Novo sensor Honeywell ajuda proprietários e consumidores a monitorar a qualidade do ar no ambiente

A Honeywell anunciou hoje um novo sensor de partículas projetado para ajudar os proprietários de edifícios e consumidores a monitorar o ar de partículas potencialmente nocivas causadas pela poeira, fuligem e fumaça. O sensor da série HPM foi projetado para trabalhar em sistemas de aquecimento, ventilação e ar condicionado e produtos como purificadores, para medir a qualidade do ar em casas, prédios e espaços públicos.

“Os sensores de partículas desempenham um papel fundamental na medição e gestão da qualidade do ar que respiramos para ajudar a proteger a nossa saúde”, disse Graham Robinson, Presidente da Honeywell Sensing e Internet das Coisas. “A Honeywell investiu décadas de experiência em identificar tecnologias e soluções conectadas para desenvolver este equipamento, afim de ajudar a evitar que os ocupantes dos edifícios desenvolvam problemas de saúde que poderiam ser causados pela má qualidade do ar”, explicou.

O novo sensor pode ser usado em uma variedade de produtos de consumo, como purificadores de ar, sistemas de ar automotivo e detectores móveis de qualidade do ar. A solução utiliza a tecnologia laser para monitorar de forma precisa e econômica partículas finas inaláveis de 2,5 micrômetros de diâmetro ou menores. Para referência, o cabelo humano médio é quase 30 vezes maior que 70 micrômetros de diâmetro. De acordo com a Agência de Proteção Ambiental dos EUA, as partículas finas, muitas vezes causadas pela queima de combustíveis fósseis, podem se instalar profundamente nos pulmões ou até mesmo entrar na corrente sanguínea e representar riscos para a saúde.

O sensor emite um sinal elétrico que pode ser alimentado em sistemas de controle HVAC em edifícios e casas ou em outros dispositivos de monitoração de ar. Esta informação pode alertar os operadores de que os sistemas de purificação do ar devem ser ativados, de que o ar exterior pode ser utilizado para melhorar a qualidade do ar interior, e também quando um filtro de ar necessita ser alterado ou a manutenção precoce deve ser efetuada nos sistemas de fornecimento interior.

O sensor a laser utiliza um método de dispersão de luz para detectar com precisão e contar partículas na faixa de concentração de microgramas por metro cúbico de ar (μg/m³) para 1.000 μg/m³ em um dado ambiente. O sensor então analisa o tamanho e a concentração de partículas em tempo real para permitir que os sistemas forneçam alertas e permitam que os operadores tomem medidas para reparar esses níveis.

O sensor tem durabilidade de até 20.000 horas, o que permite operações estáveis e utilização contínua. Pode trabalhar com HVAC e sistemas de gestão de edifícios como os da Honeywell Home and Building Technologies, que cria produtos, software e tecnologias encontradas em mais de 10 milhões de edifícios em todo o mundo para aumentar a eficiência operacional e energética.

 

Notícias Relacionadas

Destaque

Intelbras lança central de alarme de incêndio endereçável com possibilidade de configuração via Wi-Fi

O produto produzido no Brasil oferece maior facilidade de uso, custo-benefício e segurança A Intelbras, empresa brasileira desenvolvedora de tecnologias…

Cases

Avantia, WeSafer e Farah Service entregam modelo de videomonitoramento inteligente para a Ciclovia Franco Montoro, na capital paulista

A Avantia e a WeSafer, unidade digital independente especializada em inteligência artificial, fecham parceria com a Farah Service – concessionária…

Destaque

Após um ano de uso de câmeras em uniformes, mortes por policiais caem 80%

As mortes cometidas por policiais militares despencaram em 19 dos 131 batalhões do estado de São Paulo um ano depois…