TBForte implementa treinamento de realidade virtual e deve formar mais de dois mil vigilantes para situações de ataque nesse formato até o final do ano

Metodologia de aprendizagem, inédita na América Latina, foi desenvolvida a partir de uma parceria com a FAPESP e a TIS Academy e consiste na avaliação individual remota dos profissionais

A TBForte, especializada em segurança e transporte de valores, que desenvolve soluções customizadas para garantir eficiência, autonomia e segurança para diversos setores, deve formar até o final do ano mais de dois mil vigilantes para atuar em situações de ataque. A solução, inédita na América Latina, será implementada por meio de um treinamento de realidade virtual.

A qualificação é resultado do projeto de educação continuada, desenvolvido em parceria com a empresa de tecnologia educacional, TIS Academy, e investimentos da FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). Desde 2020, esses órgãos atuam em parceria para criar e aperfeiçoar uma plataforma de educação corporativa baseada em realidade virtual e metodologias ativas para treinamento das atitudes dos profissionais de operação, mediante o uso das técnicas de OMD (Observação, Memorização e Descrição) e IDA (Identificar, Decidir, Agir).

Ao longo do ano de 2023, 20 vigilantes da TBForte participaram de testes realizados por meio de trilhas de aprendizagem e personalização do ensino, que evoluem de acordo com o desempenho individual de cada profissional ao longo das atividades.

“Funciona assim: se em uma determinada atividade a performance do profissional é classificada como moderada, por exemplo, ele não repete o exercício, mas passa para uma etapa adaptada de acordo com o seu rendimento e desenvolvimento na anterior. Dessa forma, o desenvolvimento de cada um se torna mais efetivo e dinâmico”, explica César Espírito Santo, gerente de segurança operacional na TBForte.

Um relevante diferencial desse modelo de treinamento em realidade virtual é a forma como os resultados das trilhas de aprendizado de cada profissional são armazenados: eles ficam disponíveis em uma plataforma, em nuvem, facilitando o treinamento remoto e a análise individual por meio das técnicas de people analytics. Dessa forma, é possível otimizar processos, reduzir o turnover e, consequentemente, reter talentos.

“É uma solução que vai ao encontro do ambiente inovador da empresa e das diretrizes das nossas equipes, que atuam sob rígidos padrões de qualidade e segurança, utilizando tecnologias para reduzir riscos e assegurar operações eficientes”, afirma Max Madruga, gerente executivo de risco e segurança na TBForte.

Para o coordenador do projeto, Prof. Dr. Antonio Valerio Netto, trata-se de um importante avanço pela criação da metodologia andragógica (ensino voltado para pessoas adultas), que solução tecnológica a um problema real do dia a dia das empresas de segurança privada.

“Estamos falando sobre a padronização da qualificação e avaliação do treinamento para um grande volume de profissionais, que estão distribuídos em diferentes regiões geográficas do país, e que precisam realizar o treinamento de forma individual e não em grupo, já que o intuito é evitar a ausência nos postos de trabalho”, finaliza.

Notícias Relacionadas

Destaque

Exposec 2024 é o maior palco das novas tecnologias em segurança pública e privada na América Latina

Maior feira internacional de segurança da América Latina acontece de 4 a 6 de junho, no São Paulo Expo; organização…

Destaque

Dahua Technology anuncia primeiro vice-presidente para operação Brasil

Francisco Menezes, com quase 20 anos de experiência na Huawei, assume vice-presidência da Dahua para ampliar novos negócios e vendas…

Destaque

Monitoramento veicular alerta para fadiga e uso de celular 

Sistema analisa imagens no interior da cabine e emite alertas para motorista e gestor de frotas Imagine um sistema de…