ISS define novo diretor regional e contrata novos executivos para reforçar sua equipe no Brasil

Líder no desenvolvimento de sistemas de vigilância de segurança e vídeo analíticos, a ISS anuncia a saída de Alexandre Nastro, que durante 11 anos atuou na empresa como country manager e, agora, parte para novos desafios profissionais. Em seu lugar, assume Daniel Feitosa, que nos últimos 6 anos gerenciou as regiões Norte e Nordeste e, agora, passa a liderar toda a equipe da ISS no Brasil. Além da troca de comando, a ISS também anuncia a contratação de quatro novos executivos, que atuarão para fortalecer a sua estratégia comercial no Brasil em 2019, ampliando a atuação em projetos de segurança públicos e, também, ajudando a difundir o uso de analíticos para a prevenção e resolução de ocorrências em outras verticais de negócios.

Quando chegou à ISS, em 2007, Alexandre Nastro deparou-se com um mercado que ainda demandava muitos produtos analógicos. Seu principal desafio à época foi mudar a cultura de quem consumia produtos tecnológicos destinados à segurança, ao mesmo tempo em que não dispunha de uma equipe para lhe ajudar. “Foi muito difícil posicionar a ISS como fabricante de soluções de videomonitoramento com inteligência em um mercado que ainda não era habituado às soluções de monitoramento digital por redes IP. Quando assumi as operações da ISS, possuíamos apenas 3 integradores, sendo que apenas um estava ativo. Nosso market share, na época, era de 0,8%, e não tínhamos escritório, funcionários ou política comercial. Começamos absolutamente tudo do zero, apenas eu e a Luciana, minha esposa, no financeiro”, relembra. Após 11 anos, a ISS Brasil conta com escritório local, centro de treinamento, suporte técnico, comercial e marketing, além da estrutura financeira. “A ISS possui atualmente 70 integradores ativos, que colaboraram em grandes projetos que realizamos em rodovias, portos, aeroportos, ferrovias, metrô, Olimpíadas e, também, na segurança pública. Alcançamos 22% de market share e, com isso, posicionamos a ISS como líder no mercado Enterprise de Videomonitoramento. Tenho muito orgulho deste sucesso e devo isto a equipe da ISS, distribuidores, integradores e aos clientes finais”, declara.

Com a saída da ISS, Alexandre Nastro passa a se dedicar a dois novos projetos. Um deles, relacionado a big data analytics, contempla soluções de cercamento eletrônico para segurança pública e BI para varejo, portos, aeroportos e rodovias. O outro, nas áreas de deep learning e neural networks, tem como objetivo transformar imagem em informação para tomada de decisões. “Vamos começar do zero novamente, só que, desta vez, com mais experiência e potencial para formar canais de integradores especializados nessa nova onda digital”, afirma.

Projetos de segurança pública demandaram contratações nas região Norte/Nordeste

Em função da grande procura de soluções pelos órgãos de segurança pública em todo o Norte e Nordeste do país – que vive, atualmente, uma escalada da criminalidade -, a ISS inicia 2019 reforçando sua equipe nesses locais. Na gerência regional de vendas para essas regiões, a empresa passa a contar com Wagner Vasconcelos, que substitui Daniel Feitosa. Com sólida experiência em órgãos públicos e empresas privadas, Wagner atuará na expansão da atuação da ISS nessas regiões, prospectando e divulgando as soluções da ISS para estes mercados. “As perspectivas para 2019 são as melhores possíveis, haja vista o alto nível tecnológico das soluções e o reforço da atuação comercial e técnica da ISS no país. Vamos trabalhar para o crescimento da participação da ISS nesses mercados, principalmente em projetos segurança pública, que é uma demanda forte aqui no Nordeste e, também, na região Norte”, afirma. Para o setor de pré-vendas, a ISS contratou Ari Araújo, que acumula 30 anos de experiência em empresas de tecnologias e instituições de saúde. O executivo atuará nos contatos iniciais com o cliente, apresentando as soluções, conhecendo suas necessidades e entregando as melhores soluções, e dará suporte ao pós-vendas, apresentando projetos e estudando as aplicações. “Fazer parte da ISS é um reconhecimento ao meu trabalho e, sem dúvidas, um momento importante na minha carreira. Em um primeiro momento, irei trabalhar de forma mais consultiva, dando apoio ao Wagner Vasconcelos principalmente em Fortaleza, Recife e Salvador”, detalha.

Varejo e transportes serão o foco nas regiões Sul e Sudeste; agronegócio e indústrias darão o tom no Centro-oeste

Apesar de os analíticos serem conhecidos e populares nas regiões Sul e Sudeste, eles ainda não são muito utilizados nos projetos de videomonitoramento. Para aumentar as vendas de analíticos de vídeo e, consequentemente, ampliar sua atuação e receita nessas duas regiões, a empresa contratou para a gerência regional de vendas o executivo Gustavo Maciel. Com passagens pela WDC Networks, Gunnebo Brasil e AlarmTek Eletrônica, Gustavo conta com mais de 20 anos de experiência no mercado de segurança eletrônica em toda a América Latina e se apoiará em seu histórico de sucesso na implementação de planos de marketing para expandir a base de clientes. “Os analíticos são uma tendência que veio para ficar, e diversos setores poderão investir nesse produto em 2019. É, sem dúvida, um mercado que vai crescer muito este ano, sobretudo nos ramo de transportes (rodovias, portos, aeroportos) e, principalmente, varejo (para o controle de perda de produtos)”, destaca.

Se o varejo e os transportes são dois dos pilares do plano da ISS para as regiões Sul e Sudeste, a região Centro-oeste passa a ser observada sob uma nova ótica comercial e estratégica a partir de 2019. “Boa parte das empresas que atuam na região focam, hoje, apenas em projetos governamentais. Já a ideia da ISS é ir (bem) além deste mercado, abrindo o leque e abrangendo o agronegócio e as indústrias”, afirma Clístenes de Paula. Recentemente contratado para a gerência regional de vendas do Centro-oeste, o executivo conta com 30 anos de carreira e passagens pela Caixa Econômica Federal, Sebrae Nacional, Enterasys Networks, Redesul Informática e América Tecnologia. Seu maior desafio será estruturar uma rede de parceiros que tenham capacidade para compreender a abrangência e as necessidades desses mercados. “Segundo a Confederação Nacional das Indústrias, o PIB industrial do Centro-oeste cresceu, nos últimos 15 anos cerca de 1.100%, e isso gera demanda para os nossos segmentos de atuação. Meu desafio é fazer com que os meus parceiros também enxerguem esse potencial, pensando além a esfera governamental, que é tão somente uma das verticais de negócios que temos na região”, completa.

Para Daniel Feitosa, que atuará como diretor regional da ISS no Brasil, a empresa vive seu melhor momento no país, e a maturidade da equipe é reflexo do sucesso  e da popularidade das soluções em projetos de Norte a Sul. “Poder contar com pessoas experientes, com grande vivência em tecnologia e totalmente alinhadas com os nossos valores é um incremento importante em nossa estratégia. Tenho certeza que, com a ajuda desses reforços, vamos alcançar as metas traçadas, e consolidar ainda mais a nossa presença em projetos que fazem a diferença”, declara.

Notícias Relacionadas

Destaque

Entradas e saídas de Porto Alegre terão reconhecimento de placas de automóveis

Porto Alegre terá um incremento em seu sistema de videomonitoramento nos próximos meses. A prefeitura assinou na última quinta-feira (15)…

Destaque

Startup projeta sistema de reconhecimento facial menos invasivo

Um dos grandes desafios da Inteligência Artificial atualmente é aprimorar o sistema de reconhecimento facial. Mas, na contramão desse projeto,…

Destaque

Empresa israelense cria drone ‘suicida’ que se lança sobre os inimigos

A Elta Systems, uma divisão da Israel Aerospace Industries (IAI), está planejando um novo recurso para seu sistema ‘Drone Guard’,…