correta. O índice de localização veicular chega a 80%, mas ainda pode ser ampliado se houver mais pontos de monitoramento, de preferência localizados perto de postos de fiscalização policial.

A aplicação desse sistema não é exclusiva para pedágios, o Compare também pode ser utilizado para agrupamento de veículos por características, busca de um veículo suspeito e operações de inteligência policial. O foco é sempre garantir a segurança e precisão para as fiscalizações, ainda mais nessa época do ano que, mesmo com as restrições de aglomeração, existe a expectativa de que o trânsito tenha um volume de fluxo maior, se comparado aos meses anteriores.

*Juliana Panisson é coordenadora de Marketing da Pumatronix, indústria brasileira que desenvolve soluções para ITS (Sistemas de Transporte Inteligente) de alta tecnologia na captura e processamento de imagens e leitura de placas de veículos (OCR/LPR).

Notícias Relacionadas

Artigos

A anatomia de um ataque cibernético

Por André Fleury Era uma quinta-feira, dez e meia da noite, e estávamos na segunda semana de trabalho incansável recuperando…

Destaque

Adistec Brasil encerra 2020 com bom desempenho e registra 10% de crescimento

A Adistec Brasil, distribuidora de valor agregado com foco em infraestrutura para Data Centers e Segurança da Informação, encerrou o…

Destaque

Oscilação de energia: saiba como proteger os aparelhos da sua casa e empresa

Por Maria Helena Garcia Imagine que a queda de um raio cause uma sobrecarga elétrica na sua empresa, comprometendo a…