Conheça o complexo esquema de segurança para a final do Super Bowl 2018

O Super Bowl é indiscutivelmente o maior evento esportivo nos Estados Unidos. Milhares de pessoas de todo o país irão ao Estádio U.S. Bank,  em Minneapolis, nos Estados Unidos, para assistir duas equipes de futebol profissional duelar para se tornar o 52º campeão do Super Bowl.

O tamanho e a popularidade do evento justificam a quantidade de trabalho que o FBI (em português: Departamento Federal de Investigação), o Departamento de Polícia de Minneapolis (MPD) e outras agências locais estão fazendo para manter o jogo seguro e protegido para os participantes, atletas, equipes de treinamento e funcionários das instalações. As agências planejaram a segurança desse evento por quase dois anos, de acordo com um comunicado de imprensa do FBI.

O MPD é a principal agência de segurança no Super Bowl deste ano, de acordo com o FBI, mas eles são apoiados por dezenas de departamentos de polícia locais, organizações de segurança pública, agências federais e múltiplos componentes do Departamento de Segurança Interna.

“Um evento como esse envolve planejamento, preparação e parcerias”, disse Rick Thornton, agente especial encarregado da Divisão de Minneapolis do FBI. “Cada organização traz suas habilidades únicas para a mesa, mas requer um tremendo trabalho em equipe e cooperação para juntar tudo em um todo unificado”.

A menos de duas semanas do grande jogo, as agências estão se reunindo em Minneapolis para examinar cada cenário que pode acontecer durante o evento e mesmo em algumas das festividades que acontecem antes do jogo. As agências são convidadas a simular suas respostas a uma variedade de cenários, incluindo o clima, uma vez que a temperatura pode baixar muito em Minnesota.

Para manter os participantes e o pessoal de segurança fora do frio amargo, os fãs que frequentam o jogo serão pré-selecionados em locais internos, como o Mall of America, para que não tenham que esperar fora do estádio.

A segurança do estádio em si, provou ser um desafio, pois está localizado no coração do centro da cidade. As agências estabeleceram um perímetro seguro em torno do Estádio U.S. Bank e no dia do jogo reforçarão rigorosamente os fechamentos de estradas e colocarão barreiras para garantir que os veículos não conduzam em áreas separadas apenas para pedestres.

As principais responsabilidades do FBI no evento incluem assumir a liderança em qualquer tipo de incidente de crime terrorista, cibernético ou de porte maior, e fornecer inteligência em uma perspectiva nacional e internacional sobre ações ruins que possam tentar interromper as atividades do Super Bowl.

“Nós planejamos isso para garantir que nada aconteça”, disse o agente especial assistente da Divisão Minneapolis do FBI, Joe Rivers. “Mas se algo acontecer, algum tipo de acidente em massa ou ato de terrorismo, há uma enorme mudança incorporada no programa para continuar a apoiar o evento, como rápida resposta e investigação de crises”.

O FBI também assumiu a responsabilidade de credenciar milhares de oficiais de segurança pública e voluntários que precisarão de diferentes níveis de acesso aos locais do Super Bowl. Eles estão executando verificações de nome e registro para quase 30 mil pessoas.

“O objetivo é ter um evento seguro”, disse Rivers. “Queremos que todos os fãs da cidade vejam o jogo e aproveitem os eventos e as festividades sem ter que saber sobre todo o tempo, esforço e energia que foram empregados para chegar até esta etapa”.

Aplicativo de Segurança

Para ajudar a polícia a proteger os fãs no Super Bowl durante os 10 dias de festividades, foi desenvolvido um aplicativo chamado FieldWatch, que ajudará a dar consciência tática a polícia.

A Securonet desenvolveu a ferramenta a pedido da polícia de Minneapolis. Mais de 2.000 funcionários irão baixar o aplicativo para os smartphones, além de parceiros estaduais e federais.

Uma das principais funções do aplicativo é a capacidade de transmitir o que o oficial está olhando. O vídeo é enviado diretamente para os supervisores responsáveis ​​no centro de comando.

“Pode haver objetos não identificados ou atividades suspeitas acontecendo ou talvez seja um protesto que eles desejam garantir que todos estejam seguros, então é bom ter uma visão para comandar o que está acontecendo”, disse o presidente da Secruonet, Dan Zell.

O aplicativo também rastreia a localização dos oficiais e permite que eles solicitem o backup, se necessário. A plataforma também torna mais fácil para a unidade de comando se comunicar com os oficiais em vez de usar mensagem de texto ou e-mail.

Zell disse que esta é a primeira vez que esta tecnologia será usada durante um Super Bowl, mas testou o produto antes nos X Games. A empresa planeja lançá-lo em todo o país após o grande jogo.

Notícias Relacionadas

Cases

Grupo Unidasul adota solução óptica Furukawa em centro de distribuição e em novas unidades no Rio Grande do Sul

Com a expansão de sua rede de supermercados Rissul e de atacarejos Macromix pelo estado do Rio Grande do Sul,…

Destaque

Datacenters precisam de vigilância RSA para garantir segurança

Esta ferramenta do Genetec Security Center combinado ao uso dos sensores existentes ajuda a lidar proativamente com ameaças antes que…

Destaque

Como a tecnologia pode aprimorar a segurança em cidades inteligentes?

Apesar de o conceito de cidade inteligente ser relativamente recente, ele já se consolidou como assunto fundamental na discussão da…