Pesquisa da HID sobre o estado do setor de segurança: identidades móveis, autenticação multifatorial e sustentabilidade emergem como principais tendências

A HID anunciou os resultados do Estado do Setor de Segurança de 2024, sua pesquisa anual que reuniu respostas de 2.600 parceiros, usuários finais e pessoal de segurança e TI em todo o mundo, abrangendo uma variedade de cargos e tamanhos de organizações representando mais de 11 setores industriais.

O relatório aborda as tendências que impulsionarão as próximas inovações e as tecnologias que as tornarão possíveis, ajudando assim os líderes de segurança a antecipar e se adaptarem aos desafios mais dinâmicos do setor. Realizada no outono de 2023, a pesquisa deste ano revela seis temas, conforme segue:

1. A identidade móvel deverá ser onipresente nos próximos cinco anos.

Dado o amplo uso de dispositivos móveis, a sua adoção na verificação de identidade continua a ganhar força. Os usuários finais entrevistados estimam que, nos próximos cinco anos, cerca de 80% das organizações terão implementado identificações móveis. Este otimismo é ainda mais pronunciado entre os parceiros tecnológicos do setor, que projetam que 94% dos seus clientes adotarão essa tecnologia no mesmo período.

2. A autenticação multifatorial (MFA) será amplamente utilizada, apesar da implementação lenta, porém crescente, da abordagem de Confiança Zero.

Mais de 83% dos usuários finais disseram que suas organizações atualmente utilizam MFA, principalmente porque as senhas são fáceis de hackear. Para muitos, isso representa o primeiro passo em direção à Confiança Zero, uma abordagem de segurança que exige que as organizações mantenham controles rígidos de acesso e nunca confiem e sempre verifiquem qualquer pessoa — interna ou externa — como via de regra. A Confiança Zero já foi implementada em 16% das organizações com mais de 100.000 funcionários e em 14% daquelas com até 10.000 funcionários, de acordo com o relatório.

Com a disseminação da MFA, o fim das senhas tradicionais parece cada vez mais próximo. A criação de novos padrões como o FIDO (Fast Identity Online), que utiliza “técnicas padrão de criptografia de chave pública para fornecer autenticação resistente a phishing”, abrirá caminho para opções de autenticação mais seguras e inovadoras, que farão parte de uma arquitetura Zero Trust mais robusta.

3. A sustentabilidade se torna um fator cada vez mais importante nas decisões empresariais.

A sustentabilidade continua a ser classificada como uma prioridade empresarial elevada, e tanto os usuários finais quanto os parceiros classificam sua importância como um “4” em uma escala de 1 a 5. Além disso, 74% dos usuários finais indicam que a importância da sustentabilidade cresceu no último ano, e 80% dos parceiros tecnológicos relataram que a tendência está crescendo em importância entre seus clientes.

    Diante desse cenário, é provável que haja um contínuo foco em soluções que minimizem o uso de energia, reduzam o desperdício e otimizem o uso de recursos. A transição para soluções baseadas na nuvem e o aumento no uso de dispositivos móveis se destacam como duas estratégias lógicas para alcançar esses objetivos de sustentabilidade.

    4. A biometria mantém-se com impressionante destaque

    Na pesquisa deste ano, 39% dos instaladores e integradores disseram que seus clientes estão utilizando impressão digital ou palma da mão como formas de autenticação, e 30% disseram que estão utilizando reconhecimento facial. A popularidade continua a crescer, já que 8% planejam testar ou implementar alguma forma de biometria no próximo ano e 12% planeja implementá-la entre próximos três a cinco anos.

      5. A gestão de identidade aponta para a nuvem

      Quase metade dos usuários finais estão migrando para a gestão de identidade baseada em nuvem, com 24% já a utilizando e outros 24% em processo de implementação de tais sistemas. Os parceiros da indústria afirmam que seus clientes enfrentam vários obstáculos: a dependência de equipamentos antigos ou em instalações físicas (28%), falta de orçamento (24%) e simplesmente a própria gestão de identidade baseada na nuvem não sendo uma prioridade (21%).

      6. A inteligência artificial (IA) surge como potencial para casos de uso analítico

      A IA tornou-se de fato um tema predominante no ambiente empresarial, e muitos profissionais de segurança veem suas capacidades analíticas como uma oportunidade acessível e de grande valor para suas operações. Em vez de esperar que a IA redefina todo o sistema de segurança, já é possível aproveitar suas capacidades analíticas para obter benefícios tangíveis e imediatos. Neste contexto, 35% dos usuários finais planejam testar ou implementar alguma funcionalidade de IA nos próximos três a cinco anos, enquanto 15% já estão utilizando soluções de biometria habilitadas por IA.

        Acesse o relatório completo neste link, com dados globais adicionais e uma análise detalhada dos temas abordados.

        Notícias Relacionadas

        Destaque

        Polícia Federal deve iniciar fiscalização a bancos após 1 ano da publicação da portaria sobre segurança privada

        Neste mês, completa um ano desde a publicação da portaria que regulamenta iniciativas para aumentar a segurança da população, empresas…

        Destaque

        Auvo Lança Auvo Chat na Exposec 2024: Inovação em Comunicação para o Setor de Segurança Eletrônica

        A Auvo, plataforma completa de gestão para equipes externas, confirma presença na Exposec 2024 e apresenta uma inovação ao público…

        Destaque

        Aeroscan e Performancelab na Exposec: onde a segurança e a eficiência se encontram

        É com essa mensagem que Aeroscan e Performancelab juntas na Exposec reafirmam a integração de suas plataformas para aumentar o…