Segurança pública do Brasil: O papel das inovações tecnológicas

Por Camila Rissi

Não é novidade que temos enfrentado desafios complexos quando o assunto é segurança pública no Brasil. Mas enxergo que existe uma oportunidade gigante quando alinhamos tecnologia de ponta nesse setor com o simples objetivo de melhorar a segurança dos cidadãos e diminuir as altas taxas de criminalidade e violência urbana.

De acordo com o levantamento realizado pela CNN com base no Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2021, os investimentos em segurança pública já ultrapassam R$ 157,7 bilhões no Brasil. Esses dados mostram que há um potencial de mercado que precisa ser melhor explorado e as inovações tecnológicas emergem como ferramentas essenciais para enfrentar e superar diversos desafios que demandam desse segmento. 

Nesse cenário, a Inteligência Artificial (IA), desempenha um papel significativo na modernização e melhoria da segurança pública no Brasil, principalmente por fortalecer as operações policiais e melhorar a prevenção e resposta à segurança. Sua aplicação pode trazer inúmeros benefícios em diversas áreas, contribuindo para a prevenção, investigação e resposta eficaz a crimes.

Para se ter uma ideia, um estudo realizado pela Escola de Direito do Rio de Janeiro (FGV Direito Rio) para entender de que forma essas novas tecnologias impactam no funcionamento da justiça criminal, constatou que a tecnologia mais evidente no combate à criminalidade no Brasil são os drones, adotados por 63% das forças armadas, seguida das câmeras OCR, com 44%. O reconhecimento facial também possui um grande destaque entre as ferramentas tecnológicas, estando presente em 33% das ferramentas tecnológicas, seguido das câmeras nos uniformes dos policiais, que já são usadas em 22% das forças de segurança pública do país. Já o policiamento preditivo, capaz de aplicar modelagem por computadores a dados criminais passados, é utilizado em 7% dos estados.

Esses números reforçam a importância de implementar sistemas de monitoramento inteligentes como câmeras equipadas com reconhecimento facial e análise comportamental, pois isso possibilita uma vigilância mais eficiente e proporciona uma identificação rápida de atividades suspeitas. Atualmente, existem aplicativos móveis que permitem denúncias anônimas e facilitam a comunicação entre a comunidade e as autoridades que contribuem para a criação de uma rede de segurança colaborativa, além de empresas que usam da IA para aumentar a segurança pública. 

Por fim, é evidente que as inovações tecnológicas desempenham um papel crucial na modernização da segurança pública no Brasil. A implementação cuidadosa, combinada com políticas claras e participação da sociedade pode maximizar os benefícios da inteligência artificial na promoção da segurança no Brasil. Ou seja, ao adotar e integrar essas tecnologias de maneira responsável, as autoridades podem fortalecer suas operações, melhorar a prevenção e, consequentemente, proporcionar um ambiente mais seguro e protegido para todos.

Camila Rissi tem mais de 10 anos de experiência em projetos de consultoria em vendas B2B para empresas no Brasil e no exterior e atualmente é CEO e cofundadora da Monuv, uma plataforma com tecnologia 100% proprietária que tem como objetivo transformar qualquer câmera de segurança em um dispositivo inteligente.

Notícias Relacionadas

Destaque

Exposec 2024 é o maior palco das novas tecnologias em segurança pública e privada na América Latina

Maior feira internacional de segurança da América Latina acontece de 4 a 6 de junho, no São Paulo Expo; organização…

Destaque

Dahua Technology anuncia primeiro vice-presidente para operação Brasil

Francisco Menezes, com quase 20 anos de experiência na Huawei, assume vice-presidência da Dahua para ampliar novos negócios e vendas…

Destaque

Monitoramento veicular alerta para fadiga e uso de celular 

Sistema analisa imagens no interior da cabine e emite alertas para motorista e gestor de frotas Imagine um sistema de…