Band implanta portaria remota em sua sede

A rede de televisão e rádio conseguiu reduzir mais de R$ 670 mil em custo por ano ao transformar o posto de acesso físico em portaria virtual. Agora, a liberação de visitantes e funcionários é feito em menos de 30 segundos, garantindo mais segurança e agilidade em todo o processo

Por Fernanda Ferreira

A Rede Bandeirantes é uma rede de televisão aberta que pertencente ao Grupo Bandeirantes de Comunicação, e é considerada uma das maiores Redes Jornalísticas de todo o país. Atualmente, a emissora tem o seu sinal distribuído para todo o Brasil por meio das suas emissoras próprias ou afiliadas de televisão e rádio, e no exterior pela Band Internacional.

Em sua sede, localizada em São Paulo, no bairro Morumbi, há uma grande movimentação na portaria, com a entrada e saída de visitantes, elenco dos programas, carga e descarga de materiais, além de mais de 200 veículos de link, que fazem a cobertura jornalística em campo.

Toda a operação era realizada por seguranças em postos físicos que faziam a vigilância externa e interna da portaria, 24h e 7 dias por semana. O processo de identificação do condutor e autorização via rádio entre a portaria e a central de monitoramento levava cerca de três minutos. Além da demora na liberação, a exposição física do vigilante, porteiro e visitante, tornava todo o método inseguro e de fácil invasão. O custo da portaria física também era um ponto negativo, os gastos chegavam a R$ 56 mil por mês , um total de R$ 672 mil por ano.

Em busca de mais agilidade no processo de entrada e saída de veículos leves e pesados, e de maior segurança, tanto dos visitantes quanto dos colaboradores, a Band procurou por novas tecnologias para automatizar a sua portaria, e transformou os postos físicos em portarias remotas.

Para realizar esse projeto de Portaria Virtual, que foi desenvolvido pelo gestor e consultor de segurança da Rede Bandeirantes Willian de Souza e implantado pelo integrador JL Imagem, foram utilizados o software de gerenciamento de vídeo Mirasys Enterprise versão 7.5, porteiro eletrônico com vídeo em rede AXIS A8105-E e câmeras de rede IP Axis M3105 com dispositivos de áudio bidirecional que possuem integração nativa na plataforma da Mirasys. Tudo foi acompanhado pelo time da Mirasys Brasil, onde juntos desenharam uma solução com alta performance e disponibilidade de recursos sem deixar de lado as características de segurança que a Rede Bandeirantes já utilizava.

Com a solução de portaria virtual, o processo de identificação e liberação do visitante passou a levar 30 segundos para ser concluído, além de todas as imagens e áudio ficarem armazenados nos servidores por 30 dias. Também não existe mais o risco dos vigilantes ou condutores serem abordados por criminosos, uma vez que os colaboradores ficam em uma central de segurança remota, protegidos por um sistema de controle de acesso, e os visitantes permanecem em uma eclusa aguardando a autorização para entrar dentro do complexo da Band.

“Antes, a checagem era feita de maneira visual e a comunicação toda via rádio com a central de monitoramento. Agora, tudo é feito de forma automatizada, o sistema identifica quando algo ou alguém se aproxima da portaria e nós imediatamente fazemos contato com o visitante, sem a necessidade do condutor ter que descer do veículo e acionar um interfone. Essa é mais uma forma de garantir a segurança do visitante e da empresa”, explicou Willian de Souza. “A operação também foi toda automatizada. Conseguimos aproveitar a central de monitoramento que já tínhamos e agregamos a tarefa de portaria remota a ela. Os custos para a implantação do projeto foram apenas a aquisição das soluções e o storage para o armazenamento de imagens que precisa ser dedicado a operação”, completou.

Segundo o gestor de segurança, o VMS da Mirasys foi a solução chave que colaborou com o sucesso da portaria remota. “O software é de fácil manuseio, é ágil, me permite realizar a busca por imagens por classificação ao invés de apenas via linha do tempo, a quantidade de storage que preciso para funcionar a plataforma também é um diferencial, já que a Mirasys é mais leve que os outros VMS que já utilizei, não preciso de um servidor grande, o que o torna mais acessível, baixando ainda mais o custo da operação. Já as câmeras da Axis possuem múltiplos streams, o que reduz o peso de tráfego na banda”, disse Willian.

O VMS permite a integração com dispositivos de terceiros (plataforma aberta) e sua interface de utilização foi desenvolvida por um psicólogo cognitivo, tornando-se uma ferramenta fácil de utilizar pelos operadores.

Notícias Relacionadas

Cases

Grupo Unidasul adota solução óptica Furukawa em centro de distribuição e em novas unidades no Rio Grande do Sul

Com a expansão de sua rede de supermercados Rissul e de atacarejos Macromix pelo estado do Rio Grande do Sul,…

Destaque

Datacenters precisam de vigilância RSA para garantir segurança

Esta ferramenta do Genetec Security Center combinado ao uso dos sensores existentes ajuda a lidar proativamente com ameaças antes que…

Destaque

Como a tecnologia pode aprimorar a segurança em cidades inteligentes?

Apesar de o conceito de cidade inteligente ser relativamente recente, ele já se consolidou como assunto fundamental na discussão da…