Volta às aulas: conheça tecnologias para escolas mais seguras

Controle da retirada de alunos, gestão do acesso de funcionários, gestão de terceiros e controle dinâmico de alarmes e detectores são exemplos de funções que se tornam mais práticas e eficientes quando orientadas pela tecnologia

Nesta semana, milhões de crianças e adolescentes estão voltando às aulas em todo o país. Com eles, outros milhões de funcionários, entre professores, auxiliares, zeladores e tantos outros. Oferecer um ambiente seguro torna-se bem mais fácil e eficiente quando se tem acesso à tecnologia.

Controlar a retirada de alunos pelos responsáveis, controlar o acesso e o tempo de permanência de pessoas a diferentes ambientes, ganhar velocidade ao identificar quando e onde um alarme é acionado e com isso ter a informação correta para tomar decisões, são exemplos de situações que podem ser administradas com mais segurança e eficiência com o uso de recursos tecnológicos.

Para Silvano Barbosa, executivo na Senior Sistemas, especializado em sistemas de segurança, as soluções tradicionais, como alarmes, câmeras de segurança e controle de acesso são um apoio essencial no monitoramento de ocorrências dentro das escolas, mas podem ser mais significativas quando integradas a sistemas que administram informações em tempo real.

“Medidas preventivas, como instalação de sistemas de biometria, cartões de acesso e reconhecimento facial são exemplos de soluções eficazes,” afirma. “As informações geradas por essas ferramentas podem colaborar na  tomada de decisões. Um exemplo clássico é a liberação dos alunos na saída da escola. A decisão de como e com quem essa criança sai do ambiente escolar é da família, mas a escola pode aplicar regras de acesso e fazer essa gestão de forma automatizada, por exemplo”.

Segundo o executivo, o mercado já disponibiliza soluções como o Ronda, da Sênior Sistemas, que otimiza a segurança, evita falha humana através de automatização de processos e permite uma análise constante de dados para implementação de melhorias.

“Existe uma série de recursos digitais que garante proteção periférica nesses ambientes. Através de circuitos fechados de televisão que distribuem sinais de câmeras posicionadas estrategicamente para um ou mais pontos de visualização; controle de acesso com validação de documentação e escalada de trabalho; gestão de rotinas para ocorrências de não conformidades, gestão de terceiros para controle de acesso e jornada, além de acesso de alunos e veículos”, exemplifica.

O especialista da Senior destaca as principais frentes que um sistema de segurança digital para escolas assegura:

Entrada e saída de alunos

A hora da saída das crianças pode receber um importante apoio da tecnologia. Da mesma forma que é possível cadastrar pais e responsáveis com permissão para retirar os alunos, o inverso também acontece, sendo que responsáveis com medida protetiva por exemplo, podem ser barrados. Para agilizar a rotina, é possível instalar telas de chamamento nos espaços e anunciar quando um responsável chegou para buscar um aluno.

Controle de acesso
Os recursos para controle de acesso permitem cadastrar e criar faixas horárias para entrada e saída de todos que frequentam a instituição com regularidade, como alunos, responsáveis e funcionários, permitindo que apenas pessoas autorizadas ingressem. Atualmente é possível ter acesso a diferentes dispositivos de controle, como crachás, senhas, biometria ou reconhecimento facial.

“O acesso a áreas internas como laboratórios, cozinha e sala dos professores também pode ser controlado, automatizando permissões”.

Controle de veículos

Ao credenciar automóveis de funcionários e eventuais visitantes, a organização pode controlar informações sobre os veículos registrados, vagas de garagem e tempo de permanência

“Dessa forma, a identificação de qualquer irregularidade é monitorada em tempo real. Com um sistema integrado, o bloqueio de um veículo não cadastrado se torna muito mais ágil, prevenindo a tentativa de um desconhecido entrar em uma escola ou universidade, por exemplo”, comenta Barbosa.

Gestão de terceiros

Para que a segurança seja garantida tanto para a instituição de ensino quanto para o prestador de serviço terceirizado, controlar acesso das pessoas é essencial. Esse recurso ajuda na administração da documentação dos profissionais, controle de informações como tempo de permanência das pessoas e tipo de serviço que será prestado, melhorando o nível de gestão, especialmente em relação à validade dos certificados e permissões.

“Por meio de cadastros e documentações atualizadas, os usuários recebem notificações em caso de alteração ou documento vencido. Inclusive, o software bloqueia o acesso automático em caso de inconformidades. Essa rapidez ao vetar a entrada de um indivíduo garante que apenas pessoas em situação regular acessem a unidade, mantendo o fluxo mais seguro”, finaliza Silvano.

Sensores e Alarmes

Um dos grandes facilitadores da tecnologia é integrar informações em um único ambiente. Especialmente em escolas que costumam ocupar grandes espaços, ter um grande número de salas e ambientes, gerenciar sensores, alarmes, botões de pânico com velocidade é essencial. Saber o que está ocorrendo e onde está ocorrendo em tempo real permite velocidade na tomada de decisões ou para solicitação de ajuda.

Notícias Relacionadas

Destaque

CT HUB anuncia Thiago Pavani como novo Head Comercial

O CT HUB está orgulhoso em anunciar a contratação de Thiago Pavani como seu novo Head Comercial. Com mais de…

Destaque

HID e parceiros tecnológicos líderes introduzem credenciais móveis na Google Wallet para funcionários, inquilinos e visitantes

Smart Spaces e Cohesion fazem parceria com a HID para oferecer acesso conveniente e seguro a espaços e sistemas do…

Destaque

Segurança do Web Summit Rio será realizada pela SegurPro pelo segundo ano consecutivo

Com base no conceito de Segurança Híbrida, o esquema desenvolvido pela empresa contará com profissionais habilitados para atuação em grandes…