Verisure lança ZeroVision: escudo de fumaça criado para intervenção imediata em caso de invasão para afugentar invasores

Tecnologia passa a integrar o sistema de monitoramento da empresa com o objetivo de dificultar cada vez mais a ação de invasores

Dados do Barômetro de Segurança da Verisure, referência em alarmes monitorados na Europa e no Brasil, identificaram mais de 6.400 invasões a comércios e residências até o início de outubro de 2023. A maioria das ocorrências em comércios foram registradas no momento de ausência de pessoas, nas madrugadas. Enquanto nas residências, acontecem pelas tardes, entre 12h e 14h, quando seus moradores estão possivelmente em seus locais de trabalho. Neste cenário, a Verisure lança o ZeroVision, o primeiro dispositivo no mercado nacional integrado a um alarme monitorado que, devido à ação da Central de Monitoramento profissional que atua 24 horas, permite uma intervenção imediata diante de uma invasão ao criar um escudo de fumaça para bloqueio de visão.

O dispositivo é lançado também como resposta à preocupação dos consumidores. De acordo com levantamento encomendado pela Verisure para a Kantar, 88% dos brasileiros possuem medo de roubos a residências. Os principais motivos citados por clientes residenciais e de negócios para contratar um sistema de alarme foram “atuação rápida e aviso a polícia em caso de incidente” e “manutenção feita por equipe de profissionais 24h”. Neste contexto, o ZeroVision soma-se ao sistema de monitoramento integrado da companhia ao trazer uma barreira visual imediata e complementar ao acionamento dos órgãos de segurança após a Central de Monitoramento de Alarmes comprovar a veracidade de uma invasão.

“A Verisure fez um investimento de € 6 milhões para a criação desta tecnologia inovadora em abrangência mundial, sendo a primeira empresa a oferecer uma solução de resposta rápida no momento de uma intrusão. O ZeroVision nos possibilita mais uma forma de intervir diante da ação de invasores”, ressalta Henrique Dal Bo Chimara, diretor de operações da Verisure no Brasil.

O escudo criado pelo dispositivo não é tóxico e, ao ser ativado, é capaz de ocupar até 70 metros quadrados em um minuto. A fumaça impede que o invasor enxergue o ambiente com o propósito de afugentá-lo.

“Se trata de um dispositivo diferenciado para o mercado de segurança. Até então, as pouquíssimas soluções existentes no setor voltadas a impedir a visão de criminosos demandam uma instalação complexa, de alto custo e sem apoio de um sistema monitorado de forma integral”, explica Chimara.

A equipe de engenheiros da Verisure, localizadas na Suécia e na Espanha, trabalhou por mais de dois anos no desenvolvimento do ZeroVision, criado para complementar a ação dos órgãos competentes, visto que atua imediatamente quando uma invasão é detectada.

Vale pontuar, ainda, que a tecnologia não oferece riscos à saúde e está descartado, também, o risco de disparos acidentais, visto que só pode ser ativada pelo profissional da Central de Monitoramento de Alarmes, após a comprovação de uma invasão.

Sobre o Barômetro

Utilizado como ferramenta de acompanhamento da companhia, que compila os dados sobre os dias e horários em que a Central de Monitoramento de Alarmes recebe mais alertas e detecta tentativas de invasões em clientes nas capitais onde atua.

Notícias Relacionadas

Artigos

De onde vem essa tal de I.A.?

Por Nicolau Ramalho E essa tal de Inteligência Artificial? Novidade? Tendência? Moda? Será que é passageiro? ChatGPT, WatsonX, Bard. Inteligência…

Destaque

SegurPro investe em eletrificação da frota de veículos operacionais na Unilever

A multinacional de bens de consumo foi a primeira cliente da SegurPro no Brasil a adotar o uso de carros…

Destaque

Lei de Informática: instrumento de política industrial que beneficia produtos nacionais de segurança eletrônica

A Lei de Informática, Lei nº 8248/1991, também conhecida como Lei de TICs, é uma política que desde a década…