Orsegups conquista certificação internacional na área de proteção de dados

Catarinense Orsegups é a única de seu segmento a receber o reconhecimento

Com sete mil colaboradores e tendo sob sua guarda os dados de mais de 1 milhão de pessoas e 80 mil clientes, a Orsegups, maior empresa de segurança eletrônica do Brasil, há anos desenvolve sistemas próprios de criptografia e proteção de dados.

Mas foi na pandemia, com o aumento dos ataques cibernéticos em escala global, que a empresa conquistou a certificação internacional que atesta a implantação de políticas e o uso de tecnologias que garantem aos clientes – dentre eles, algumas das maiores redes varejistas do País – a confidencialidade e integridade dos dados.

A entrega oficial das certificações ISO 27.001 e ISO 27.701 será celebrada durante evento para os colaboradores e convidados especiais, na sede da empresa, em São José (SC).

“Segurança sempre foi um pilar do nosso negócio. Anos atrás, fazer segurança era cuidar do patrimônio das pessoas. Agora, além dos ativos físicos, temos que proteger também os dados. Como são muitas informações críticas, dados que têm muito valor, entendemos que era necessário buscar uma certificação robusta, que atesta para nossos clientes que os dados de suas operações estão seguros”, diz o presidente da Orsegups, Dilmo Berger.

A conquista da certificação foi trabalhosa. “Não foi difícil, porque já sabíamos o que precisava ser feito e trabalhávamos com sistemas tecnológicos e operacionais testados e seguros. Mas a segurança da informação envolve muitos processos. Pessoas, por exemplo, precisam passar por um intensivo treinamento”, observa Giliardi dos Santos, Diretor de Tecnologia, à frente do setor há mais de 15 anos.

Para garantir o engajamento dos funcionários, foi criada uma trilha de conteúdo em conjunto com a universidade corporativa da Orsegups. Em 18 meses, a empresa investiu R$ 2 milhões em treinamentos e mudanças em hardwares e softwares.

O Diretor de Mercado e Expansão, Gilson Cesar da Silva, destaca o olhar de inovação que sempre norteou as decisões estratégicas da empresa. “Sempre fomos vanguardistas. Olhávamos para a dor do mercado e desenvolvíamos a partir daí novos serviços e produtos”, diz. Não por acaso, lembra, apenas 153 empresas têm a ISO 27.001 no País. “Mas todas são indústrias, startups, empresas que lidam com tecnologia. Fora da área de tecnologia, desconheço. E do nosso setor, somos só nós no Brasil e talvez na América Latina”.

Notícias Relacionadas

Cases

VIVOTEK implanta solução aprimorada de vigilância para uma cervejaria japonesa centenária

Uma conhecida cervejaria japonesa centenária, reverenciada localmente por seu saquê, shochu, vinho de ameixa, cerveja e aromatizantes, opera cinco cervejarias…

Cibersegurança

Cibersegurança e o fator humano: muito além da tecnologia

Por Andréa Thomé e Leylah Macluf Quase todas as empresas médias e grandes já sofreram um ataque cibernético. As que…

Destaque

Aeroportos tendem a ter processos mais inteligentes e focados em oferecer melhores experiencias aos clientes

Com este objetivo, as empresas devem ampliar sua digitalização e adotar soluções de segurança e inteligência cada vez mais integradas…