Em Foco Pedro Duarte – Avigilon: Experiência e profissionalismo

Pedro Duarte é o novo vice-presidente para América Latina da Avigilon e está há mais de 25 anos no mercado de segurança, atuando em companhias multinacionais como General Eletric, Samsung e Hanwha Techwin. Nesta entrevista, o executivo, que também é presidente da ALAS (Associação Latino-Americana de Segurança) Internacional, fala sobre a sua carreira, o futuro da Avigilon e os próximos lançamentos da companhia

Por Fernanda Ferreira

Revista Segurança Eletrônica: Você tem uma trajetória brilhante no mercado de segurança. Poderia nos contar a sua história profissional ao longo desses 25 anos?
Pedro Duarte: Minha formação acadêmica é de Engenharia Elétrica e Eletrônica. Eu iniciei no mercado de Segurança como diretor de Vendas para a América Latina na Fiber Options, na época a mais avançada empresa de transceptores de Fibra Ótica para o mercado. Logo depois, a mesma foi adquirida pelo Grupo Interlogix que terminou sendo adquirida pela General Electric, foi quando eu fui convidado para ser o presidente e gerente geral LATAM para montar a estrutura da GE Security na América Latina. Depois de mais de oito anos, assumi a posição de vice-presidente para América Latina para a Samsung Techwin, que acabou depois de nove anos sendo adquirida pelo grupo Coreano Hanwha. Depois de um curto período trabalhando como consultor para vários fabricantes, como a Computar Ganz, acabei assumindo a posição de vice -presidente LATAM para a Avigilon.

Revista Segurança Eletrônica: E como pretende contribuir para o crescimento e aperfeiçoamento da Avigilon nessa nova posição?
Pedro Duarte: A Avigilon tem um portfólio fantástico de altíssima qualidade e tecnologia. Originalmente a companhia era uma empresa que se dedicava somente a fabricação de câmaras, e depois começou a desenvolver software avançadíssimos de Inteligência Artificial e Deep Learning; VMS inigualáveis em termos de estabilidade e recursos de AI e sistemas de controle de acesso integrados. Os softwares são de plataforma aberta, podendo se integrar com vários outros fabricantes. A grande vantagem também é que a Avigilon controla todo o processo de fabricação em nossas plantas em Vancouver, no Canadá, e em Plano, no Texas, garantido um altíssimo nível de qualidade.

Revista Segurança Eletrônica: Quais são os desafios que acredita que enfrentará nessa nova fase da sua carreira?
Pedro Duarte: Como a Avigilon está concentrada em ser o mais confiável provedor de soluções fim-a-fim de de segurança, estamos focados em projetos de porte, onde a sofisticação de Inteligência Artificial, procura avançada de pessoas e veículos, entre outros, possa ser aplicada em toda a sua extensão.

Revista Segurança Eletrônica: Quais são os planos da Avigilon para a América Latina em 2018?
Pedro Duarte: Aproveitando a incerteza para onde vão os outros fabricantes com suas aquisições, por exemplo Sony/Bosch, Cannon/Axis, Hanwha/ Samsung, e um momento onde a segurança cibernética está se tornando um item de forte preocupação no mercado (câmaras que são “hackeadas”, sistemas que não tem performance boas, etc.) vamos nos focar apresentando nossas avançadas soluções que realmente entregam o que prometem. Também a iminente aquisição da empresa pela Motorola Solutions recentemente anunciada, nos abrirá um espaço muito mais amplo para implementarmos nossas soluções.

Revista Segurança Eletrônica: E quais as novidades que a companhia irá apresentar ao mercado de segurança?
Pedro Duarte: Temos mais de 20 produtos entrando no mercado este ano. Alguns deles serão mostrados na ISC West em Las Vegas em abril. É realmente um número significante de novos modelos de câmeras, de sistemas avançados de vídeo e controle de acesso integrados.

Revista Segurança Eletrônica: Há alguma vertical específica que a companhia irá focar mais ao longo dos próximos meses?
Pedro Duarte: Nos focaremos em todas as verticais, mas com ênfase na área governamental e retail, onde a demanda por sistemas bem sofisticados é bastante importante.

Revista Segurança Eletrônica: Uma das tendências que o mercado nacional e também global tem praticado é a modalidade de Serviços. A Avigilon pensa em atuar nessa modalidade também?
Pedro Duarte: A Avigilon já possui um sistema de Cloud (Avigilon Blue) que está sendo lançado primeiramente nos Estados Unidos e Europa, mas tenho certeza que dentro do próximo ano estará disponível na América Latina. Segurança como Serviço é uma forte tendência no mercado.

Revista Segurança Eletrônica: Em relação ao Brasil, como será a atuação da Avigilon no país? Há um planejamento para aumentar a atuação por aqui?
Pedro Duarte: Sem dúvida. O plano é expandir a presença da Avigilon em todo o território nacional com novos parceiros certificados que possam implementar projetos mais sofisticados.

Revista Segurança Eletrônica: A Alas está há mais de 20 anos reunindo as companhias da indústria de segurança da América Latina através de cursos, eventos e premiações de projetos. Quais são as ações que a Associação irá realizar ao longo do ano?
Pedro Duarte: A ALAS continuará implementando Comitês Nacionais em cada país da América Latina e provendo treinamento, networking, serviços de marketing aos seus sócios, além das várias vantagens de se tornar um membro de ALAS.

Notícias Relacionadas

Artigos

Radares: evolução e aplicação na segurança patrimonial

Por Engº Kleber Reis Eles são destaque nas feiras de segurança no Brasil e no mundo, e não é por…

Destaque

Como funciona a lei em relação à exposição de imagens em câmeras de segurança?

Francisco Gomes Júnior, advogado especialista em direito digital, explica que imagem é um dado pessoal e que não é permitido…

Destaque

Acaba de chegar ao Brasil drone capaz de voar 24 horas por dia

Desembarcou essa semana em São Paulo, diretamente de Israel, o drone cabeado com a capacidade de voar 24 horas por…