Veja quais são os analíticos embarcados que funcionam no D-Guard e como podem ser usados

Com mais de 30 analíticos de vídeo embarcados, o D-Guard Center/D-Guard Projects, software da Seventh para gerenciamento de imagens, deixa o sistema de videomonitoramento mais assertivo. Com essa inteligência artificial aplicada, se algo suspeito acontece no ambiente monitorado, a câmera capta o evento e gera um alerta para o operador da central para que a situação seja verificada, ou seja, tratar a exceção.

São vários analíticos embarcados, do abandono de objeto ao veículo não motorizado detectado. Isso significa que o D-Guard permite o uso desse tipo de inteligência de equipamentos integrados à solução da Seventh. E de forma gratuita, sem a exigência de novas licenças. Antes de ver quais são é preciso entender como trabalham. 

Como Funcionam

Essa inteligência artificial é usada para identificar situações fora do padrão de comportamento ou um comportamento específico. Por exemplo, um objeto removido do lugar, uma mudança de cenário ou alguém que passou em um local que não deveria ser acessado por ninguém. Confira nas imagens abaixo.

O primeiro quadro traz um exemplo de objeto removido. Repare que foi feita uma demarcação na imagem, especificamente onde está uma cadeira. Quando esse analítico é ativado, se alguém tirar a cadeira do lugar, ou seja, de onde está a marca feita pelo operador da central, o D-Guard vai enviar um alerta para o operador imediatamente, já que houve modificação naquele espaço determinado.

Já o segundo quadro traz uma linha azul no chão, perto da porta, que representa a barreira virtual. Neste caso, o alerta vai ser gerado se alguém ultrapassar a linha virtual, feita por quem opera o D-Guard. Veja, então, o guia de quais analíticos embarcados de equipamentos funcionam em conjunto com a solução para videomonitoramento da Seventh e como podem ser usados.

1 – Abandoned (objeto abandonado): usado para detectar coisas abandonadas em uma área determinada pelo sistema.

2 – Cross Line (cerca virtual): configurado em perímetros por onde não devem circular veículos ou pessoas. Caso contrário, quando alguém ou carro, por exemplo, encosta ou ultrapassa essa cerca, um alerta é gerado.

3 – Defocus Alarm (alarme de desfoque): quando a câmera fica desfocada, seja por conta da temperatura externa do ambiente ou por algum defeito, gera um alerta para o operador.

4 – Detecção de humano/veículo: o evento faz a distinção entre pessoas e veículos, gerando alerta apenas com a confirmação se foi um veículo ou um humano que ultrapassou a linha.

5 – Detection Excess People Area (detecção de excesso de pessoas): usado para detectar aglomeração de pessoas dentro de uma área demarcada.

6 – Face Detected (rosto detectado): quando uma pessoa procurada ou desaparecida, por exemplo, passa por uma câmera onde há essa configuração, o dispositivo faz o reconhecimento e envia um alerta à operação. 

7 – Face Recognized (rosto reconhecido): detecta o rosto de pessoas que tenham autorização para acessar espaços. Ou seja, pode ser utilizado para autorizar/permitir a entrada em ambientes através do reconhecimento facial. 

8 – Face Unrecognized (rosto não reconhecido): informa quando um rosto não é reconhecido no dispositivo e envia um alerta à operação.

9 – Fight Detection (detecção de briga): usado para a detecção de brigas em bares, restaurantes (locais fechados) para que a operação possa tomar as atitudes recomendadas, como acionar apoio tático de maneira mais ágil.

10 – Human Detection (detecção de pessoas): detecta as pessoas que estão na região demarcada.

11 – Intrusion (intrusão): recomendado para demarcar uma determinada área onde não pode haver a intrusão de pessoas local. Usado em lugares de acesso restrito.

12 – License Plate Recognition – LPR – (reconhecimento de placas de veículos): utilizado para fazer o reconhecimento de placas. Quando uma placa tem autorização, a entrada do veículo pode ser liberada automaticamente.

13 – LPR (sentido errado): informa à central quando um veículo está no sentido contrário da via (contramão).

14 – LPR (congestionamento de veículos):  usado para identificar congestionamento em vias ou em cancelas de estacionamentos. O alerta chega à central que, a partir disso, pode deslocar uma equipe para verificar o problema.

15 – LPR (estacionamento): gera um alerta quando um veículo para (estacionar) na via.

16 – LPR (velocidade estimada): traz dados de velocidade estimada de um veículo que passou no local monitorado.

17 – Line Crossing (cruzamento de linha): usado para determinar até que ponto as pessoas podem ir em um determinado ambiente. Caso a linha traçada pelo programa seja ultrapassada, o operador é imediatamente alertado.

18 – Motion detect (detecção de movimento): gera um alerta caso em algum ambiente controlado detecte movimentação.

19 – Object Removal (objeto removido): usado em áreas onde há objetos ou produtos de valor agregado. Se houver a remoção, o operador do sistema recebe um alerta. Exemplo: retirada de um equipamento, produtos importados etc.

20 – Region Entrance (entrada de região): usado para verificar pessoas que vão entrar em uma determinada região que precisa de autorização.

21 – Region Exiting (saída de região): verifica pessoas que vão sair de uma determinada região que precisa de autorização.

22 – Scene Change (mudança de cenário): usado em casos de mudança de câmera. Exemplo: um suspeito nota o monitoramento no local e desvia a câmera para que a ação dele não seja detectada pela câmera.

23 – Stay Detection (detecção de permanência): usado para detectar uma pessoa ou objeto em permanência durante um determinado tempo no local.

24 – Tumble Detection (detecção de queda): usado para detectar queda de pessoas em uma área demarcada pelo operador, como uma escada (hospital), por exemplo, onde há grande fluxo de pessoas e idosos.

25 – Unattended Baggage (bagagem desacompanhada): usado para detectar bagagens deixadas em uma área demarcada.

26 – Video tampering (adulteração de vídeo): usado para detectar adulteração da posição da câmera de monitoramento. Exemplo: pode gerar alerta se uma pessoa movimentar o equipamento ou tapar a lente com a mão.

27 – Video lost (perda de vídeo): informa à operação quando acontece a perda de vídeo de um dispositivo.

28- People counting (contagem de pessoas): conta o número de pessoas em um ambiente. Em um supermercado ou shopping, o recurso é utilizado quando é necessário realizar a contagem de pessoas que entraram ou saíram do espaço.

29 – Temperature alarm (alarme de temperatura – febre): muito usado neste período de pandemia, detecta a temperatura corporal de pessoas que passam pela câmera e envia alertas à operação, caso as pessoas estejam com febre, por exemplo.

30 – Temperature pre-alarm (alarme de temperatura): neste analítico, uma temperatura, seja de pessoa ou equipamento, é pré-definida no D-Guard. Quando passa desse valor estabelecido, gera um alarme.

31 – Vehicle detection (detecção de veículo): faz a detecção de veículos em uma área demarcada.

32 – Non-motor detection (detecção de veículo não motorizado): usado para a detecção de veículos não motorizados (bicicleta, skate, carroça etc.) em locais onde não pode haver esse tipo de circulação. Exemplo: restaurante, shopping, lojas e calçadas.

33 – People detection (pessoa detectada): usado para detectar pessoas que não podem estar em um determinado local.

34 – Abnormal video detection (detecção de vídeo anormal): usado para potencializar a segurança de locais, pois detecta anormalidades como alguém sacando uma arma, pessoa levantando os braços e invasão de locais. Também identifica o uso de bicicleta/skate em locais exclusivos para pedestres.

Os nomes dos analíticos embarcados foram mantidos em inglês, com as devidas traduções, porque em alguns equipamentos esses recursos estão no idioma estrangeiro. Além disso, não existe um padrão para a nomenclatura dos analíticos, ou seja, os dispositivos podem trazer nomes diferentes para uma mesma função.

Os eventos descritos acima são gerados diretamente na tela do D-Guard, por ser uma tecnologia embarcada, ou seja, originada diretamente pela inteligência de equipamentos como câmeras IP (ligada em rede), DVR’s (gravador de vídeo digital) e NVR’s (gravador de vídeo em rede). A funcionalidade é de total responsabilidade do fabricante.

A tecnologia de mais de 8.200 equipamentos pode ser usada em conjunto com o D-Guard. Confira aqui a lista de integrações e veja se seu equipamento está homologado e se o recurso de vídeo análise está disponível para o seu dispositivo. O Situator Center/Situator Projects, solução da Seventh para controle de acesso, portaria remota e gestão de eventos (PSIM), quando integrado ao D-Guard, também pode receber os alertas desses analíticos.

Notícias Relacionadas

Destaque

Grupo ASSA ABLOY Brasil reposiciona Vault para ASSA ABLOY Controle de Acesso

A mudança mira no fortalecimento da operação A Vault, empresa de tecnologia que atua há mais de vinte anos desenvolvendo barreiras…

Destaque

Volta às aulas: como a tecnologia pode minimizar os riscos de transmissão da covid-19 com o retorno das atividades presenciais

Com o aumento do número de vacinados contra a covid-19 no Brasil, volta a discussão sobre o retorno das aulas…

Destaque

Intelbras é ganhadora do Prêmio Lide SC 2021

Empresa recebeu o reconhecimento na categoria Tecnologia e Inovação A Intelbras foi a ganhadora do Prêmio Líderes de Santa Catarina 2021 na categoria Líder…