Submarino Titan: entenda a importância de criar e seguir processos de segurança

Há algumas semanas o mundo inteiro acompanhou a saga do submarino Titan, da empresa OceanGate, que iniciou uma expedição para visitar os destroços do Titanic, mas acabou implodindo após a perda de pressão na cabine, causando a morte das cinco pessoas a bordo.

O episódio chamou a atenção principalmente pela completa falta de protocolos de segurança. A empresa, que chamou o Titan de projeto experimental, segundo fontes especializadas, teve uma taxa de sucesso de apenas 14% em seus mergulhos, atingindo a profundidade desejada apenas em 13 das 90 vezes que realizou a expedição.

“É apavorante saber que uma companhia possa ignorar os procedimentos de segurança dessa forma. Tal negligência infelizmente acarretou no falecimento de todos que participaram, inclusive do próprio CEO da organização, que ignorou todos os riscos que eram reportados a ele”, comentou Fernando Só, especialista em segurança e CEO da Performancelab.

Para Fernando Só, é fundamental que as empresas tenham o total controle e gerenciamento de suas operações. “Todas as atividades de uma companhia, independente do seu porte ou segmento, precisam ter os seus procedimentos padronizados, desde uma pequena empresa de prestação de serviços até multinacionais com milhares de funcionários. Ao implantar essas medidas, é possível tangibilizar os processos, identificar não conformidades, evidenciar as atividades operacionais, mensurar o desempenho de cada área e até reduzir custos dos setores”, explicou o especialista. 

A Performancelab conta com uma plataforma de gestão que permite à liderança acompanhar remotamente o andamento das atividades operacionais da empresa. Em uma companhia de segurança patrimonial, por exemplo, o supervisor consegue controlar, medir e gerenciar os agentes em campo, ver o andamento das ocorrências, ter acesso em tempo real ao status de cada operação, entre outros recursos.

“Ter uma ferramenta de gestão do desempenho operacional é essencial para evidenciar, tanto para o contratante como para o prestador, que os serviços estão sendo entregues conforme estabelecido, incluindo um SLA. É uma maneira eficiente de padronizar processos, dar previsibilidade ao desempenho, transformar dados em informações e assim satisfazer e fidelizar o cliente”, finalizou Fernando.

Para conhecer mais sobre a Performancelab, suas ferramentas e tudo o que ela pode fazer pela sua empresa na prestação de serviços recorrentes, acesse: www.performancelab.com.br.

Notícias Relacionadas

Artigos

De onde vem essa tal de I.A.?

Por Nicolau Ramalho E essa tal de Inteligência Artificial? Novidade? Tendência? Moda? Será que é passageiro? ChatGPT, WatsonX, Bard. Inteligência…

Destaque

SegurPro investe em eletrificação da frota de veículos operacionais na Unilever

A multinacional de bens de consumo foi a primeira cliente da SegurPro no Brasil a adotar o uso de carros…

Destaque

Lei de Informática: instrumento de política industrial que beneficia produtos nacionais de segurança eletrônica

A Lei de Informática, Lei nº 8248/1991, também conhecida como Lei de TICs, é uma política que desde a década…