Cidades Inteligentes: Governo de Goiás vai instalar 564 câmeras de monitoramento

Equipamentos serão instalados em Goiânia, cidade de Goiás e municípios do Entorno do Distrito Federal. Câmeras utilizam tecnologia de inteligência artificial e fibra ótica

Com intuito de tornar a segurança pública mais ágil, eficiente e tecnológica, o Governo de Goiás irá instalar 564 câmeras de monitoramento em nove municípios ao longo deste ano. O projeto faz parte do Programa de Cidades Inteligentes, que está sob os cuidados da Secretaria-Geral do Governo (SGG), por meio da subsecretaria de Energia, Telecomunicações e Cidades Inteligentes (SETC).

As câmeras serão capazes de realizar reconhecimento facial de pessoas desaparecidas, procuradas pela Justiça e analisar suas características físicas, além de fazer a leitura de placas de veículos. Essa multiplicidade de usos, segundo o subsecretário da pasta, Renato Lyra, é um diferencial do equipamento. Outra vantagem é a comunicação em tempo real dos dados e integração entre o sistema de diferentes cidades.

“Existem muitos projetos de videomonitoramento no Brasil, mas faltam a eles comunicação. Nesse projeto desenvolvido pelo Governo de Goiás, todas as cidades estarão integradas no mesmo sistema. Então, uma pessoa pode desaparecer em Planaltina e a polícia irá saber, ao acessar o sistema, se essa pessoa passou em frente a uma câmera em Formosa, por exemplo”, esclarece o subsecretário.

Os municípios do Entorno do Distrito Federal (Águas Lindas de Goiás, Formosa, Luziânia, Planaltina, Cidade Ocidental, Valparaíso e Santo Antônio do Descoberto) receberão 331 câmeras. A Região da 44, em Goiânia, irá receber 22 câmeras, a partir de uma verba de emenda parlamentar. Já a Cidade de Goiás receberá 43 câmeras como parte de um projeto piloto para transformar o município histórico em uma cidade inteligente modelo.

As câmeras terão a conexão estabelecida por meio de fibra óptica para assegurar maior velocidade e segurança na transmissão de informações. O projeto também inclui a instalação de quatro Centros Integrados de Inteligência, Comando e Controle (CIICC) e utilização de softwares específicos. A previsão é que o processo licitatório para o projeto ocorra ainda no primeiro semestre.

Privacidade

O projeto de monitoramento tem o objetivo de melhorar a eficiência da segurança pública, sem colocar em risco a privacidade da população.

“O que o sistema será capaz de fazer é comparar a face filmada com o banco de dados de pessoas procuradas pela polícia, como criminosos foragidos e pessoas desaparecidas. Então, se você não for procurado, o sistema só irá reconhecer características físicas, sem fazer nenhum tipo de busca”, explica Lyra.

Cidades inteligentes

O projeto faz parte do Programa de Cidades Inteligentes do Governo de Goiás, que se refere à utilização estratégica de tecnologias em benefício de uma comunidade conectada. Isso inclui a integração e o uso estratégico de infraestrutura unificada, a interconexão de serviços, o acesso à informação, a comunicação, o monitoramento, o gerenciamento e outras soluções incorporáveis.

Notícias Relacionadas

Artigos

De onde vem essa tal de I.A.?

Por Nicolau Ramalho E essa tal de Inteligência Artificial? Novidade? Tendência? Moda? Será que é passageiro? ChatGPT, WatsonX, Bard. Inteligência…

Destaque

SegurPro investe em eletrificação da frota de veículos operacionais na Unilever

A multinacional de bens de consumo foi a primeira cliente da SegurPro no Brasil a adotar o uso de carros…

Destaque

Lei de Informática: instrumento de política industrial que beneficia produtos nacionais de segurança eletrônica

A Lei de Informática, Lei nº 8248/1991, também conhecida como Lei de TICs, é uma política que desde a década…