Condomínio implanta solução de portaria remota e aumenta segurança para os moradores

Com o novo sistema qualquer atividade suspeita é identificada antecipadamente pela central de monitoramento

Por Fernanda Ferreira

O Edifício Lubélia Manganelli, localizado na cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais, era um condomínio tradicional de 15 andares que contava com uma portaria física e um total de quatro porteiros trabalhando em diferentes turnos para realizar o controle de entrada e saída dos moradores e seus visitantes.

Em 2017, buscando mais segurança e um melhor equilíbrio no orçamento do complexo, o síndico Helio Pereira começou a pesquisar sobre o modelo de portaria remota e os seus benefícios. “Procurei empresas na minha região e verifiquei que poderia ter um sistema com tecnologia avançada e um monitoramento e atendimento ativo por um custo menor do que a modalidade convencional. A partir daí iniciei um trabalho de mostrar para os moradores tudo o que poderíamos ter com a solução de portaria remota”, explicou o síndico.

As principais vantagens destacadas pelo administrador do edifícios são o monitoramento 24 horas por dia por uma equipe atenta e especializada e a redução drástica de custos. “Especialmente no período noturno nós ficávamos muito vulneráveis, porque infelizmente os porteiros dormiam, os moradores entravam e eles nem viam, além disso, por termos quatro profissionais registrados, tínhamos muitos encargos sociais, que consumiam a maior parte do orçamento. Ao migrarmos para a portaria remota, conseguimos economizar 70% das despesas, o que refletiu diretamente na mensalidade do condomínio”, disse Helio Pereira.

O novo modelo foi instalado pela integradora V-Guard Portaria Virtual, que implantou um sistema de CFTV completo, soluções de controle de acesso, alarmes e nobreaks. E para gerenciar toda a operação e realizar os atendimentos remotos, a empresa optou pelo sistema de portaria remota, autônoma e presencial da Tecnorise, o GEAR.

“Nós utilizávamos uma outra plataforma até conhecermos o GEAR. Queríamos trazer uma melhor experiência para os moradores e com o software conseguimos mais velocidade de resposta, aperfeiçoar o atendimento no condomínio, implantar o aplicativo para o morador e o síndico com várias opções, como abertura da garagem através do app, acompanhamento das câmeras, liberação de visitante, acionamento de pânico, etc.”, falou Filipe Filgueiras, CEO da V-Guard Portaria Virtual. “Através do sistema também conseguimos trabalhar com sensores analíticos, dessa maneira podemos configurar, por exemplo, que qualquer fluxo entre meia noite até as seis da manhã próximo a área do portão da garagem gere um alerta para o nosso operador, assim, se identificarmos uma movimentação atípica podemos coibir rapidamente, evitando qualquer dano ao condomínio”, disse Filipe.

Além de portaria remota, é possível trabalhar o modelo presencial e com atendimento autônomo no mesmo sistema, dessa forma um prédio empresarial, por exemplo, pode ter um modelo híbrido, ou seja, portaria física no horário comercial e portaria virtual fora desse horário. O mesmo acontece com condomínios residenciais, o GEAR pode ser configurado para acionar o morador diretamente no celular dele, via app, sem passar pela central de atendimento. Ele acessa as imagens das câmeras do portão pelo aplicativo e faz a liberação com um clique.

“Nossa missão é melhorar a vida de quem mora e visita condomínios, conseguimos isso criando soluções de acesso rápidas e seguras. Na prática entendemos que ao agilizar o processo de acesso de um morador ou visitante, sem deixar de seguir os protocolos de segurança, todos ganham. O visitante ou morador não demoram para entrar no condomínio, por sua vez a central de atendimento ganha eficiência podendo realizar mais atendimentos”, falou Wylkie Colares, CEO da Tecnorise.

Pronta resposta com a portaria remota

O síndico do Edifício Lubélia Manganelli relatou que em maio deste ano um criminoso tentou entrar no prédio, mas a equipe de monitoramento recebeu o alerta do sistema e imediatamente enviou uma viatura da empresa para realizar a pronta resposta e impedir que o meliante continuasse com a ação. Dependendo do caso, a polícia também é acionada pela central para coibir a ocorrência.

“Esse acontecimento trouxe ainda mais tranquilidade para os moradores, porque eles sabem que o tempo todo o condomínio está sendo monitorado. Se isso tivesse acontecido com um porteiro físico, ele poderia ser rendido pelo assaltante ou ainda ficar quieto por medo de algo acontecer com ele, na situação do criminoso estar armado. O modelo de portaria remota é seguro tanto para quem mora no complexo como para o profissional que realiza a vigilância e atendimento”, finalizou o síndico.

Notícias Relacionadas

Cases

VIVOTEK implanta solução aprimorada de vigilância para uma cervejaria japonesa centenária

Uma conhecida cervejaria japonesa centenária, reverenciada localmente por seu saquê, shochu, vinho de ameixa, cerveja e aromatizantes, opera cinco cervejarias…

Cibersegurança

Cibersegurança e o fator humano: muito além da tecnologia

Por Andréa Thomé e Leylah Macluf Quase todas as empresas médias e grandes já sofreram um ataque cibernético. As que…

Destaque

Aeroportos tendem a ter processos mais inteligentes e focados em oferecer melhores experiencias aos clientes

Com este objetivo, as empresas devem ampliar sua digitalização e adotar soluções de segurança e inteligência cada vez mais integradas…