China usa tecnologia que reconhece pessoas pelo jeito de andar

O governo da China começou a implantar uma nova ferramenta de vigilância que parece ter saído da ficção científica. Chamada de “gait recognition” (reconhecimento de caminhada, em tradução livre), trata-se de um software que usa as formas do corpo das pessoas e a maneira de caminhar para identificá-las, mesmo quando seus rostos não são visíveis pelas câmeras.

O sistema já é usado nas ruas de Pequim e Xangai, integrando um esforço do país asiático para usar inteligência artificial na área de segurança e aumenta ainda mais seu rigoroso sistema de vigilância.

A ferramenta é desenvolvida pela startup chinesa Watrix. Segundo Huang Yongzhen, CEO da empresa, o sistema pode identificar pessoas a até 50 metros de distância, mesmo com as costas viradas ou o rosto coberto.

“Você não precisa da cooperação das pessoas para que possamos reconhecer sua identidade”, disse Huang à Associated Press. “A análise da caminhada não pode ser enganada simplesmente se a pessoa mancar, caminhar com os pés abertos ou se debruçar, porque estamos analisando todos os recursos de um corpo inteiro”.

No geral, a polícia chinesa usa o reconhecimento facial para reconhecer criminosos em multidões. Porém, considerando o histórico de uso de vigilância para controle rígido da população, indo além da investigação de crimes, os cidadãos têm razões para se preocupar com a adoção da nova ferramenta.

Um exemplo é a população muçulmana que vem aumentando sua presença na província de Xinjiang, no extremo oeste da China. As autoridades locais, interessadas em aumentar a vigilância já demonstraram interesse em adquirir o software.

Outros países devem implementar em breve

A iniciativa da China de começar a testar a tecnologia nas ruas é pioneira. Há mais de uma década, cientistas do Japão, Inglaterra e Estados Unidos estudam o reconhecimento de caminhada na intenção de uni-lo ao reconhecimento facial e permitir uma identificação mais precisa e ampla das pessoas. Os projetos ainda estão em fase de pesquisa e aprimoramento nesses países, mas nos próximos anos provavelmente já entrarão em operação.

O sistema ainda não é capaz de funcionar em tempo real. O software da Watrix, por exemplo, captura a silhueta de uma pessoa pelo vídeo e analisa o seu movimento para criar um modelo da forma como a pessoa caminha. Os usuários devem carregar o vídeo no sistema, que leva cerca de 10 minutos para pesquisar uma hora de vídeo.

O programa não requer câmeras especiais para capturar a imagem, podendo usar imagens das câmeras de vigilância normalmente utilizadas pelos governos. Huang afirma que a taxa de precisão é de 94%, considerada boa o suficiente para uso comercial do sistema.

Notícias Relacionadas

Cases

Aeroporto de Heathrow Londres transforma operações aeroportuárias com a Genetec

Plataforma unificada de segurança física dá suporte às ambições do aeroporto de inovação contínua A Genetec anunciou hoje que o…

Destaque

Seg Summit 2024: estratégias e inovações na segurança para o crescimento do agronegócio no Brasil

Por Engº Kleber Reis O mercado agro brasileiro é, sem dúvida, um dos principais pilares da economia nacional. Com uma…

Artigos

Monitoramento Seguro: Por que as câmeras wi-fi são essenciais para sua Casa Inteligente

Por Henrique Braz Rossi Com o avanço da tecnologia e a popularização das casas inteligentes no brasil, as câmeras de…