Câmeras de segurança monitoram florestas e evitam incêndio

Durante todo o ano o Ministério do Meio Ambiente estabelece um calendário de alerta para queimadas em todo o Brasil, o estudo marca o período mais crítico para queimadas em cada região brasileira. Apesar do esforço, o Programa Queimadas, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), registrou mais de 44 mil focos de queimada de janeiro a agosto de 2017.

Contra esse cenário alarmante a tecnologia se tornou uma alternativa mais eficaz e segura para resguardar as áreas sujeitas a incêndios florestais. Nas cidades mineiras de Curvelo, Felixlândia e Morada Nova de Minas, o sistema SYSFOREST monitora áreas extensas de floresta e plantio de maneira completamente remota.

A Coaltech tinha um desafio em encontrar equipamentos que necessitavam a melhoria da acuracidade na detecção de fumaça e incêndio. Para isso, com o apoio da área técnica da Alphadigi, ambas definiram equipamentos da Dahua Technology para realizar a tarefa de manutenção de áreas ambientais. O alcance dos equipamentos, que ficam instalados em torres de comando, pode chegar a 40km.

“Não há necessidade de pessoas nas zonas de monitoramento. E o grande diferencial do SYSFOREST são seus recursos de vídeo e transmissão de imagens e dados de alta tecnologia”, explicou Geraldo César Baliza, diretor responsável da Coaltech Engenharia e da criação do SYSFOREST.

Sendo assim, o modelo escolhido para a solução foi a PTZ 12240-IRB-N, que oferece 2MP de resolução e zoom de até 40x. Desenvolvida especificamente para a captura de vídeos a longa distância para aplicações ao ar livre, a câmera combina Infravermelho Mecânico com alcance de 300 metros para imagens detalhadas mesmo a noite.

O equipamento ainda agrega auto-rastreamento manual ou automático, que segue padrões pré-definidos, fundamental para o projeto que trabalha com a rápida detecção de sinais de incêndio. Logo que a fumaça é detectada, as medidas para minimizar os danos – a brigada é acionada na mesma hora, agilizando o processo para a preservação do patrimônio florestal e agrário.

Além da rapidez, o sistema representa economia porque dispensa a contratação e o treinamento de vigilântes e guardas para rondar o terreno. Com os recursos tecnológicos é possível estar atento aos primeiros sinais de incêdio e outras catastrofes ambientais de maneira mais assertiva e o futuro da manutenção das áreas florestais pode depender dessa estratégia.

Notícias Relacionadas

Cases

Grupo Unidasul adota solução óptica Furukawa em centro de distribuição e em novas unidades no Rio Grande do Sul

Com a expansão de sua rede de supermercados Rissul e de atacarejos Macromix pelo estado do Rio Grande do Sul,…

Destaque

Datacenters precisam de vigilância RSA para garantir segurança

Esta ferramenta do Genetec Security Center combinado ao uso dos sensores existentes ajuda a lidar proativamente com ameaças antes que…

Destaque

Como a tecnologia pode aprimorar a segurança em cidades inteligentes?

Apesar de o conceito de cidade inteligente ser relativamente recente, ele já se consolidou como assunto fundamental na discussão da…