Frota Terceirizada: quem é o responsável pelo pagamento das multas?

Seja terceirizada ou não, receber a notificação de uma multa em uma frota é uma situação desagradável. Mas, no caso de frotas de veículos terceirizados, a situação pode ser ainda mais desagradável para os gestores que não possuem as informações necessárias para efetuar o pagamento de multas da forma correta. Afinal, a dúvida sempre vem à tona: quem é o responsável pelo pagamento de multas? A empresa, o condutor ou a locadora?

Ter conhecimento das informações necessárias sobre o pagamento de multas em caso de frota terceirizada ainda é uma dúvida recorrente entre os gerentes de logísticas. Neste artigo trazemos tudo o que você precisa saber sobre o processo de pagamento de multas em uma frota de veículos terceirizada e, com isso, evitar problemas futuros sobre este assunto.

Como é o processo para o pagamento de multas?
O transporte de cargas é feito majoritariamente por veículos; por mais que haja cuidado de alguns condutores, infrações de trânsito não são impossibilidades no cenário das transportadoras. Em casos assim, logo após a infração ser cometida, a locadora é notificada, por ser a proprietário do veículo. Após a notificação, a locadora deve efetuar o pagamento da multa imediatamente, a fim de que o veículo não seja impedido de rodar e não comprometa a produtividade da frota.

O procedimento a seguir é padrão: a locadora encaminha a notificação e todas as informações necessárias para a empresa contratante; cabe a empresa informar à locadora os dados do condutor assim que tomar ciência da multa. Caso a empresa não identifique o condutor, o valor da multa é dobrado.

De quem é a responsabilidade do pagamento de multas?
Este o ponto de maior dúvida. Afinal, quem é o responsável pelo pagamento de multas em frotas terceirizadas? Durante o procedimento, a locadora é notificada e paga o valor estipulado da multa, a fim de regularizar a situação de seu veículo. No entanto, por mais que seja quem se responsabiliza por gerir o pagamento de multas, a locadora não é a verdadeira responsável pelo pagamento da multa e sim a empresa contratante. Logo após ser informada sobre a multa, a empresa deve reembolsar a locadora. Lembrando que as cobranças de multa são enviadas juntamente com o faturamento mensal.

Responsabilidade do condutor
Depois de reembolsar a locadora, é da empresa a responsabilidade pelo custo gerado. Ela tem a opção de assumir o pagamento de multas ou repassar o custo da infração para o condutor que a cometeu. Esta é uma situação que depende diretamente dos processos internos da empresa e da política de frotas que ela possui. Mas, é importante que todos os colaboradores estejam cientes disso antes de assinar documentos ou termos de responsabilidade relacionados à política e as regras da frota.

É possível recorrer a multa?
Outra dúvida quando o assunto é o pagamento de multas em frotas terceirizadas é se existe a possibilidade de recorrer judicialmente à infração. O responsável pela multa – seja contratante ou condutor – pode sim optar por recorrer. Ele pode pedir a anulação, mesmo que o pagamento já tenha sido efetuado. Vale lembrar que, caso o recurso seja julgado procedente, quando o juiz aceita o pedido do autor da ação, a locadora tem o dever de reembolsar a empresa pelo valor pago. Esse procedimento tem como finalidade garantir a regularidade dos veículos da frota.

Planejamento de multa
É importante que as empresas contratantes sejam as responsáveis por investir em um planejamento de multas específico para frotas terceirizadas, afinal, as locadoras apenas fornecem os veículos. É dever da empresa, principalmente, fornecer treinamento eficiente e conscientização dos condutores quanto a necessidade respeitar as leis de trânsito.

O gestor tem como função garantir o cumprimento das regras estabelecidas na política de frotas, a qual deve ser bem desenvolvida, proporcionando um bom gerenciamento tanto da frota quanto dos funcionários. É necessário estar atento para o controle e minimização de atitudes inadequadas que possam conduzir a uma multa. Colaboradores conscientes não são um benefício apenas por evitar o pagamento de multas, mas principalmente por estarem preocupados com a segurança de si próprios e das pessoas ao seu redor.

Fonte: Systemsat

Notícias Relacionadas

Destaque

PositivoSEG orienta empresas que pretendem investir em segurança eletrônica e não sabem por onde começar

Diretor de IoT, José Ricardo Tobias elenca cinco passos iniciais que vão garantir uma escolha inteligente para proteger os ativos…

Destaque

LogPlace inicia transporte de cargas de alto valor em parceria com a TBForte

O lançamento do serviço foi marcado por uma homenagem ao piloto Ayrton Senna com transporte do capacete utilizado em 1988…

Cases

Lotérica reduz custo na gestão de numerário e zera perdas com cofre inteligente

Cansado de assaltos e de perder horas do dia fazendo a contagem das cédulas, o empresário José Eduardo Nogueira de…