Axis recebe liberação para venda de câmeras térmicas

A Axis Communications, criadora da primeira câmera IP térmica do mundo, anuncia que obteve liberação para comercializar alguns de seus modelos de câmeras térmicas e termográficas no Brasil. A medida reduz a burocracia e facilita a utilização dos produtos.

Obtido em Julho, o documento viabiliza a inclusão de determinados modelos de câmeras térmicas da Axis em projetos de videomonitoramento. Com isso, os mais de 3 mil integradores que participam do Programa de Canais da empresa no Brasil ficam livres da necessidade de obter o certificado para os modelos selecionados.

Para os demais modelos, segue sendo necessário o processo de Certificação das empresas e as devidas licenças de importação, e assim como ocorre em vários países, continua sendo exigida uma declaração do cliente quanto à finalidade da utilização.

A autorização para comercializar os modelos deve acelerar a adoção das tecnologias térmica e termográfica no Brasil. Ao contrário de câmeras visuais, que geram imagens a partir da luz, as câmeras térmicas geram imagens pela irradiação do calor de diferentes objetos, pessoas ou veículos, e independe das condições de luz ou clima.

As câmeras térmicas são muito utilizadas na proteção perimetral de condomínios, indústrias e escolas, e também em áreas sensíveis que exijam uma segurança 24/7, em qualquer condição climática. Já as termográficas indicam a temperatura de determinada área na imagem, podendo acionar alertas caso haja uma variação muito alta da temperatura (por exemplo, em subestações de energia ou em plantas industriais), acionando a equipe de manutenção antes de um acidente ou algo mais grave.

Para Sergio Fukushima, gerente de Novos Negócios da Axis, a autorização, que se aplica a seis modelos de câmeras térmicas e termográficas, irá elevar a qualidade dos projetos de segurança eletrônica no Brasil. “A tecnologia de câmeras térmicas IP foi criada pela Axis há exatos 10 anos, e já possui um grau de maturidade. Isso facilita o uso de analíticos de vídeo embarcados, e também a integração com outros dispositivos, como alto-falantes e câmeras visuais”, aponta Fukushima.

No Brasil, as câmeras térmicas também podem ajudar os clientes no atendimento de normas relacionadas à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Isso porque, ao gerar imagens a partir do calor e não da luz, torna-se impossível identificar ou reconhecer alguém. Essa proteção à privacidade é crítica em muitos ambientes e deve ser levada em consideração para futuros projetos.

As câmeras térmicas estarão disponíveis para comercialização através da rede de distribuidores da Axis no Brasil a partir de Agosto.

Notícias Relacionadas

Destaque

Pesquisadores de segurança enganam sistema de reconhecimento facial

Um time de pesquisadores da empresa de cibersegurança McAfee conseguiu enganar um sistema moderno de reconhecimento facial. Os especialistas divulgaram uma…

Destaque

HID Global apresenta tecnologia para automatizar o distanciamento social nos locais de trabalho

Conforme as organizações que fecharam no Brasil retomam suas operações, novos requisitos para criação de ambientes de trabalho seguros para…

Artigos

Transformação do sistema de videovigilância do setor bancário com tecnologia IP

Por Luis Miguel Dávila, Gerente de Vendas e Engenharia da Hanwha Techwin para a América Central A capacidade dos sistemas…