PositivoSEG explica diferenciais dos principais equipamentos de segurança eletrônica e dá dicas para montar um sistema eficiente

Câmeras de segurança (CFTV), sensores, alarmes, controles de acesso avançados e gravadores de vídeo estão entre os dispositivos mais importantes para manter uma empresa, residência ou condomínio totalmente protegidos

A tecnologia é uma aliada cada vez maior para garantir a segurança de empresas, escolas, condomínios e residências. Porém, com a ampla oferta de soluções, tanto usuários corporativos quanto finais muitas vezes se sentem despreparados para definir e adquirir sozinhos um sistema eficiente, que atenda todas as suas necessidades de forma prática e completa. Para ajudar nessa missão, a PositivoSEG, unidade de negócios de segurança eletrônica da Positivo Tecnologia voltada para o mercado B2B, explica quais os principais equipamentos de segurança eletrônica demandados na atualidade e dá dicas para as melhores tomadas de decisão.

“É importante ressaltar que, no caso de segurança eletrônica, as revendas, instaladores, integradores ou empresas de monitoramento serão fundamentais no processo de instalação dos equipamentos”, explica José Ricardo Tobias, diretor de IoT da Positivo Tecnologia e responsável pela PositivoSEG. “Qualquer consumidor deve se informar sobre os produtos adequados para garantir a segurança de seus ambientes antes de fazer a contratação de um serviço. Porém, esses dispositivos apresentam o conceito “Do it for Me” (DIFM), um processo amparado na comodidade da instalação profissional realizada para o cliente”.

Os equipamentos certos para cada situação

Um sistema de segurança eletrônica eficiente tem alguns equipamentos essenciais, como câmeras de segurança (CFTV), sensores, alarmes, controles de acesso avançados e gravadores de vídeo. Porém, essa gama de produtos atende a demandas que vão desde instalações básicas e com orçamentos limitados até grandes projetos com maior refino tecnológico e possibilidades de configuração.

“Antes de definir a aquisição dos produtos e contratação dos serviços é preciso entender as necessidades de cada projeto. Os equipamentos de segurança eletrônica são os pilares que sustentam a tranquilidade e a proteção de nossos negócios e dar esse passo, com certeza, é uma definição estratégica para qualquer perfil de cliente”, destaca Tobias.

Em linhas gerais, os equipamentos fundamentais podem ser listados da seguinte maneira:

• CFTV (Circuito Fechado de Televisão) – integra diferentes soluções de monitoramento com câmeras bullet, dome e fisheye (analógicas e IP);

• Alarme e sensores – engloba centrais de alarmes monitoradas, módulos de transmissão e comunicação, receptores para sistemas sem fio, teclados, além de sensores infravermelhos e de abertura, que inclui controles remotos;

• Controle de Acesso – dispositivos como leitores (biométricos, de cartões, tags), credenciais (cartões, tags, ou mesmo smartphones), barreiras (fechaduras, catracas, cancelas) e as controladoras.

• Redes e conectividade – produtos desenvolvidos para otimizar a infraestrutura de conectividade para projetos de segurança eletrônica, e compatíveis com outras linhas e aplicações.

No coração de um sistema eficiente, o CFTV e seus benefícios

Os sistemas de Circuito Fechado de Televisão (CFTV) podem ser considerados o ponto focal dentro da segurança eletrônica, já que consistem em câmeras estrategicamente posicionadas para gravar de forma contínua ou em resposta a eventos específicos. As imagens são transmitidas para um sistema central, onde podem ser visualizadas em tempo real ou arquivadas para posterior revisão.

“Os circuitos de CFTV são protagonistas porque fornecem evidências visuais que auxiliam na prevenção de crimes, melhoram a resposta a incidentes, aumentam a segurança geral e permitem descobrir falhas e eventos não testemunhados presencialmente”, explica o executivo da PositivoSEG. “Também podem servir para dar eficiência aos negócios, gerando analíticos como contagem de pessoas a fim de otimizar ocupação de varejos, por exemplo”.

Tipos de câmeras e suas características

Existem diversos modelos de câmeras de segurança. Entre as mais comuns estão, as móveis/speed domes (PTZ), a dome, a bullet e a fisheye, cada qual com diferenciais específicos para necessidades distintas.

• Dome: com alta performance, capta e processa as imagens com bastante clareza e riqueza de detalhes. São ideais para ambientes internos;

• Bullet: recomentadas para uso corporativo, são vistosas e projetadas para ambientes externos. Se destacam por inibir a ação de bandidos, inclusive por seus aspectos físicos que chamam a atenção;

• Fisheyes: captura um campo de visão muito amplo, em todas as direções e em tempo real. São ideais para o monitoramento completo de ambientes, como escritórios, lojas e farmácias.

• Speed Dome (PTZ): podem se mover tanto na horizontal como na vertical e disponibiliza zoom óptico de imagem. São indicadas para o monitoramento de grandes áreas;

“A escolha do tipo ideal depende diretamente das características do local e das necessidades do consumidor. De maneira geral, o que muda entre os tipos de câmera são o ângulo de visão, a resolução das imagens, a resistência a intempéries, o visual mais ou menos discreto e a possibilidade de movimentação e/ou zoom. Já sob o ponto de vista da tecnologia, existem, em todos os casos, modelos mais avançados, com mais ou menos recursos e diferentes faixas de preço”, detalha Tobias.

Os alarmes e seus diferenciais

Os sistemas de alarme fazem parte da primeira linha de defesa de qualquer sistema de segurança focado em evitar intrusões. Basicamente, por meio de sensores de movimento de barreiras e de abertura/fechamento, os alarmes são disparados a cada movimentação suspeita, emitindo avisos sonoros e visuais a equipes de segurança ou autoridades. Eles incluem recursos variados, como módulos de transmissão e comunicação, e receptores para sistemas sem fio.

“É uma ferramenta indispensável para usuários que buscam prevenções a roubos, vandalismo e invasões. Quando um bandido escolhe seus alvos, certamente a dificuldade a ser enfrentada será um ponto decisivo para a tomada da ação. Portanto, a presença de um sistema de alarme monitorado, informando uma central que pode oferecer atendimento tático, e também gerando efeito local de dissuasão por meio de identificação visual com placas e até mesmo sirenes, reduz drasticamente a chance de determinado local ser alvo desse tipo de iniciativa”.

Evolução constante

Entre as principais tendências da segurança eletrônica estão a integração com dispositivos inteligentes, recursos de IA (inteligência artificial) para reconhecimento facial, análise de comportamento, sistemas em nuvem, sensores avançados e soluções móveis. A tecnologia em constante evolução tem impacto direto na segurança da população e é preciso buscar opções de sistemas atualizados que, além de oferecer funções mais avançadas de proteção, também estejam preparados para inibir ameaças novas.

“O reconhecimento facial, por exemplo, está redefinindo o controle de acesso a qualquer ambiente, tornando-o mais seguro e conveniente do que nunca. O armazenamento de dados em nuvem é outro aspecto transformador nesse segmento, que garante a manutenção de todos os registros e, principalmente, possibilita o monitoramento em tempo real a partir de qualquer lugar, via sinal de internet”, lembra Tobias. “O usuário atento às evoluções tecnológicas certamente estará melhor protegido”.

Planejamento e suporte profissional são essenciais

Para reduzir os riscos de segurança, prevenir perdas, proteger pessoas e bens e contribuir para um ambiente mais seguro e produtivo, algumas dicas são fundamentais. “Mais do que investir em um bom sistema de segurança, os usuários corporativos e finais devem fazer um planejamento adequado de suas necessidades e escolher com atenção os equipamentos que atenderão as demandas do seu negócio ou residência”, pontua Tobias. “Uma dica essencial é buscar a instalação por profissional certificados, que garantam manutenção regular e façam as atualizações tecnológicas de tempos em tempos”.

Justamente por acreditar no papel fundamental das revendas especializadas e dos integradores na experiência final do usuário, a PositivoSEG investe e oferece um programa de relacionamento com canais de venda que conta com incentivos, recompensas, treinamentos profissionais e suporte do pré ao pós-venda. Denominado Parceiro PositivoSEG, o programa tem o objetivo de estimular os negócios desses parceiros comerciais a partir de uma série de compromissos que, ao serem alcançados, gerarão benefícios que se refletem em qualidade no atendimento.

“Nosso programa de relacionamento com canais de venda chega para ampliar as possibilidades de negócios das mais de 33 mil empresas especializadas em segurança eletrônica em todo o país com planos de benefícios e compromissos muito bem estabelecidos. Queremos melhorar os resultados das nossas parcerias por meio de apoio vigoroso, proximidade de relacionamento e compartilhamento de conhecimento técnico adquirido ao longo de nossa jornada”, conclui o diretor da PositivoSEG.

Para informações adicionais sobre produtos e o programa de relacionamento com canais de venda da nova unidade de negócios da Positivo Tecnologia acesse o site.

Notícias Relacionadas

Destaque

PositivoSEG orienta empresas que pretendem investir em segurança eletrônica e não sabem por onde começar

Diretor de IoT, José Ricardo Tobias elenca cinco passos iniciais que vão garantir uma escolha inteligente para proteger os ativos…

Destaque

LogPlace inicia transporte de cargas de alto valor em parceria com a TBForte

O lançamento do serviço foi marcado por uma homenagem ao piloto Ayrton Senna com transporte do capacete utilizado em 1988…

Cases

Lotérica reduz custo na gestão de numerário e zera perdas com cofre inteligente

Cansado de assaltos e de perder horas do dia fazendo a contagem das cédulas, o empresário José Eduardo Nogueira de…