Digifort e Brasil Tecnologia instalam soluções inovadoras no complexo nacional do Martins Atacadista

O software Digifort acaba de registrar mais um importante caso de sucesso no segmento brasileiro de atacado e distribuição de mercadorias. Desta vez, o projeto de inovação tecnologia e monitoramento digital de imagens foi desenvolvido pelo integrador Brasil Tecnologia.

O trabalho teve como desafio atender as demandas da empresa seguradora do cliente final, da segurança patrimonial e da inteligência artificial na redução de perdas dentro do complexo Martins Atacadista (eFacil), localizado na cidade de Uberlândia/MG.

Como plano estratégico de proteção e melhoria contínua das marcas contratadas e contratante, os esforços dos especialistas envolvidos neste player mineiro estão acontecendo de forma dedicada desde 2014.

Adeutemar Ferreira Júnior, CEO da Brasil Tecnologia, destaca a importância de ser um integrador confiável, dos detalhes técnicos do pioneiro projeto e quais foram as necessidades que indicaram o software neste caso de sucesso.

“Começamos em 2014, mas a melhoria dos serviços, a busca por tecnologias e soluções inovadora continuam até hoje. Este planejamento foi feito por dois engenheiros, um projetista, um coordenador, um supervisor, dois líderes técnicos, oitos profissionais na equipe de implantação, um técnico de TI e duas pessoas do setor comercial. A área vigiada é de aproximadamente 80 mil metros quadrados, onde circulam cerca de 1500 pessoas diariamente. É um desafio com o perfil do Digifort”, revela.

Recursos demandados pelo projeto

Júnior explica, sob o ponto de vista prático, quais foram as necessidades administrativas, técnicas e operacionais que indicaram o Digifort como o melhor sistema VMS (Vídeo Management System) para este projeto em Uberlândia.

“Uma das premissas deste trabalho foi o de atender as exigências feitas pela seguradora do complexo, principalmente na questão da prevenção de perdas e na ampliação da segurança operacional de forma em geral. Neste contexto, o software se encaixou perfeitamente nos estudos que realizamos na busca por flexibilidade, robustez, funcionalidades, estrutura da empresa provedora da tecnologia e comunicação eficaz entre os agentes envolvidos”, valoriza o CEO.

Ele conta que o projeto de VMS do Martins Atacadista contempla 334 câmeras, quatro servidores de dados, quatro unidades para backup das imagens gravadas (storages) e 16 switches. A versão de software utilizada é a Digifort Enterprise. “A infraestrutura instalada incorpora cerca de 2000 metros quadrados de eletrocalhas, perfilados e eletrodutos. O projeto ainda conta com uma vasta elasticidade tecnológica, composta por mais de 400 terabytes de capacidade de armazenamento, cinco clients de monitoramento e um painel vídeo wall com nove telas de 43 polegadas. Além do Digifort, os fabricantes envolvidos foram Hikvision (100% das câmeras), Dell, Cisco, Furukawa, Commbox, Seagate e Policon”, explica.

Inteligência artificial em prol da operação

Além da robustez sistêmica, a Brasil Tecnologia fez uso de outros recursos do primeiro software brasileiro de monitoramento IP. Entre os módulos utilizados estão os Analíticos Inteligentes de Vídeo, com a finalidade de proteção em caso de invasão perimetral (cerca virtual) e o controle de pessoas em ambientes vistoriados. O projeto ainda conta com alertas em dias e horários específicos, além da automação de portas e portões em áreas operacionais.

“Além da facilidade de acesso ao sistema, o Digifort proporcionou a integração entre matriz e filiais. Os problemas mais críticos resolvidos pelo software foram a redução das perdas, os danos materiais e o controle pleno no rastreio de mercadorias”, conta Júnior.

A rede de VMS do Martins Atacadista possui central de monitoramento que opera 24 horas por dia. Ela conta com equipes internas por turno, integradas ao apoio externo das forças policiais.

“É importante ressaltar que iniciamos tudo isso em 2010, no ambiente residencial do presidente da Distribuidora Martins Atacadista. Em seguida, levamos essa tecnologia para sua propriedade rural. Com o sucesso de ambos os projetos, fomos direcionados para outros players deste cliente. Esse foi ponto de partida para este atual caso de sucesso. A partir de 2014, expandimos para as unidades em todo Brasil, somando-se atualmente mais de 1000 câmeras instaladas, todas gerenciadas pelo software Digifort”, finaliza o executivo.

Notícias Relacionadas

Revista

Nova edição da Revista Segurança Eletrônica está disponível

A nova edição da Revista Segurança Eletrônica (abril/2021) está no ar! Nela trouxemos o case do banco Santander, que reformulou…

Destaque

23ª edição da EXPOSEC é adiada para 2022

Maior feira de segurança na América Latina, antes programada para junho deste ano, foi transferida para o período de 7…

Destaque

Homem processa polícia após ser preso por engano por falha em reconhecimento facial

Um homem entrou com um processo contra a polícia de Detroit, nos Estados Unidos, após ser preso por engano por…