Portaria Remota: Um nicho de mercado de controle de acesso em crescimento

A portaria remota é um conceito novo e moderno cuja função principal é monitorar vários condomínios ao mesmo tempo otimizando os custos de monitoramento e gerenciamento. Assim, os gestores podem aprimorar seus processos e oferecer aos residentes segurança de alto nível.

A portaria remota é uma tecnologia relativamente nova, onde você pode executar todas as funções de um sistema de controle de acesso por meio do conceito de monitoramento remoto centralizado por uma empresa especializada.

Como funciona?

Os moradores podem acessar o condomínio por meio de sistemas de controle de acesso, tais como leitores biométricos, leitores de proximidade e receptores de longa distância para automóveis. Existem dois tipos de entrada, pedestre (biométricos e leitores de proximidade) e veículo (receptores de longa distância). Após a entrada, a identidade do usuário é verificada por uma foto previamente gravada no cartão ou tag automóvel e visualização em tempo real com um sistema de CFTV.

Os visitantes se comunicam com a empresa de monitoramento na entrada do condomínio por meio de um vídeo porteiro VoIP, ou adaptando a infraestrutura de voz local para IP, e a empresa de monitoramento se comunica com o residente para autorizar ou proibir a entrada da visita. Alguns condomínios, fazem o mesmo procedimento para a saída de visitantes (tanto de pedestres ou veículos).

A base deste tipo de facilidade é o sistema de controle de acesso, onde os gestores têm estações com seu respectivo software, que deve ter a capacidade de gerenciar vários locais remotos simultaneamente online. Da mesma forma, você precisa ter um sistema de vídeo porteiro VoIP e um sistema de CFTV.

Existem funções avançadas que podem ser realizadas como:

• Ligar uma gravação de vídeo para um evento crítico (porta forçada, porta aberta por muito tempo, negado o acesso, negado o acesso ao cartão roubado, perdido acesso ao cartão negado etc.);

• Ativar um alarme em caso de eventos críticos;

• Enviar um sinal para a empresa de monitoramento se um evento de “pânico”. Referido evento de pânico pode ser acionado por qualquer residente apertar um botão ou passe um leitor de cartão duas vezes.

Existem várias vantagens para integradores neste tipo de serviço:

• É fácil de obter novos clientes, devido a uma solução muito atraente para os administradores, que não podem obter o serviço com sistemas de segurança tradicionais para valor moradores;

• Existem milhares de condomínios e pequenas empresas potenciais para este mercado;

• O custo de ter vigilantes em condomínio é maior do que o serviço de portaria remota;

• O risco de erro humano é reduzido;

• Estabilidade de rendimentos devido a pagamentos mensais para prestadora do serviço de portaria remota.

Investir neste tipo de negócio é muito lucrativo para empresas de segurança, fornecendo uma imagem excelente. Da mesma forma que proporciona um alto nível de serviço aos seus clientes.

Fabrice Bioulet é Diretor de Vendas para a América Latina e Caribe da CDVI

Notícias Relacionadas

Destaque

PositivoSEG orienta empresas que pretendem investir em segurança eletrônica e não sabem por onde começar

Diretor de IoT, José Ricardo Tobias elenca cinco passos iniciais que vão garantir uma escolha inteligente para proteger os ativos…

Destaque

LogPlace inicia transporte de cargas de alto valor em parceria com a TBForte

O lançamento do serviço foi marcado por uma homenagem ao piloto Ayrton Senna com transporte do capacete utilizado em 1988…

Cases

Lotérica reduz custo na gestão de numerário e zera perdas com cofre inteligente

Cansado de assaltos e de perder horas do dia fazendo a contagem das cédulas, o empresário José Eduardo Nogueira de…