Como prevenir invasões e roubos às propriedades rurais

Uma pesquisa realizada pela Confederação da Agricultura e Pecuária no Brasil (CNA), entidade que representa cerca de 5 milhões de produtores rurais brasileiros, mostra que furtos e roubos representam mais de 80% das denúncias feitas pelos produtores e fazendeiros no país. Matéria-prima, máquinas e equipamentos agrícolas são os principais alvos dos criminosos, que aproveitam áreas extensas, com mais pontos vulneráveis e sem qualquer tipo de monitoramento, para invadir.

Ainda de acordo com a CNA, roubos e furtos de insumos tem causado prejuízos bilionários ao agronegócio, passando de R$ 400 bilhões ao ano, alimentando assim o comércio ilegal desses produtos.

Em entrevista concedida ao Canal Rural, a produtora Luciane Francio disse ter sido vítima de três furtos, que resultaram em prejuízos milionários. “Em uma ocasião, levaram da propriedade US$ 500 mil em defensivos. A outra foi enquanto levávamos os produtos da cidade para a fazenda. Na última, foi fertilizantes: quando chegamos à propriedade, dentro do saco só havia pedras; o prejuízo foi de R$ 2 milhões”, relatou.

Casos como esse têm sido cada vez mais frequentes nos noticiários, principalmente devido à alta nos preços de matérias-primas, o que levanta o debate sobre a segurança em regiões como fazendas, usinas, silos e depósitos.

Por serem locais com grandes áreas, inserir centenas – ou até milhares – de câmeras por toda a extensão perimetral das instalações é um processo inviável devido ao alto custo de implantação, instalação e depois manutenção dos equipamentos. Além disso, nos períodos de chuva ou neblina, a captação de imagens fica comprometida, deixando os locais vulneráveis a invasões.

Para Hen Harel, especialista em segurança e CEO da Ôguen – empresa de tecnologias israelenses inovadoras, já existe uma solução de segurança perimetral capaz de cobrir milhares de metros quadrados com apenas um equipamento. “Trouxemos de Israel radares capazes de monitorar de 25 a 600 mil m² de área, detectar invasores e classificá-los como humanos, animais, veículos, drones, entre outros. Assim, caso os criminosos tentem roubar animais, máquinas ou insumos, a solução dispara uma notificação em tempo real para os responsáveis, que podem colocar em ação os planos de pronta resposta para impedir que a ocorrência continue, como enviar uma equipe de segurança até o local, acionar a polícia e até enviar um drone com alto falante informando que os ladrões estão sendo monitorados e que uma força policial está a caminho.

Segundo o especialista, a solução funciona mesmo em condições extremas de clima, como tempestades ou calor excessivo, mantendo a performance do equipamento e a vigilância ativa da instalação. Além disso, os radares exigem uma infraestrutura mínima de instalação – podendo transmitir os sinais via rádio e ser alimentado com energia solar; baixíssima manutenção (praticamente nula) e alta durabilidade. Toda a operação é 100% automatizada, com a detecção e classificação de alvos realizadas de forma automática, reduzindo a necessidade de rondas humanas pela propriedade.

TECNOLOGIA CONTRA INVASÃO E ROUBOS NO AGRONEGÓCIO

Nas imagens aéreas é possível ver um exemplo da solução de radares Magos aplicada em um projeto rural.

A esquerda, um sistema de segurança realizado com 44 câmeras bullets, 4 câmeras PTZ, 48 canais de VMS e 46 postes de montagem, tudo isso com cobertura muito limitada e com queda significativa de performance à noite e em condições climáticas desafiadoras. Essa quantidade de câmeras precisa de manutenção constante, como limpeza de lentes de teias de aranha e outros insetos, por exemplo.

Já à direita, um projeto realizado com radares Magos, contemplando 4 radares, 4 câmeras PTZ, 4 postes e 5 canais de VMS, reduzindo os custos de implantação pela metade e multiplicando várias vezes a área de cobertura de monitoramento. Os radares não requerem manutenção preventiva periódica, o que diminui a manutenção para somente 4 câmeras.

Para saber mais sobre como realizar um projeto de segurança perimetral preventivo e ativo, entre em contato com a Ôguen. A empresa é representante oficial da Magos no Brasil e conta com outras soluções que completam a segurança perimetral 3D, por terra, céu, mar e subsolo.

Para saber mais, acesse: www.oguen.com.

Notícias Relacionadas

Destaque

Varejistas podem identificar tendências de roubo em poucos cliques com o Security Center Transaction Finder

Nova ferramenta de ponto de venda com análise baseada em exceção integrada à plataforma de segurança da Genetec ajuda varejistas…

Destaque

Grupo GR implanta deep learning e aponta cerca de 80% de redução em falsos alarmes

Tecnologia foi implantada nas câmeras da própria empresa e, após excelentes resultados, será disponibilizada aos clientes O Grupo GR tem…

Destaque

Alarmtek lança espuma neutralizadora para a segurança de áreas abertas

A espuma ATK NE 110 permite um jato direcionado que provoca ardência ocular e nas vias aéreas para frustrar a…