Residências ficarão cada vez mais inteligentes, mas cuidados básicos são fundamentais para garantir a segurança

À medida que as regras de isolamento impostas pela pandemia vão sendo flexibilizadas, aos poucos as pessoas retomam suas rotinas, assim como antigos problemas voltam a ser motivo de preocupação, como a falta de segurança, principalmente nas grandes cidades. Segundo dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública de São Paulo, em fevereiro foram registrados 18.951 furtos na capital, alta de 14,1% em relação ao mesmo período do ano passado, quando houve 16.261 ocorrências. O número de roubos teve uma pequena queda (2,6%), com 11.686 casos no segundo mês deste ano contra 11,999 incidências em fevereiro de 2021.

Além de câmeras de vigilância em casas e prédios que registram esse aumento na criminalidade, auxiliando a polícia na identificação de suspeitos, hoje existem soluções avançadas de monitoramento para residências que integram inteligência artificial, informação em tempo real, segurança interativa e vídeo inteligente, que podem analisar pessoas, animais e objetos em diversos ambientes, ativar e desativar alarmes e salvar imagens na nuvem – tudo a partir de um smartphone ou computador.

No entanto, cuidados básicos no dia a dia são fundamentais para coibir a ação de bandidos, principalmente fora de casa. “As residências serão cada vez mais inteligentes e seguras, porém a tecnologia deve ser aliada à conduta preventiva das pessoas”, alerta Venusto Dantas, especialista em segurança da ADT, empresa especializada no monitoramento de alarmes. Dantas cita como exemplo o modelo de vizinhança solidária, em que os moradores se comunicam por meio de grupos em aplicativos de mensagem para informar sobre situações suspeitas e locais com maior incidência de crimes.

A seguir, o especialista dá outras dicas para garantir a segurança de moradores e residências.

• Não exponha sua rotina: evite comentar com estranhos sobre seus horários. Procure alterar os trajetos de ida e volta e, em caso de perseguição, evite ir para casa e vá para lugares movimentados;

• Antes de sair, certifique-se de que as portas e janelas da casa estão fechadas e não deixe luzes acesas;

• Caso tenha telefone fixo na residência, programe-o para o modo ‘siga-me’. Dessa forma, qualquer ligação para sua casa será transmitida, automaticamente, para o número que você escolher;

• Evite cofres e grandes valores dentro de casa. Prefira deixar em empresas que armazenam esses itens, como bancos;

• Evite andar com telefone celular à vista, bem como utilizá-lo em locais de grande movimento;

• Fique atento à movimentação suspeita de veículos, como carros e motos que passam várias vezes na rua. Na dúvida, mude o trajeto;

• Evite deixar seu veículo na rua. Se sua residência não tem garagem, você pode alugar uma vaga na casa de um vizinho;

• Se a sua rua é mal iluminada, reúna seus vizinhos e acione a associação do bairro, a imprensa, etc. para exigir medidas dos gestores públicos. O mesmo vale para cobrar maior patrulhamento policial. Faça valer os seus direitos!

Notícias Relacionadas

Cases

Grupo Unidasul adota solução óptica Furukawa em centro de distribuição e em novas unidades no Rio Grande do Sul

Com a expansão de sua rede de supermercados Rissul e de atacarejos Macromix pelo estado do Rio Grande do Sul,…

Destaque

Datacenters precisam de vigilância RSA para garantir segurança

Esta ferramenta do Genetec Security Center combinado ao uso dos sensores existentes ajuda a lidar proativamente com ameaças antes que…

Destaque

Como a tecnologia pode aprimorar a segurança em cidades inteligentes?

Apesar de o conceito de cidade inteligente ser relativamente recente, ele já se consolidou como assunto fundamental na discussão da…