Tecnologia e gestão de pessoas são essenciais para combater os furtos internos

Para investir em tecnologia, é preciso, segundo Ungarello, que o varejista faça uma avaliação dos seus principais pontos de perdas

A Pesquisa de Eficiência Operacional 2024, elaborado pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), apresentou os principais indicadores de performance do varejo alimentar. O índice de eficiência operacional, de 98,13%, é um pouco menor do que o registrado no último levantamento, quando obteve 98,21%. Mas o que mais chamou a atenção e preocupa os varejistas é a diferença na oportunidade de ganhos quando o quesito avaliado é o furto interno, que passou de 17% para 23%.

“O varejista muitas vezes não quer acreditar, mas o problema é real e existe. Funcionários mal-intencionados são levados a cometer delitos pela oportunidade, crise econômica, benefícios pouco atrativos e desonestidade mesmo”, diz Uilton Ungarello, diretor da Solutions four Business (S4B – www.sfourb.com), empresa que oferece uma série de soluções e serviços com meta para escalar o negócio, otimizar processos e melhorar a experiência dos clientes.

Para combater os furtos internos, dois pontos são essenciais: usar a tecnologia e promover um bom trabalho de gestão de pessoas. “Atuando nas duas frentes, os benefícios são enormes e vão da redução das perdas ao melhor alinhamento entre as equipes de trabalho”, explica Ungarello. “Qualquer tipo de perda acarreta uma menor receita para a empresa, o que compromete o faturamento e seu lucro financeiro”, completa.

Para investir em tecnologia, é preciso, segundo Ungarello, que o varejista faça uma avaliação dos seus principais pontos de perdas. No caso dos furtos internos, aponta o executivo, eles costumam ocorrer com mais frequência nas áreas de estoque e trocas de mercadorias, além da frente de caixa. “Para esses pontos as soluções mais indicadas são o CFTV, inclusive aquele que atua integrado ao monitoramento no PDV, e o controle de acesso. O EAS, com antenas e etiquetas antifurtos, também é recomendável”, afirma o diretor da S4B.

Na 6ª Pesquisa de Perdas no Varejo Brasileiro, elaborada pela Associação Brasileira de Prevenção de Perdas em 2023, o CFTV liderava o ranking de soluções para reduzir as perdas, com 96,99%, à frente dos alarmes de presença (63,25%), ferramentas de BI (58,43%) e controle de acesso (54,22%). O EAS foi citado por 40,36% dos participantes. “A tecnologia, quando bem aplicada, auxilia o varejista grandemente na elaboração de processos e tomadas de decisões baseadas em informações muito assertivas”, diz Ungarello.

O diretor da S4B também remete à necessidade de promover campanhas de engajamento e propagação da cultura de prevenção de perdas nas empresas. “É uma maneira de reduzir os furtos internos, pois, além de demonstrar aos funcionários de que a companhia está atenta ao tema, também os estimula e valoriza com informação e capacitação”, diz. “O sucesso de um plano de prevenção de perdas depende da conscientização e engajamento de todos os envolvidos”.

Notícias Relacionadas

Destaque

Polícia Federal deve iniciar fiscalização a bancos após 1 ano da publicação da portaria sobre segurança privada

Neste mês, completa um ano desde a publicação da portaria que regulamenta iniciativas para aumentar a segurança da população, empresas…

Destaque

Auvo Lança Auvo Chat na Exposec 2024: Inovação em Comunicação para o Setor de Segurança Eletrônica

A Auvo, plataforma completa de gestão para equipes externas, confirma presença na Exposec 2024 e apresenta uma inovação ao público…

Destaque

Aeroscan e Performancelab na Exposec: onde a segurança e a eficiência se encontram

É com essa mensagem que Aeroscan e Performancelab juntas na Exposec reafirmam a integração de suas plataformas para aumentar o…