Blockchain: segurança de dados além do setor financeiro

Por Gustavo Mendes

Considerada uma das tecnologias mais importantes e disruptivas que surgiram nos últimos anos, o Blockchain se tornou uma das promessas mais revolucionárias do mercado, especialmente em tempos de transformação digital. E não é à toa, pois seu funcionamento carrega um valor muito buscado e que ganha cada vez mais importância no mundo digital: a segurança dos dados.

E apesar dos efeitos da pandemia terem feito as organizações desviarem o orçamento ou pausarem projetos para se concentrarem em empreendimentos mais essenciais, esse não foi o caso com o Blockchain. Grandes organizações entenderam a oportunidade por trás da tecnologia e já iniciaram os investimentos. De acordo com uma nova atualização da IDC em seu relatório Worldwide Blockchain Spending Guide, os gastos com Blockchain devem girar em torno de US$ 6,6 bilhões este ano, um aumento de mais de 50% em relação a 2020, além de registrar um forte crescimento até 2024, com uma taxa progressiva anual composta (CAGR) de 48% em cinco anos.

Entrando mais em detalhes, o Blockchain pode ser entendido como um banco de dados armazenado de forma pública na internet e descentralizado, ou seja, qualquer pessoa pode auditá-lo. Ele utiliza rede “Peer-to-Peer”, com computadores interligados onde os próprios usuários validam as transações, o que elimina a necessidade de terceiros para proteger e autenticar os dados. Tudo isso é possível porque todas as transações feitas na plataforma de Blockchain ficam armazenadas em blocos, que são ligados uns aos outros por elos, chamados de “hash”. À medida que os blocos vão se formando, o número de hashs criptográficos vai se acumulando e protegendo a impressão digital do seu anterior, sem que os dados sejam alterados.

Todas essas caraterísticas são responsáveis por expandir a Blockchain para além das criptomoedas, podendo ser a peça-chave para uma nova forma de armazenar informações. A internet é, atualmente, a forma mais eficiente de compartilhar informação em segundos com destinatários de todo o mundo — e o Blockchain pode adicionar confiabilidade a esse processo. Por meio dele é possível criar sistemas de registro de dados e contratos inteligentes, como em cartórios, sistemas de consultas médicas, agricultura. comunicações e até em sistemas de votação.

Na cadeia logística, por exemplo, são produzidos muitos registros (faturas, pagamentos, documentos de recebimento e outros), que podem estar sujeitos a adversidades como extravios, fraudes, falta de transparência, entre outros. Com a Blockchain essas dificuldades podem ser resolvidas de forma a tornar o processo mais eficiente. A expectativa é que a tecnologia simplifique os sistemas operacionais e mantenha o ambiente mais seguro.

Com base em tudo isso, é de se esperar uma evolução da tecnologia Blockchain ainda maior, com o desenvolvimento de novos protocolos e se adaptando a novas necessidades que surjam. É isso que empresas têm buscado com novas possibilidades de inovação, segurança e eficiência nos processos.

Gustavo Mendes é especialista em cibersegurança e sales engineer da Adistec Brasil

Notícias Relacionadas

Destaque

Varejistas podem identificar tendências de roubo em poucos cliques com o Security Center Transaction Finder

Nova ferramenta de ponto de venda com análise baseada em exceção integrada à plataforma de segurança da Genetec ajuda varejistas…

Destaque

Grupo GR implanta deep learning e aponta cerca de 80% de redução em falsos alarmes

Tecnologia foi implantada nas câmeras da própria empresa e, após excelentes resultados, será disponibilizada aos clientes O Grupo GR tem…

Destaque

Alarmtek lança espuma neutralizadora para a segurança de áreas abertas

A espuma ATK NE 110 permite um jato direcionado que provoca ardência ocular e nas vias aéreas para frustrar a…