Hospital das Clínicas realiza simulação de catástrofe com mais de 150 profissionais

O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP) realizou o 2º Simpósio de Segurança “Atuação do Poder Público em Situações de Catástrofe na Cidade de São Paulo”, no Auditório do Centro de Convenções Rebouças, no dia 24 de agosto.

O evento contou com a participação e palestra do Comando Geral da Polícia Militar, Comitê de Crise do Hospital das Clínicas (HC), Corpo de Bombeiros, Grupo de Resgate e Atendimento a Urgências (GRAU) e Grupo de Ações Táticas Especiais (GATE), que abordaram assuntos como atendimento a reféns, desativação de artefatos, desmoronamentos, incêndios, reanimação de afogados, inundações, ações preventivas, preservação da ordem pública e policiamento comunitário.

Na sequência foi executada a maior simulação de catástrofe e abandono já realizada pelo Hospital, com a participação de mais de 150 profissionais, entre médicos, pacientes, seguranças, funcionários, Corpo de Bombeiros, GRAU e a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). A simulação incluiu uma explosão com incêndio dentro do centro cirúrgico, no 9º andar do prédio dos ambulatórios. O tempo total de evacuação do prédio foi de 12 minutos e o teste serviu para observar como funciona os serviços de emergências do Hospital diante de um incidente.

“Para os Bombeiros é uma situação muito diferente retirar um paciente gravemente enfermo. Temos que lembrar que a pessoa está entubada, com bombas de infusão, com vários acessos venosos, sondas e drenos. Por outro lado, para nós é muito importante, porque se temos que abandonar uma área, nós levamos o maior número de pacientes que conseguimos. Os que não conseguimos, nós deixamos o mais preparado possível dentro de uma Unidade de Tratamento Intensiva (UTI)”, explicou Beatriz Perondi, Diretora de Plantão Controlador do HC.

A ideia é que o simulado seja realizado pelo menos uma vez ao ano. “Nós somos ponto para receber pacientes de outras catástrofes, por isso decidimos fazer um simulado para treinar o nosso pessoal em uma situação dessas. Treinar a brigada é essencial e deve ser algo constante”, disse a Coordenadora de Segurança Corporativa do HC, Rita Peres.

A Sydel, integradora de soluções de segurança eletrônica e automação inteligente, é a empresa que realiza a segurança, descrição dos processos e automação predial do Hospital das Clínicas, e colaborou com o simpósio e o simulado patrocinando o evento. A Sydel atua no mercado há 15 anos realizando projetos complexos de segurança eletrônica.

Notícias Relacionadas

Cases

Grupo Unidasul adota solução óptica Furukawa em centro de distribuição e em novas unidades no Rio Grande do Sul

Com a expansão de sua rede de supermercados Rissul e de atacarejos Macromix pelo estado do Rio Grande do Sul,…

Destaque

Datacenters precisam de vigilância RSA para garantir segurança

Esta ferramenta do Genetec Security Center combinado ao uso dos sensores existentes ajuda a lidar proativamente com ameaças antes que…

Destaque

Como a tecnologia pode aprimorar a segurança em cidades inteligentes?

Apesar de o conceito de cidade inteligente ser relativamente recente, ele já se consolidou como assunto fundamental na discussão da…