Segundo dia do Futurecom Digital Summit aborda oportunidades de uso combinado de Inteligência Artificial e IoT

A integração de tecnologias aumenta a agilidade dos processos e, consequentemente, da produtividade. Nesse sentido existe um grande potencial de uso de soluções combinadas para solucionar problemas do dia a dia e trazer resultados para o negócio. Quando se fala de Inteligência Artificial e IoT trabalhando juntas, é possível gerir toda a cadeia produtiva de maneira automatizada, com mais eficiênciasegurança e redução de custos. A decisão final será humana, mas a tecnologia pode atuar de maneira preditiva e auxiliar na tomada de decisão.

Essa foi a tônica do painel “Oportunidades na Transformação dos Negócios com Uso Combinado de Inteligência Artificial e IoT (AIoT)”, promovido pelo Futurecom Digital Summit, evento que antecipa discussões que irão permear a 22ª edição do Futurecom, principal evento de tecnologia, telecomunicações e transformação digital da América Latina, que ocorrerá de 27 a 29 de outubro, no São Paulo Expo, em São Paulo. Em apenas dois dias, o evento virtual reuniu uma audiência de 2000 pessoas e 26 palestrantes, totalizando sete horas de conteúdo.

O painel contou com a participação de Marcello Borges, CIO do Grupo Queiroz Galvão; Helder Canelas, Head of Service BU da ThyssenKrupp para América Latina; João Emílio Rocheto, presidente da Bem Brasil e Marcelo Pinto, diretor da WEG, com a moderação de Paulo José Spacca, presidente da Associação Brasileira de Internet das Coisas (ABINC).

Segundo Marcello Borges, o potencial da Indústria 4.0 é ilimitado. Com ganho de escala, as tecnologias se tornam mais baratas, trazem mais informações e geram produtividade. “A pandemia fez com as lideranças olhassem para a TI como forma de se tornarem mais produtivas enquanto empresa e País”, destaca o executivo.

Marcelo Pinto, diretor da WEG, compartilha da mesma opinião e explica que o uso combinado de IA e IoT permite fazer, além da predição de quebra de equipamentos, por exemplo, uma inspeção de qualidade em toda a cadeia. “O ideal é criar condições para que essas tecnologias não sejam acessíveis apenas às grandes empresas. Caminhamos para a ‘uberização’ das indústrias, em que se valoriza o trabalho compartilhado”, disse.

A WEG anunciou esta semana a compra da Mvisia, uma startup especializada em Inteligência Artificial e visão computacional para a indústria. A aquisição faz parte da estratégia da companhia de incluir novos recursos à WEG Digital Solutions e à plataforma IoT WEGnology, lançada com o objetivo de atender as demandas da Indústria 4.0. Essa é terceira aquisição anunciada desde que a empresa criou a nova estrutura de negócios digitais para acelerar o desenvolvimento de tecnologias para a Indústria 4.0.

Helder Canelas, da ThyssenKrupp, ressaltou a utilização de aplicativos para que os clientes de quaisquer produtos da empresa possam fazer a gestão remota dos equipamentos. Segundo ele, a utilização de novas tecnologias, como IA e IoT, podem contribuir na retenção dos clientes e ampliar o Net Promoter Score, ou NPS, ao promover um atendimento diferenciado.

Para João Emilio Rocheto, presidente da Bem Brasil, empresa que produz batata pré-frita congelada e ocupa a liderança do varejo nacional neste segmento, a companhia está numa fase intermediária da implementação da Indústria 4.0. A ideia é que os equipamentos conversem cada vez mais entre si, utilizando a inteligência para otimizar processos e entregar mais produtividade.

Todos os participantes defedem a regulamentação na utilização dos dados. “Com tudo conectado, teremos o problema com a segurança da informação. É preciso ter uma lei mais rígida em relação aos ataques cibernéticos”, enfatiza o CIO da Queiroz Galvão.

De acordo com os executivos, as indústrias podem ter problemas diferentes, mas os desafios são os mesmos: integrar as tecnologias de IA e IoT com segurança para melhorar a experiência do cliente/usuário.

Futurecom Digital Summit seguirá até o dia 2 de julho. Organizado pela Informa Markets, o Digital Summit leva para seus debates a mesma qualidade dos conteúdos do encontro físico do Futurecom. São duas sessões diárias com acesso totalmente gratuito e veiculadas pelo site do Futurecom.

Para conferir as próximas discussões, clique aqui.

Notícias Relacionadas

Destaque

Uso de Inteligência Artificial tem sido imperativo para combater ataques cibernéticos durante pandemia

A coleta, o monitoramento e a análise credíveis de dados são imperativos à medida que se adota novas tecnologias, como…

Destaque

Distribuidora especializada em segurança eletrônica investe 40% a mais para atender o novo normal

A pandemia da COVID-19 chegou e acelerou as mudanças tecnológicas do mundo, principalmente no setor de Segurança Eletrônica. O mercado…

Artigos

Sua empresa está preparada para o Apagão Digital?

Por Pedro Al Shara Não é mais novidade que estamos vivendo em um cenário que se torna a cada dia…