Bluetooth Low Energy: O que essa tecnologia nos reserva para o futuro

O termo IoT ou Internet das Coisas, está trazendo novas tecnologias para transformar e inserir o mundo na era da conectividade. O IoT diz que tudo está conectado, simples assim, e para isso funcionar foi criado uma tecnologia que permite isso de um modo muito mais fácil.

Existe vários nomes: Bluetooth Smart, Bluetooth 4.0+ e BLE (Bluetooth low Energy). Podemos dizer que é a versão mais amigável em termos de aplicação e energia do Bluetooth.

Na questão de aplicação, onde surgiu o termo Smart, ele já nasce em protocolo aberto, em um patrão da indústria da mobilidade e permite fácil conexão no mundo dos aplicativos. Já perceberam que ao iniciar uma varredura na conexão bluetooth do seu celular, você localiza vários equipamentos ao redor, inclusive com o nome (ID) dessas soluções, sem utilizar nenhuma senha, sem efetuar nenhum pareamento?  E em termo de energia, o termo BLE carrega no nome baixa energia, ou seja, foi feito para funcionar em equipamentos móveis, longe de tomadas, simplesmente com pequenas baterias e em com alta duração.

Diferente do Bluetooth tradicional que foi criado para transmissão de longos arquivos, como música, fotos ou outras mídias, consumindo muita energia, o BLE foi criado pra transmitir pouca informação em um curto espaço de tempo, com um consumo mínimo de energia.

Que benefícios isso pode trazer para nosso mundo de segurança?

Como escrevi em alguns artigos atrás o IoT será o futuro, em 2025 tudo estará conectado, não precisaremos, talvez, de controladoras e softwares centralizando informações de sistemas , de centrais de alarme concentrando os sinais de sensores de intrusão e de grandes storages guardando informação. Tudo estará integrado, o sensor de intrusão trocando informação com a câmera e com os dispositivos das portas.

E com o BLE esse futuro já bate em nossas portas, ja temos fechaduras inteligentes que permitem a abertura através de dispositivos celulares, já podemos também controlar abertura de janelas, automatizar portões, e controlar outros dispositivos, tudo com segurança, com dados protegidos e de forma extremamente amigável. Essa tecnologia permitirá no futuro a extinção dos fios. As informações serão transmitidas de equipamento a equipamento formando uma grande rede, com rotas alternativas e redundâncias.

Percebo ainda, como tendência, que os equipamentos de segurança estarão mais inteligentes e a prova de falhas. A expressão “alarme falso” ficará cada vez mais distante em nossos escritórios e residencias. Teremos cada vez mais o uso do “faça você mesmo”, onde o usuário irá instalar tudo o que for necessário, configurar (o sistema será auto configurável), além de monitorar tudo através de tablets e celulares.

O usuário estará definitivamente no controle.

Claudio Moraes

Claudio Moraes

Product Specialist - Anixter do Brasil Ltda.

Notícias Relacionadas

Destaque

Monitoramento veicular alerta para fadiga e uso de celular 

Sistema analisa imagens no interior da cabine e emite alertas para motorista e gestor de frotas Imagine um sistema de…

Destaque

Como a segurança é garantida em eventos que lidam com grandes públicos?

O Brasil tem se destacado no cenário internacional como um dos principais destinos para grandes eventos, atraindo multidões de fãs…

Destaque

Axis Communications Brasil recebe certificação Great Place To Work

Para 95% dos colaboradores, a empresa, que já conta com a certificação na Europa, Oriente Médio e África, é um…