Onde estamos com a segurança cibernética

As violações de dados e os incidentes de segurança cibernética foram grandes novidades em 2017. As principais empresas e marcas – incluindo a Google, Hyatt, Microsoft, Uber, Verizon e muitos outros – foram impactadas por incidentes de segurança durante o ano e a segurança cibernética tornou-se um problema de alto nível para empresários e consumidores.

Assim, quando entramos em 2018 e desejamos proteger tanto os nossos ativos digitais pessoais quanto os dados corporativos críticos, é útil examinar as principais tendências na segurança cibernética para esse ano.

• A segurança se tornará mais fácil de usar
A maneira como o trabalho está sendo feito está mudando, com teletrabalho, aplicativos em nuvem, ferramentas de colaboração e produtos que refletem nossas experiências de tecnologia de consumo. A segurança das TI irá se transformar junto com o trabalho, e em 2018, emergem ferramentas e soluções de segurança baseadas nos hábitos dos usuários, e não apenas ferramentas baseadas em requisitos elaborados ou longas senhas. As empresas inteligentes adotarão segurança que reconheça os usuários com base em fatores como padrões de comportamento, localização física, velocidade de digitação e sites normalmente visitados, por exemplo.

• A segurança da TI agora é importante para os executivos do alto escalão
As violações de alto perfil continuarão a iluminar a segurança de TI e a responsabilidade final que os executivos assumem por tais incidentes – para não mencionar a ira de acionistas e consumidores irritados. A confiança entre as empresas, os seus parceiros comerciais e os clientes DEVEM ser mantidas, e é por isso que o 2018 verá maior o foco na liderança de CEOs e conselhos em relação à segurança de TI. Isso afetará cada chefe de departamento, fazendo com que eles percebam que simplesmente não podem trabalhar em silos e que a segurança é um trabalho para todos em toda a organização.

• Consciência de Riscos Wi-Fi gratuitos
Qualquer coisa que seja gratuita – como redes públicas, abertas Wi-Fi – pode realmente demandar muito dinheiro. O perigo associado ao uso de uma das muitas redes inseguras que encontramos todos os dias continuará a aumentar, com maior risco para consumidores e empresas. É por isso que a segurança Wi-Fi será uma área chave para acompanhar em 2018. Sem um firewall pessoal, o Wi-Fi público pode criar uma porta traseira aberta em dados confidenciais. E enquanto a maioria das pessoas atualmente não tem firewalls em casa, a adoção de tecnologia de segurança mais sofisticada aumentará à medida que a consciência crescer, com dispositivos de segurança plug-and-play e ferramentas de software automatizadas que lideram a carga contra redes públicas Wi-Fi inseguras.

É, sem dúvida, verdade que hacks de alto perfil continuarão a afetar quase todas as áreas da vida pública e privada em 2018, e a segurança cibernética continuará sendo uma grande notícia. Mas com um planejamento razoável e uma abordagem tecnológica sólida, um impacto substancial pode ser feito para planejar e responder melhor a hackers e cibercrimes, aliviando grande parte dessa persistente preocupação no novo ano.

Notícias Relacionadas

Cases

Grupo Unidasul adota solução óptica Furukawa em centro de distribuição e em novas unidades no Rio Grande do Sul

Com a expansão de sua rede de supermercados Rissul e de atacarejos Macromix pelo estado do Rio Grande do Sul,…

Destaque

Datacenters precisam de vigilância RSA para garantir segurança

Esta ferramenta do Genetec Security Center combinado ao uso dos sensores existentes ajuda a lidar proativamente com ameaças antes que…

Destaque

Como a tecnologia pode aprimorar a segurança em cidades inteligentes?

Apesar de o conceito de cidade inteligente ser relativamente recente, ele já se consolidou como assunto fundamental na discussão da…