CFTV na nuvem

O Sistema de CFTV tradicional consiste em colocarmos câmeras no ambiente, em posições estratégicas para o monitoramento, conectadas através de cabos, sendo eles cabos coaxial, cabos de rede ou ainda sistemas Wirelles a uma ou mais unidades de gerenciamento e gravação. Essa estrutura está com os dias contados? Essa tal da nuvem irá mudar o modo que criamos nossos projetos de CFTV? Vamos analisar os prós e contras dessa tecnologia.

Quando falamos em gravar na nuvem, basicamente iremos transferir todos os vídeos para uma unidade remota, e essa unidade remota ou nuvem pode ser pública  (aberta a diversos usuários) ou privada (fechada, apenas para a propria empresa).

A Nuvem pública ou também os Data Centers chamados de compartilhados, Colocation ou ainda MTDC (Multi Tenant Data Center), são aqueles espaços destinados a hospedagem das aplicações das empresas, assim o data center é criado para a utilização de outras empresas, e é oferecido por uma taxa, segurança física, segurança lógica, controle de climatização, funcionamento 24 horas por 7 dias da semana. Também é oferecido backup de dados e contingência de hardware.

Em nossos projetos de CFTV sabemos que devemos entregar ao cliente soluções para funcionar também a 24×7, mas normalmente não vemos isso. Muitos sistemas não possuem climatização, não há backup de gravação e tão pouco sistemas de nobreak, ou seja, ficam sujeitos a falhas e podemos falar que contam com a sorte.

Com a gravação na Nuvem, isso seria solucionado. Os dados estariam protegidos e com disponibilidade total a infraestrutura necessária nos projetos, para manter o funcionamento em qualquer condição, e que muitas vezes é cortada devido aos custos, agora estaria disponível, por apenas uma taxa mensal.

Importante ressaltar que a segurança é garantida nos MTDC, a empresa só possui acesso a sua máquina ou a seus dados, não existe o risco de algum usuário ou outra empresa acessá-los. Podemos dizer que os MTDC são como os bancos que guardam o dinheiro de varias pessoas.

Como mencionado acima, temos também os data center privados, que possuem todas as vantagens dos MTDC, porém não estão disponíveis a qualquer empresa através de uma taxa mensal. Esses são destinados ao uso da própria empresa, normalmente empresas que necessitam de um nível maior de segurança, que tendem a mitigar o risco, como bancos, empresas de crédito, etc.

Mas nem tudo são flores para trabalhar com gravação na nuvem, também existem contras nessa utilização. Ao pensar em gravação remota a primeira palavra que vem em nossa mente é banda! Fluxo de vídeo gera banda, ou melhor, gera muita banda, e transmitir remotamente grandes fluxos de vídeo custa caro, muitas vezes impossibilita a utilização.

Temos também que pensar que em nosso país nossa infraestrutura de rede não é 100% , sempre estamos sujeitos a falhas, então devemos trabalhar com sistemas de backup de links de internet ou links privados, pois se caso um falhar iremos garantir que os dados serão transmitidos até a nuvem. Ou, como segunda opção, efetuar uma gravação local e realizar a transferência para a Nuvem somente em disponibilidade.

Muito se fala hoje da Internet das Coisas ou IoT, e temos estudos que em 2025 todos os dispositivos estarão conectados na internet e todos os dados estarão na nuvem, teremos uma infraestrutura mais barata e uma internet confiável, mas e se mesmo assim falhar? Gravação na borda, na própria câmera, através de cartões de memórias.

Daqui uns 10 ou 15 anos acredito que nosso sistema tradicional de CFTV irá mudar, a dependência do hardware será reduzida a quase zero, a centralização de software e também a dependência do gerenciamento irão chegar a zero. Vejo que teremos todos os videos sendo monitorados apenas nos celulares ou tablets.

Esse futuro está bem próximo, quem não acompanhar essas mudanças pode pensar em mudar de atuação.

Claudio Moraes

Claudio Moraes

Product Specialist - Anixter do Brasil Ltda.

Notícias Relacionadas

Destaque

7 vantagens em utilizar RADARES em um projeto de Segurança Perimetral

Ao elaborar um projeto de segurança de uma instalação, a área perimetral é o local que deve receber a principal…

Destaque

Condomínios recorrem a portaria remota para combater a violência

O Brasil está cada vez mais vertical. Nos últimos 35 anos o número de apartamentos no país cresceu 321%, totalizando…

Destaque

Hikvision passa utilizar inteligência artificial e machine learning para aprimorar o autoatendimento de seus clientes

Além do autoatendimento, os clientes também vão contar com suporte de uma equipe especializada em parceria com a Parkseg Academy…