Genetec aponta tendências de segurança física para 2021

A Genetec, fornecedora líder de tecnologia de soluções unificadas de segurança, segurança pública, operações e inteligência de negócios, destaca cinco principais previsões para a indústria de segurança física em 2021.

Soluções de segurança inovadoras ajudarão as empresas a prosperar após a pandemia

Enquanto o mundo permanece otimista para 2021, as empresas precisarão permanecer criativas sobre como usar, atualizar e reimplantar seus sistemas de segurança em suas instalações. Isso permitirá que comecem a pensar mais amplamente sobre a função da segurança física e o que ela pode fazer, além dos aplicativos tradicionais, para fornecer mais valor.

A prova dessa resiliência e desenvoltura pode ser constatada nos últimos meses devido ao fato de muitas organizações estarem se adaptando rapidamente às novas necessidades e desafios colocados pelo COVID-19, usando suas tecnologias de segurança física como ferramentas estratégicas no combate à pandemia.

De muitas maneiras, as grandes dificuldades trazidas pela situação atual colocaram um foco maior no papel e na importância da indústria de segurança física e, quando a pandemia terminar, a Genetec acredita que as companhias continuarão a olhar para essas tecnologias e os dados gerados como estratégicos e referenciais para definir modelos corporativos.

As empresas se concentrarão na proteção da privacidade

Em um esforço para manter as pessoas seguras durante a pandemia da COVID-19, muitas organizações correram para implementar dispositivos de “detecção de febre” e outros novos sensores, sem necessariamente ter tempo para considerar as implicações de privacidade. Agora, a tendência é que as empresas do setor de segurança física passem a investir em soluções adequadas para responder às questões relativas à privacidade.

Ao invés de impedir o desenvolvimento de novas tecnologias, a privacidade será uma força motriz na busca de um design responsável e inovador, encorajando desenvolvedores éticos e com visão de futuro a adotar metodologias Privacy by Design, ou seja, já desenvolvidas para atender às exigências de privacidade. Isso envolve a integração proativa da privacidade nos projetos e operação de sistemas de TI, na infraestrutura de rede e nas práticas de negócios, desde a primeira linha de código até os fornecedores terceirizados selecionados para parceria e integração.

Especificamente, no setor de segurança física, desenvolver uma solução de software do zero com a privacidade em mente significa que desenvolver ferramentas que aliem proteger a privacidade individual a garantir a segurança física.

Os riscos de cibersegurança continuarão a aumentar

A cibersegurança continuará a ser uma preocupação vital em 2021. De escolas e hospitais a empresas privadas e governos houve um aumento nos ataques cibernéticos no ano passado. Somente no terceiro trimestre de 2020, a Trend Micro relatou que havia quase quatro milhões de ameaças de e-mail e mais de um milhão de acessos em URLs maliciosos relacionados ao COVID-19.

Muitos desses ataques estão relacionados ao trabalho remoto, que assegurou o funcionamento das empresas e a realização de negócios, em um momento no qual precisavam proteger os ativos corporativos. Essa mudança destacou o fato que o tradicional perímetro da TI não existe mais. Empresas, organizações e governos precisarão dar passos decisivos para o fortalecimento da postura cibernética, ou arriscarão minar a segurança da propriedade intelectual, de dados sensíveis e de informações pessoais.

A escolha de fornecedores confiáveis​​e a implementação de soluções de segurança física com camadas de defesa cibernética é algo crítico. As equipes de segurança entendem que a criptografia integrada, a autenticação de múltiplos fatores e o gerenciamento de senha são as primeiras linhas de defesa, e o acesso à pontuação de risco cibernéticos, alertas de vulnerabilidade e lembretes automatizados para atualizações de firmwares e hardwares são outros recursos que trazem vantagens significativas nesse ambiente de riscos elevados

Maior foco na construção de uma rede de segurança com parceiros de confiança

A tecnologia de segurança física tornou-se parte integrante da estratégia de TI das empresas e está agora sob o mesmo nível de escrutínio que outros elementos da lista de tecnologia. Alguns governos já estão desencorajando o uso de certos produtos, de fabricantes de segurança, citando vulnerabilidades de confiança e segurança.

Os usuários finais, especialmente no espaço empresarial, estão dedicando mais tempo para examinar detalhadamente os fabricantes, fornecedores e distribuidores com os quais escolhem trabalhar. Isso inclui fazer perguntas mais pontuais sobre como eles gerenciam ameaças emergentes, o quanto conhecem as vulnerabilidades de seus produtos e do ecossistema de parceiros, quais são seus dados e políticas de privacidade etc.

Desta forma, para que um provedor seja considerado um parceiro de boa reputação e confiável para seus clientes, ele terá de atender a requisitos mais rigorosos como parte do processo de aquisição.

A demanda por soluções de nuvem híbrida continuará crescendo
De acordo com o relatório recente da Forrester, Predictions 2021: Cloud Computing Powers Pandemic Recovery, a infraestrutura de nuvem pública global crescerá 35% para um valor de mercado de US$ 120 bilhões no próximo ano. Devido ao aumento do uso on-line e do trabalho remoto durante a pandemia, uma mudança global em direção à transformação digital, já em andamento, se acelerou muito.

Para crescer, os profissionais de segurança física precisarão seguir o exemplo dos departamentos de TI. No próximo ano, os líderes do segmento devem abandonar a divisão entre os sistemas de segurança em nuvem e locais e adotar um modelo de implementação híbrido em sua infraestrutura. Isso permitirá que implementem sistemas ou aplicativos específicos na nuvem, mantendo os sistemas locais existentes.

Com uma abordagem de nuvem híbrida, os diretores de segurança se tornarão mais ágeis na tomada de decisões sobre como podem melhorar a escalabilidade, redundância e disponibilidade para atender às necessidades de suas empresas.

Eles também poderão migrar rapidamente para tecnologias mais novas, minimizar a pegada do hardware, aumentar a segurança cibernética e reduzir custos. As ofertas de nuvem precisam se tornar uma opção essencial para se adaptar rapidamente às mudanças e garantir a continuidade dos negócios.

Notícias Relacionadas

Artigos

A anatomia de um ataque cibernético

Por André Fleury Era uma quinta-feira, dez e meia da noite, e estávamos na segunda semana de trabalho incansável recuperando…

Destaque

Adistec Brasil encerra 2020 com bom desempenho e registra 10% de crescimento

A Adistec Brasil, distribuidora de valor agregado com foco em infraestrutura para Data Centers e Segurança da Informação, encerrou o…

Destaque

Oscilação de energia: saiba como proteger os aparelhos da sua casa e empresa

Por Maria Helena Garcia Imagine que a queda de um raio cause uma sobrecarga elétrica na sua empresa, comprometendo a…