Você já parou para pensar: A minha empresa tem uma marca ou um logo?

Eu já ouvi milhares de vezes na minha vida pessoas afirmarem: a minha empresa tem um logo bonito ou a minha empresa tem um logo em Corel. Mas afinal o que é logo e o que marca? Talvez você deve estar se perguntando, mas não é tudo igual?

Quando falamos de um logo estamos falando de um símbolo. Na época das cavernas ou até mesmo na idade média usavam-se símbolos para marcar que alguma coisa tinha um dono ou alguém passou por ali. Muitas empresas quando estão em um processo de concepção deixam o logo para última etapa, porém isso pode impactar no erro de ter simplesmente um desenho nos seus materiais que as vezes é criado até no word. Este “desenho” que muitas vezes será chamado de marca erroneamente não vai trazer relação ao negócio, desta forma não o ajudará no processo de reconhecimento de marca.

Muitos estudiosos usam várias formas de explicar o que é uma marca desde matrizes complexas e estudo que envolvem até a neurociência, porém neste artigo eu não quero falar de maneira complicada, e sim sintetizar como é possível criar uma marca de sucesso no mercado de segurança. O início para transformar um logo em uma marca é imaginar ela como uma pessoa. Sim, as marcas são basicamente pessoas físicas que foram criadas por empresas. Vou demonstrar isso de uma maneira muito fácil, basta você mentalizar uma pessoa que atendeu você ou um membro próximo da sua família com total carinho, conhecimento e orientação verdadeira. Lembrou? Então, transfira a imagem dessa pessoa para uma marca que você pensa em lançar para a sua empresa de consultoria em segurança. Veja que você terá alguns elementos como personalidade, voz, jeito, olhar, etc. Em outras palavras, você deve dar vida a sua marca através desse trabalho personificação. Assim como você tem planos para sua vida e uma missão aqui na terra, a sua marca deve ter o mesmo e deve ter sua vida própria. Por isso que marcas como Red Bull simbolizam liberdade, juventude, viver a vida e desbravar o limite, em outras palavras é uma pessoa.

Por fim, neste meu primeiro artigo, caso você só tenha um logo, analise-o e veja se ele tem vida, elementos e propósitos. A sua marca precisa ter missão, cores, formas de desenho, imagens que a simbolize, linguagem, 3 palavras-chaves, sentimento, logo que a represente, filosofia de venda, filosofia de atendimento, etc. Não é difícil, basta você entender as dores do seu cliente, e assim criar uma marca (personificação) que vá de encontro as necessidades. Depois de muito tempo, você pode fazer uma pesquisa de marca que basta envolver pelo menos 10 clientes. Neste momento pergunte ao seu cliente “Se a minha marca fosse uma pessoa quem ela seria?”. Se o seu cliente apontar algum famoso que tenha relação com o que você pensou na época, bingo, você conseguiu criar uma marca com vida, com objetivo e sucesso.

Edson Santos

Edson Santos

Coach, Palestrante e Especialista de Branding com Pos-graduação em Gestão Estratégica de Marca pela FIA/USP e graduado em Propaganda e Marketing pela UNIP. Possui mais de 15 anos de experiência na área de marketing e vendas, e atua no mercado de tecnologia há mais de 10 anos.

Notícias Relacionadas

Artigos

Caro? Nem tanto!

É muito comum quando estamos vendendo produtos e serviços com preços acima da média do mercado ouvirmos a objeção: “Seu…