ISC 2017: Soluções completas para todas as vertentes

Por Fernanda Ferreira

Durante os dias 18 a 20 de abril o Expo Center Norte recebeu a visita de mais de 14 mil pessoas interessadas em conhecer as soluções que as 150 marcas presentes na 12ª edição da ISC Brasil trouxeram para a feira. O evento, que é considerado um dos mais importantes para o setor de segurança, reuniu os principais players do mercado que apresentaram o que há de mais moderno e avançado para todas as vertentes, de grande, médio e pequeno porte.

A segurança eletrônica começou desde a validação para entrar no evento. Os visitantes precisaram registrar o crachá nas catracas da Digicon localizadas na entrada do pavilhão, para poderem ter acesso a feira, dessa forma os organizadores também conseguiram contabilizar o número total de visitantes presentes.

No seu estande, o Digicon apresentou as novas catracas da linha CatraxGo, equipamentos com design melhorado e com mecanismo motorizado que possibilita um giro sem impacto, oferecendo uma passagem suave para os usuários. A versão Uno, de três braços, dispõe de um mecanismo de passagem para controlar o acesso de pessoas, e a versão Duo oferece dupla passagem mantendo uma única coluna estrutural. Nessa versão há uma economia de espaço e infraestrutura de instalação. Ambas as catracas contam com dispositivo antipânico, mecanismo adequado as normas dos bombeiros, que desarma o braço da catraca caso ocorra qualquer sinistro nas instalações do local, deixando a passagem completamente livre para o usuário. Esse recurso pode ser acionado através de uma botoeira ou através de uma integração do sistema de incêndio com o sistema de controle de acesso.

“O CatraxGo é um equipamento que tem muito mais conforto para a passagem dos usuários, o giro é mais suave, produz menos ruído e há mais facilidade de acesso. Temos um foco muito grande em trazer equipamentos com esse novo design, para ficar esteticamente bonito para uma recepção de prédio comercial, para trabalhar muito com arquitetos, construtoras, para entrarmos na concepção dos novos projetos”, explicou Filipe Nunes, Gerente Comercial da Digicon.

Outro lançamento da Digicon na ISC foram os controles de ponto dClock feitos para atender a portaria 1510 do Ministério do Trabalho que foi homologado pelo Inmetro. O equipamento tem o objetivo de garantir que os dados do equipamento sejam autênticos e não sofram modificações. Bobina de papel com grande autonomia para impressão de tickets, conexão WiFi, recursos de memórias internas com retenção de dados por, no mínimo, dez anos, são alguns dos recursos da nova solução.

Segurança em Condomínios

No estande da Axis o destaque ficou por conta de uma solução que reforça a segurança de condomínios. O sistema, da empresa Pegasus que utiliza câmeras da Axis, é programado para abrir o portão do estacionamento somente após conferir a placa do veículo cadastrado e um código, semelhante a um código de barras, que é enviado para o celular do morador, que precisa mostrar para uma câmera para ter a sua entrada liberada. Em caso de fornecedores e visitantes, o condomínio pode liberar os veículos mediante a exibição do código QR, que tem tempo de expiração programável, ou seja, o visitante só tem acesso ao prédio em determinado dia e em um intervalo de horas preestabelecido. Caso o código seja mostrado em horário não previsto, o carro não entra.

Para reduzir custos, a própria câmera faz o processamento e armazenamento das imagens, sem precisar que o condomínio compre equipamentos como servidor ou storage. Todo o pacote de leitura de placas, câmera com resolução Full HD, software de gerenciamento, suporte anual e cartão de memória de 128GB, sai por um investimento inferior a R$10 mil reais. “Um posto de vigilância 24h custa ao condomínio pelo menos R$20 mil por mês, por causa do turno diário de três vigilantes. É um peso significativo no orçamento do condomínio”, destacou Marcelo Ponte, Gerente de Distribuição e Marketing da Axis.

A fabricante sueca também apresentou um sistema de apoio à gestão de emergências envolvendo câmeras de monitoramento e alto-falantes digitais para criar um canal de comunicação entre o poder público e a população, que também pode ser utilizado como uma ferramenta para o atendimento de cidadãos que passaram por situações traumáticas, como assaltos. Além disso, o sistema pode dissuadir pichadores e vândalos e dispersar grupos antes mesmo da chegada de uma viatura, por exemplo.

“A Axis passou a ter um nível de solução muito maior para o integrador, temos desde câmera até áudio, controle de acesso, software e toda a parte de armazenamento. Hoje o integrador tem uma gama de soluções com a gente, e ele não deve olhar somente o custo do produto, mas o custo da solução e o quanto a solução é economicamente viável a longo prazo. Temos câmeras da Axis que estão em funcionamento há mais de 8 anos”, disse Marcelo.

Solução Mobile

A Dahua levou para a ISC a Solução Mobile lançada no começo do ano. A tecnologia integra diversas sistemas, como monitoramento, rastreamento e comunicação bidirecional, em uma única solução. Com ela é possível criar um trajeto predefinido para um veículo e caso o motorista saia do percurso sem aviso prévio, um alerta poderá ser emitido para a central de monitoramento, que conseguirá entrar em contato imediato com a pessoa, visualizar a nova rota e acessar as imagens para ver o que está acontecendo dentro do veículo em tempo real. O motorista também poderá acionar o botão do pânico de maneira discreta caso algo mais grave aconteça.

O uso da solução Mobile Dahua vai além do setor de transporte, o equipamento também pode ser integrado em pessoas, como vigilantes, por exemplo. A body cameras é colocada na farda do agente de segurança e contém as mesmas funções da modalidade veicular, inclusive o botão de pânico, que nestes casos podem acionar uma equipe de reforço ou até mesmo as autoridades policiais. “Pode-se criar uma ronda para o vigilante e caso ele saia do percurso a central é avisada. O aparelho também transmite um alerta caso ocorra uma mudança brusca de velocidade, o que indica que o aparelho caiu no chão e que pode ter acontecido alguma coisa com o agente”, explicou Fernando Guerra, Diretor Comercial de Projetos da Dahua.

Outro destaque da Dahua foram as câmeras para missões críticas como ambientes de portos, indústrias químicas, costa marítima ou ilhas, que necessitam de soluções de segurança robustas, capazes de superar a alta salinidade ou vapores corrosivos. A Dahua expôs em seu estande câmeras que podem ser utilizadas em cenários críticos como estes. “Em uma plataforma de petróleo, por exemplo, você tem um ambiente altamente salino, corrosivo e a liberação de gás com propensão a explosão. Os produtos para esse tipo de ambiente precisam ser em aço-inoxidável anticorrosão, resistentes à água, à prova de explosão e que suportam temperaturas extremas”, disse Guerra.

Inteligência Artificial

    

A Hikvision apresentou soluções de inteligência artificial para diversas verticais do mercado. O Safe Cities, por exemplo, são aplicações voltadas para as cidades, com câmeras inteligentes e software analítico embarcado. A solução é capaz e reunir imagens de oito câmeras em uma única imagem panorâmica ultra HD de 18 megapixels e capacidade de zoom óptico de 50x. Com esse monitoramento, é possível identificar um veículo andando na contramão, motoristas que não estão utilizando o cinto de segurança e até vincular a placa do veículo com a sua cor. A solução é ideal para aeroportos, transportes públicos, estádios de futebol, praças e locais que concentram grande número de pessoas.

Já o Smart Solutions são soluções de inteligência artificial que permitem, por meio de sensores e câmeras inteligentes, identificar, por exemplo, a quantidade de pessoas que passaram por um determinado local, um comportamento duvidoso não condizente ao ambiente e se algum objeto foi deixado propositalmente por um suspeito por um suspeito. As informações são enviadas em tempo real por meio de conexão sem fio para um banco de dados online. Ao final de alguns meses, é possível ter uma análise completa de crimes e tomar ações de prevenção para evitá-los.

Durante o evento também foi demonstrado a atuação de um drone profissional que possui autonomia de voo de 40 minutos, podendo fazer até 10 quilômetros com rota programada. O equipamento alcança uma altitude de até três quilômetros, resistente a força de arrasto de até 12m/s, possibilidade de inserir um acoplamento de carga que suporta até 5kg e GPS sincronizado com três satélites, conseguindo assim, uma aproximação de dados real de um metro.

Para se defender de drones invasores, a Hikvision desenvolveu uma arma caçadora capaz de pousar outros drones e interromper imediatamente qualquer forma de transmissão e comunicação com o equipamento, através de um disparo de pulso eletromagnético que alcança até 1200 metros.

Outro lançamento apresentado ao mercado foi a câmera 8426 para reconhecimento facial. A solução possui design binocular, alto desempenho da unidade de processamento gráfico (GPU), resolução de até 1080p e codificação de vídeo H.265. A câmera realiza detecção, captura, reconhecimento e exibição de faces em tempo real e reconhece características faciais, como sexo, idade e óculos. É possível subir até 90 mil fotos para o banco de dados e reconhecer até 30 faces de uma única vez, ideal para ambientes com grande circulação de pessoas. Também é possível integrar o equipamento com outras soluções, como um controle de acesso, por exemplo.

Internet das Coisas

A WDC Network levou uma proposta diferente para a ISC Brasil, fomentando a discussão sobre os desafios e avanços da implantação da IoT (Internet das Coisas) e da IA (Inteligência Artificial) no mercado brasileiro.

“Os nossos fabricantes já estão aqui expondo os produtos, então nos juntamos com a SIA Brasil (Associação das Indústrias de Segurança) e fizemos esse lounge para mostrar um pouquinho de algumas tecnologias que as pessoas escutam, mas tem dificuldade para entender”, explicou Vanderlei Rogatieri Jr, Diretor Geral da WDC Networks.

Foi apresentado no estande, o assistente virtual Amazon Echo, que já é utilizado em mais de oito milhões de residências nos Estados Unidos e que agrega as tecnologias IoT e IA ao ambiente doméstico. Com ele é possível interagir, através do reconhecimento de voz, com objetos como lâmpadas, tomadas, televisão, geladeira e termostato que possuem um endereço de internet e estão conectados a uma rede. “A segurança patrimonial está mudando, agora não é só uma câmera e uma pessoa monitorando um bandido, a segurança vai começar a interagir com os equipamentos para fazer com que fique mais fácil tomar decisões. A combinação de tudo ligado à internet e a análise por Inteligência Artificial faz com que a vida da segurança seja diferente e é isso que nós estamos propondo aqui”, falou Vanderlei.

Cortina de Fumaça

Os visitantes da feira tiveram a oportunidade de entrar em uma cabine e testar em tempo real a ação da névoa da Concept Smoke Screen. Em menos de três segundos, o gerador libera uma cortina de fumaça que cobre todo o ambiente. Após a ativação, uma onda intolerável de som e um intenso efeito luminoso são disparos, forçando qualquer intruso a deixar a área.

“Os sistemas tradicionais, como câmeras e alarmes, são uma segurança passiva, ou seja, são solução que tentam impedir que o indivíduo entre ou detectam o intruso quando eles já conseguiram o acesso. A solução de fumaça da Concept é uma segurança ativa, que confronta o invasor rapidamente, caso consiga entrar no ambiente, impedindo-o de roubar”, explicou Rodrigo Camargo, Executivo de Novos Negócios da Concept.

O lançamento apresentado na feira é o gerador de fumaça Tempest. O sistema dispara uma neblina com spray de laranja ou gengibre, que causa irritação nos olhos e na garganta do invasor. Como o produto é derivado de substâncias naturais e não gera efeitos de longa duração, pode ser utilizado sem a necessidade de licenças especiais.

A solução pode atuar de forma stand alone, fazer parte de um sistema de intrusão ou ser um componente integrado a uma plataforma de comando e controle de defesa, sendo facilmente aplicado em diversos segmentos, como bancos, varejo, mercado, veículos, proteção de carga, entre outros.

Na palma da mão

A Senior levou para a ISC Brasil uma solução para gestão de acesso e segurança disponível 100% na nuvem, chamada SAMSenior. Com ela o cliente consegue centralizar as informações relacionadas a controle de acesso, alarmes e CFTV em uma só plataforma, podendo gerenciar todo o sistema via smartphone, acessando as imagens das câmeras ao vivo, liberando portas, disparando alarmes, tudo sem a necessidade de estar fixo em um local.

A solução também dispensa investimento em infraestrutura, como servidores, memórias e banco de dados, tudo fica na nuvem da Senior. Em caso de perde de sinal de internet, o software realiza uma operação de contingência.

“O custo também é um ponto importante, trabalhamos no modelo de SaaS e o cliente paga por mês de acordo com a quantidade de equipamentos que estiverem conectados a solução. É um produto altamente inovador e com um baixo custo, contemplando diversos nichos e projetos modulares”, disse Jonathan Medeiros, Gerente de Produto de Gestão de Acesso e Segurança da Senior.

Com o mesmo conceito de mobilidade, a HID Global apresentou o Mobile Access, que transforma o smartphone em uma credencial de acesso. “É uma forma mais conveniente, porque o smartphone está junto com a gente o tempo todo. A definição de mobilidade está sendo incorporada ao conceito de conveniência e eficiência”, explicou Rogério Coradini, Diretor Comercial da HID Global no Brasil.

A solução gera uma credencial virtual em um portal, envia essa credencial para o smartphone da pessoa com uma chave de licença, e assim que ela ativa essa credencial, essa chave passa a estar ligada ao MAC address do aparelho, não sendo possível transferir isso para mais ninguém. Além disso, a comunicação entre o smartphone e o leitor é criptografada.

“Por trás do Mobile Access temos a plataforma Seos, que é a mais segura em termos de identidade física e virtual, por trabalhar com o UID randômico, tornando-o impossível de clonar, e por ser o primeiro e único cartão microprocessado, podendo desenvolver aplicações para rodarem dentro do cartão”, falou Rogério.

Robô para Patrulhamento

O Robcam, robô que realiza o monitoramento autônomo do perímetro através de uma rota predefinida pelo cliente, foi o lançamento que a Proterisco trouxe para a feira. O robô se movimenta automaticamente sem a necessidade de uma supervisão direta do operador. Se um sensor de segurança estacionário é disparado, o robô utiliza o seu funcionamento por GPS para criar uma rota alternativa e segura.

A solução possui cinco variações: vigilância panorâmica com câmeras CCD altamente sensíveis, projetado para patrulhar áreas pouco iluminadas; rastreamento automático de vídeo equipado com câmera PTZ com zoom de 28x; robô movido a energia solar, capaz de realizar um monitoramento contínuo sem uso de redes elétricas externas; câmera térmica e PTZ multisensor, utilizado em aplicações críticas; e vigilância panorâmica com câmeras HD, para áreas bem iluminadas.

Segurança Perimetral Sem Fio

O Roboguard, lançamento da JVA, é um sensor infravermelho sem fio, de baixo custo, utilizado para vigilância de perímetros, como pátios. É uma solução passiva que capta uma área de até 300m², cobrindo até 110 graus e contém oito baterias de lítio-íon com vida útil de três anos e meio. A sede portátil pode monitorar acima de oito sensores e operar diretamente da rede elétrica. Qualquer adulteração acima de dois feixes o alarme dispara. O sensor é a prova d’água, inviolável e impermeável a danos de raios UV.

Notícias Relacionadas

Cases

Grupo Unidasul adota solução óptica Furukawa em centro de distribuição e em novas unidades no Rio Grande do Sul

Com a expansão de sua rede de supermercados Rissul e de atacarejos Macromix pelo estado do Rio Grande do Sul,…

Destaque

Datacenters precisam de vigilância RSA para garantir segurança

Esta ferramenta do Genetec Security Center combinado ao uso dos sensores existentes ajuda a lidar proativamente com ameaças antes que…

Destaque

Como a tecnologia pode aprimorar a segurança em cidades inteligentes?

Apesar de o conceito de cidade inteligente ser relativamente recente, ele já se consolidou como assunto fundamental na discussão da…