Parceria entre SSP e empresas busca garantir acesso a 8 mil câmeras de vigilância em SC

Um edital de chamamento público já foi lançado e receberá propostas de empresas interessadas até o final do ano. A intenção é que instituições privadas forneçam o gerenciamento de imagens em seus domínios sem acarretar custos ao governo. O arquivo das câmeras deverá ficar armazenado em nuvem na internet e o acesso ao conteúdo gravado será online.

Na prática, a incorporação das câmeras das empresas não significa que haverá policiais observando as imagens a todo momento. Mas a possibilidade de acesso imediato ao conteúdo das câmeras pode tornar mais rápida a investigação de criminosos e veículos envolvidos em ocorrências, além de permitir que a polícia se antecipe quando houver situações suspeitas. Por enquanto, a SSP estuda a adesão de um grupo de empresas interessadas em compartilhar imagens.

Há critérios técnicos que precisam ser considerados, como a localização e a qualidade do equipamento. “Acredito que no final de maio já vamos poder utilizar as imagens de pelo menos uma parte dessas empresas. Até lá, estaremos com as habilitações e análises técnicas prontas”, disse o secretário Alceu de Oliveira Pinto Junior.

Além de ampliar a rede de imagens, o Estado avalia o uso de softwares para identificar placas de veículos, rostos e até vozes.

Programas também são testados para gerar alertas quando houver comportamentos fora do padrão nas imagens observadas. Seria considerado anormal, por exemplo, um motociclista de capacete circulando em uma área fechada ou um veículo passando repetidas vezes pelo mesmo trecho.

A secretaria ainda verifica o nível de confiabilidade dos softwares à disposição. Conforme o secretário, experimentos de reconhecimento de placas automotivas já indicaram mais de 70% de confiabilidade nos testes. A SSP planeja contar com essa tecnologia usando programas de acesso gratuito.

“A ideia é fazer com desenvolvimento interno ou software livre. Se no futuro a gente ver uma boa integração, aí é bem provável que se faça uma licitação para um software de análise, que é mais interessante”, explicou o secretário.

Hoje o Estado tem 2,5 mil câmeras ativas no Programa Bem-Te-Vi. Os equipamentos estão distribuídos em 116 cidades. Com o apoio da iniciativa privada, o Estado pretende ter acesso a outras 8 mil câmeras.

Como as empresas podem compartilhar suas câmeras

– O edital está disponível em www.portaldecompras.sc.gov.br

– A empresa deverá disponibilizar interface de gerenciamento na web com localização georreferenciada das câmeras em mapa

– Também deverá disponibilizar o cadastramento para acesso de 600 usuários da SSP

– Deverá ainda liberar interface para a comunicação entre a plataforma da SSP e as câmeras da empresa via nuvem

– Os aparelhos deverão ter capacidade de gravação mínima de três dias de imagens, com possibilidade irrestrita de download dos registros

– As imagens deverão conter data e hora da gravação

Fonte: Diário Catarinense

Notícias Relacionadas

Artigos

Segurança perimetral: integração de áudio e vídeo garante mais eficiência

Por Jader Mantellato, Gerente de Desenvolvimento de Negócios Verticais da Hikvision   Garantir a segurança do perímetro é de suma…

Destaque

Supermercados Correia reduzem perdas e custos de tesouraria com cofre inteligente

Com o cofre inteligente da Sesami não há erros de contagem e a empresa reduziu seus gastos com transporte dos…

Destaque

Bycon apresenta gerador de neblina compacto e acessível

Com o crescente número de roubos e saques a estabelecimentos comerciais, a necessidade de medidas de segurança eficientes é mais…